Grupos de História da Educação Matemática do Brasil: genealogias e coletivo de pensamento

  • Iran Abreu Mendes Professor do Centro de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Carlos Aldemir Farias da Silva Professor do Instituto de Educação Matemática e Científica da Universidade Federal do Pará (UFPA);

Resumo

Uma pesquisa sobre a produção científica na área de História da Matemática nos programas de pós-graduação stritu sensu do Brasil, entre 1990 e 2010, apontou um crescimento das abordagens sobre vida e obra de matemáticos e professores de Matemática, história das instituições, história das disciplinas escolares, dentre outras atividades sociais e culturais. Percebemos que a origem da diversidade de métodos de pesquisa historiográfica vem de áreas como a História, a Antropologia e a Sociologia, na construção de uma história social da Educação Matemática e das práticas matemáticas no contexto da sociedade e da cultura. Considerando a necessidade de bifurcar a pesquisa em direção às relações entre genealogia, coletivo de pensamento e história da Educação Matemática, tomamos a epistemologia de Ludwik Fleck associada aos estudos sobre genealogia como apoio aos estudos sobre a origem, a evolução e a disseminação das organizações sociais em várias gerações e fizemos um levantamento dos grupos de pesquisas sobre história da Educação Matemática do Brasil para caracterizar suas dimensões, desmembramentos e ramificações, bem como as redes de conexões entre pesquisadores, estudantes de mestrados e doutorados, suas respectivas linhas de pesquisas e produções geradas durante a pós-graduação e após a sua inclusão no sistema de pesquisa em história da Educação Matemática no Brasil.

Referências

ARCHASSAL, P. V. L’ABCdaire de la Généalogie. Paris: Flammarion, 2000.

CONDÉ, M. L. L. (Org.). Ludwik Fleck. Estilos de pensamento na ciência. Belo Horizonte: Ed. Fino Trato, 2012 (Coleção Scientia).

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2013.

FLECK, L. Gênese e desenvolvimento de um fato científico. Belo Horizonte: Ed. Fabrefactum, 2010 (Coleção Ciência, Tecnologia e Sociedade).

FÓRUM DOS GRUPOS DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DO BRASIL. In: REMATEC - Revista de Matemática, Ensino e Cultura, ano 6, n. 8, Natal: EDUFRN, jan. 2011.

LORENZETTI, L.; MUENCHEN, C. A contribuição epistemológica de Ludwik Fleck na produção acadêmica em Educação em ciências. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011, Campinas/SP. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC). Rio de Janeiro/RJ: Abrapec, 2011.

MATHEMATICS GENEALOGY PROJECT. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2013.

MENDES, I. A. Cartografias da produção em História da Matemática no Brasil: um estudo centrado nas dissertações e teses defendidas entre 1990-2010. Projeto de Pesquisa. Natal: UFRN, 2010.

MENDES, I. A. Historia Social de la Educación Matemática en Iberoamérica: pesquisa em história da Matemática na Pós-graduação brasileira e suas dimensões epistemológica, sociológica e pedagógica. Uniõn. Revista Iberoamericana de Educación Matemática. n. 30, jun. 2012.

PFUETZENREITER, M. R. Epistemologia de Ludwik Fleck como referencial para a pesquisa nas ciências aplicadas. In: Episteme. Porto Alegre, n. 16, p. 111-135, jan./jun. 2003.

Publicado
2022-01-09
Como Citar
Mendes, I. A., & Silva, C. A. F. da. (2022). Grupos de História da Educação Matemática do Brasil: genealogias e coletivo de pensamento . Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 1028-1039. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15203
Seção
Sessões Coordenadas