Correntes de Pensamentos nos Módulos de Didática da Matemática: Formação de Professores Leigos no Projeto Logos II

  • Cristiane Talita Gromann de Gouveia Licenciada em Matemática, Especialista em Metodologia e Didática do Ensino Superior e Mestranda do Programa de Educação na Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho” – Rio Claro/SP, com o tema de pesquisa “O Projeto Logos II e a formação de Professores Leigos em Rondônia”, a qual está sendo orientada pela Prof.ª Dr.ª Arlete de Jesus Brito e financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), sob o Processo nº 2014/01638-1.

Resumo

Neste trabalho se apresentará um recorte da pesquisa de mestrado em desenvolvimento que tem como objetivo geral elaborar uma história sobre a formação de professores leigos no estado de Rondônia, que aconteceu na década de 70 e 80 do século XX, por meio do Projeto Logos II. Este recorte tem como questão norteadora verificar quais correntes de pensamentos influenciaram na elaboração dos módulos da disciplina de didática da matemática do referido Projeto. Assim como forma de alcançar o objetivo proposto foi realizada uma leitura abrangente das fontes, sendo considerados os elementos presentes nos textos das apostilas, bem como aqueles externos a ele, tomando as legislações, os conteúdos e as bibliografias dos módulos, os contexto espaço-temporal em que se insiram bem como todo e qualquer elemento que possa determinar ou sugerir indícios das correntes de pensamentos implícitas presente nestes módulos. Foi possível observar nos módulos indicativos de que o mesmo recebeu em sua elaboração, aportes teóricos do movimento da matemática moderna, indícios das correntes filosóficas Empirista e Racionalista e por fim, vestígios principalmente da teoria de Jean Piaget, assim como de outros pensadores como Ana Maria Poppovic, John Dewey e Maria Montessori.

Referências

AUZIER, A. M. S. Educação à distância: possíveis caminhos para a qualificação de professores especificamente da região ribeirinha – Ilha do Cotijuba. Belém, 2001, Artigo de conclusão de curso (Licenciatura em Pedagogia) - Universidade da Amazônia, 2001. Disponível em: http://www.nead.unama.br/site/bibdigital/monografias/

EDUCACAO_DISTANCIA_Possiveis.pdf. Acesso em: 10 de Abril de 2012. BRASIL. Ministério da Educação e cultura; Departamento de Ensino Supletivo. Projeto Logos II, Brasília, 1975.

BRASIL. Projeto Logos II: Didática da Matemática. 1 v e 6 v. SEPS/MEC. Brasília: CETEB, 1981.

BRASIL. Projeto Logos II: Didática da Matemática. 2 v. SEPS/MEC. Brasília: CETEB, 1984.

COSTA, R.R. A capacitação e aperfeiçoamento dos professores que ensinavam matemática no Estado do Paraná ao tempo do Movimento de Matemática Moderna – (1961 a 1982). Curitiba, 2013, Tese (Doutorado em Educação) – Pontifica Universidade católica do Paraná (PUC), 2013.

FERRACIOLI, L. Aprendizagem, desenvolvimento e conhecimento na obra de Jean Piaget: uma análise do processo de ensino-aprendizagem em ciências. Revista brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 80, n. 194, p. 5-18, jan./abr. 1999. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/index.php/RBEP/article/viewFile/191/191.

Acesso em: 03 de janeiro de 2014.

FIORENTINI, D.; MIORIM, M. A. Uma reflexão sobre o uso de materiais concretos e jogos no ensino da Matemática. Boletim SBEM - SP - Publicação Oficial da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, São Paulo - SP, p. 5 - 10, 01 ago. 1990.

KLINE, M. (1976) O Fracasso da Matemática Moderna. São Paulo: IBRASA.

MANTOVANI DE ASSIS, O. Z. & CAMARGO DE ASSIS, M. (1999) Proepre: Prática Pedagógica. Campinas, SP: UNICAMP /FE / LPG.

MOREIRA, M. A. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1999.

OLIVEIRA, S. C. B. A formação dos professores em Guaraniaçu: A capacitação em serviço, Logos I, Logos II e HAPRONT. Paraná, 2010, Monografia (Especialização em História da Educação Brasileira) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), 2010. Disponível em: http://www.unioeste.br/projetos/histedbropr/monografias/3turma/ monografia_Sara.pdf. Acesso em: 20 de junho de 2012.

OSTI, A. Concepção sobre desenvolvimento e aprendizagem, segundo a psicogênese piagetiana. Revista de Educação. V. XII, n.13. p. 109-118, 2009. Disponível em: http://sare.anhanguera.com/index.php/reduc/article/view/976/668 . Acesso em: 03 de janeiro de 2014.

PEREIRA, M. F. R.; PEIXOTO, E. M. À distância: a escola Lula para a formação de professores. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.40, p. 179-188, 2010. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/edicoes/40/art11_40.pdf. Acesso em: 20 de Março de 2012.

PIAGET, J. O tempo e o desenvolvimento intelectual da criança. In: Piaget. Rio de Janeiro: Forense, 1973.

POPPOVIC, A. M.; Alfabetização: Um problema interdisciplinar. Revista Caderno de pesquisa, São Paulo, n. 36, fev. 1981. Disponível em <http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15741981000100005&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 29 junho. 2014.

SANTOS, M.C.F. A noção de experiência em John Dewey, a educação progressiva e o currículo de ciências. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciência, 8, 2011, São Paulo. Anais. Campinas: UNICAMP. Disponível em: <http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/ viiienpec/resumos/R0214-1.pdf> Acesso em: 30 de Junho de 2014.

Publicado
2022-01-09
Como Citar
Gouveia, C. T. G. de. (2022). Correntes de Pensamentos nos Módulos de Didática da Matemática: Formação de Professores Leigos no Projeto Logos II . Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 1078-1088. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15208
Seção
Sessões Coordenadas