Publicações de Geometria para o ensino primário brasileiro: iniciando a verificação da possibilidade de uma “vulgata”

  • FRANCISCA JANICE DOS SANTOS FORTALEZA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • MARIA LÚCIA PESSOA CHAVES ROCHA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO PARÁ

Resumo

Desenvolvemos este texto como objetivo verificar se o livro didático “Primeiras Noções de Geometria Prática”, de autoria de Olavo Freire, constituiu uma “vulgata” para o livro “Geometria Prática ou Desenho Linear”, escrito por J. de Brito Bastos. Assim, nos amparamos teórico-metodologicamente no conceito de “vulgata” cuja referência é Chervel (1990). A partir das comparações que tecemos podemos afirmar que há poucas variações entre os livros no que se refere aos conceitos ensinados, à terminologia adotada, à coleção de capítulos, à organização do corpus de conhecimento e aos tipos de exercícios praticados, de modo que o livro de Freire pode ser notado como uma influência para o livro de Bastos, sendo observado neste a repetição de um padrão de referência de tais aspectos que aparecem naquele, em se tratando especificamente da geometria plana. Assim, podemos constatar evidências de que os livros em questão podem compor uma “vulgata”.

Palavras-chave: Livros didáticos; Geometria; Vulgata.

Biografia do Autor

FRANCISCA JANICE DOS SANTOS FORTALEZA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
Doutoranda em Educação em Ciências e Matemáticas pela Universidade Federal do Pará
MARIA LÚCIA PESSOA CHAVES ROCHA, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO PARÁ
Professora titular do Instituto Federal do Pará

Referências

Bastos, J. de B. (s.d.). Geometria Prática ou Desenho Linear. Pará: Livraria Comercial.

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, 2, 177-229. Retirado em 23 de outubro, 2015, de: http://moodle.fct.unl.pt/pluginfile.php/122510/mod_resource/content/0/Leituras/Chervel01.pdf.

Choppin, A. (2004). História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, 30 (3), 549-566. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27957.

Dassie, B. A. (2018). Analisar livros didáticos: trajetos e caminhos percorridos. Revista de História da Educação Matemática-HISTEMAT, 4 (1), 59-74. Disponível em: http://histemat.com.br/index.php/HISTEMAT.

Freire, O. (s/d). Primeiras Noções de Geometria Pratica. Rio de janeiro: Francisco Alves & Cia, 8. ed.

Frizzarini, C. R. B. & Leme da Silva, M. C. (2014). Primeiras Noções de Geometria Prática de Olavo Freire: um compêndio inovador? Anais Eletrônicos do 14º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia (pp. 1-8). Belo Horizonte: Sociedade Brasileira de História da Ciência. Retirado em 06 de maio, 2018, de https://www.14snhct.sbhc.org.br/arquivo/download?ID_ARQUIVO=1820

Leme da Silva, M. C. & Valente, W. R. (2012). A geometria dos grupos escolares: Matemática e Pedagogia na produção de um saber escolar. Cadernos de História da Educação, 11, 559-571. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/che/index.

Leme da Silva, M. C. (2015). Uma trajetória histórica de saberes geométricos no ensino primário brasileiro (1827-1971). Revista de História da Educação Matemática-HISTEMAT, 1 (1), 148-164. Disponível em: http://histemat.com.br/index.php/HISTEMAT.

Machado, B. F. & Mendes, I. A. (2016). Manuais didáticos no estado do PARÁ: Aritmética, a Geometria e o Desenho – Século XIX e primeira metade do Século XX. XIV Seminário Temático: Saberes Elementares Matemáticos do Ensino Primário (1890-1970): Sobre o que tratam os Manuais Escolares? (pp. 0-13). Natal: Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Matemática do Brasil – GHEMAT. Retirado em 20 de novembro, 2017, de: http://xivseminariotematico.paginas.ufsc.br/.

Moreira, E. (1989). O livro didático paraense. In E. Moreira, E. Obras reunidas de Ediorfe Moreira. Belém: Cultural CEJUP.

Pará. (1899). Decreto nº 722, de 10 de julho de 1899. Manda que as escolas de Alenquer funcionem em grupo escolar. Imprensa Oficial do Pará, Belém.

Valente, W. R. (2007). História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. Revista Eletrônica de Educação Matemática, 2 (1), 28-49. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/12990/12091.

Valente, W. R. (2008). Livro didático e educação matemática: uma história inseparável. ZETETIKÉ, 16 (30), 139-162. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/index.

Publicado
2019-04-25
Seção
Sessões Coordenadas