Uma estudante, uma professora: o vir-a-ser de uma expert em Educação Matemática

  • Monica Menezes Souza SEEDF

Resumo

Esse texto tem por objetivo apresentar a constituição da expertise da professora de Matemática, Nilza Eigenheer Bertoni a qual, ao longo de sua carreira docente, influenciou e promoveu mudanças na licenciatura de matemática da Universidade de Brasília (UnB) e na rede pública de ensino do Distrito Federal. Ainda hoje, atua na formação continuada de professores brasileiros que ensinam matemática. Teve-se por referencial teórico-metodológico Bejanmin (1994), Tardif (2002, 2005); Bertini, Morais e Valente (2017), Hofstetter, Schneuwly, Freymond (2017), Galvão, Perfeito, Macedo (2011). Concluiu-se que a expert em Educação Matemática Nilza Eigenher Bertoni permanece atual e atuante na formação de professores devido a vanguarda de suas ideias e ao aprofundamento de estudos e pesquisas sobre a matemática a ensinar e a matemática para ensinar.

Referências

Bejamin, W. (1994). Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. (S. P. Rouanet, trad.). São Paulo: Brasiliense.

Bertini, L. F., Morais, R. S. & Valente, W. R. (2017). A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: novos estudos sobre a formação de professores. São Paulo: Livraria da Física.

Bertoni, N. E. (Locutora). (2006). Brasília. Entrevista concedida ao Grupo COMPASSODF em 20/10/2006.

Bertoni, N. E. (Locutora). (2018). Brasília. Entrevista concedida ao Grupo COMPASSODF em 24/07/2018.

Bosi, Ecléa. (2006). Memória e sociedade: lembrança de velhos. São Paulo: Companhia das Letras.

Dowell, M. M. (1986). Ofício Externo 23/12/1986, Brasília [para], N. E. Bertoni. Solicita continuidade no ano seguinte das ações relacionadas ao Projeto “Um novo currículo de matemática 1 grau”. Brasília.

Figari, G. (1996). Avaliar: que referencial? Porto: Porto Editora.

Galvão, A., Perfeito, C. & Macedo R. (2011, setembro/dezembro). Desenvolvimento de expertise: um estudo de caso. Revista Diálogo Educacional, (Curitiba), 11(34), 1015-1033. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/4543/0.

Hofstetter, R., Schneuwly, B. & Freymond, M. (2017). Penetrar na verdade da escola para ter elementos concretos de sua avaliação - a irresistível institucionalização do expert em educação (século XIX e XX), In R. Hofstetter & W. R. Valente. (Org.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. São Paulo: Livraria da Física.

Morais, R. S. (2018). Experts. In W. R. VALENTE. (Org). Cadernos de Trabalho II, São Paulo: Livraria da Física.

Muniz, N. C. (2013). Relatos de memórias: a trajetória histórica de 25 anos da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo: Livraria da Física.

Oliveira, M. C. A. (2018). Profissionalização Profissionalidade. In, W. R. VALENTE. (Org.). Cadernos de Trabalhos. São Paulo: Livraria da Física.

Tardif, M. (2000, janeiro/fevereiro/março/abril).(2000). Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistérios. Revista Brasileira de Educação, (13). Disponível em: http://www.joinville.udesc.br/portal/professores/jurema/materiais/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf.

Tardif, M. (2002). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes.

Tardif, M. & Lessard, C. (2005). O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. (J. B. Kreuch, trad.). Petrópolis: Vozes.

Publicado
2019-04-24
Seção
Sessões Coordenadas