Uma proposta biográfica aliada aos usos de História Oral e a pesquisa em um arquivo pessoal

  • Jean Sebastian Toillier Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Resumo

O presente artigo trata sobre uma pesquisa de doutorado em Educação Matemática em andamento na qual abordamos como a professora Lourdes de la Rosa Onuchic se constitui em uma educadora matemática. Para isso discutimos como aliar em uma investigação com caráter biográfico a História Oral e a consulta ao arquivo pessoal da docente. Entendemos que a escrita biográfica deve priorizar a narração de uma vida em que vários aspectos sociais e as subjetividades estejam presentes. A História Oral tem como base os pressupostos teóricos e metodológicos do Grupo de História Oral e Educação Matemática (Ghoem) em que não deve ser tomada como uma trajetória em que sejam pensados os procedimentos. No arquivo pessoal devemos levar em conta que tudo o que é guardado possui uma intenção para tal e que ajuda a explicar a constituição da própria pessoa. Assim, compreendemos que é possível realizar uma pesquisa aliando essas temáticas para constituir um estudo em História da Educação Matemática.

Biografia do Autor

Jean Sebastian Toillier, Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Docente do Colegiado de Matemática do Centro de Ciências Exatas e da Terra da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste - campus Cascavel. Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp - campus Rio Claro

Referências

Albuquerque Jr., D. M. (2012.) O significado das pequenas coisas: História, prosopografia e biografemas. In: Avelar, A. de S.; Schmidt, B. B. (Org). Grafia de vida: Reflexões e experiências com a escrita biográfica. São Paulo: Letra e Voz, p. 15-38.

Avelar, A. de S. (2012). Escrita biográfica, escrita da História: Das possibilidades de sentido. In: Avelar, A. de S.; Schmidt, B. B. (Org). Grafia de vida: Reflexões e experiências com a escrita biográfica. São Paulo: Letra e Voz, p. 15-38.

AVELAR, A. de S.; SCHMIDT, B. B. (2018). (Org). O que pode a biografia. São Paulo: Letra e Voz.

Cavalari, M. F. (2013) Lourdes Onuchic. In: Valente, W. R (Org). Educadoras Matemáticas: memórias, docência e profissão. São Paulo: Editora Livraria da Física, p. 113-126.

Ferreira, M. de M. (2002) História, tempo presente e história oral. Revista Topoi. Rio de Janeiro, v. 03, n. 05, p. 314-332, jul-dez.

Garnica, A. V. M. (2015a) História Oral em Educação Matemática: um panorama sobre pressupostos e exercícios de pesquisa. História Oral. Rio de Janeiro, v. 18, p. 35-53.

Garnica, A. V. M. (2015b). O pulo do sapo: narrativas, História Oral, Insubordinação e Educação Matemática. In: D’Ambrosio, B. S.; Lopes, C. E. (Org.). Vertentes da Subversão na Produção Científica em Educação Matemática. Campinas (SP): Mercado de Letras, p. 181-206.

Mignot, A. C. V. (2003). Papéis guardados. Rio de Janeiro: Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rede Sirius.

Oliveira, M. da G. de O. (2018). Para além de uma ilusão: Indivíduo, tempo e narrativa biográfica. In: AVELAR, A. de S.; Schmidt, B. B. (Org). O que pode a biografia. São Paulo: Letra e Voz, p. 59-72.

Portelli, A (2016). História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e Voz.

Reis, D. A. de F (2014). História da formação de professores de matemática do ensino primário em Minas Gerais: estudos a partir do acervo de Alda Lodi (1927 a 1950). 2014. 258 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Silva, H. R. K da (2002). Considerações e confusões em de história oral, história de vida e biografia. MÉTIS: História & Cultura, Caxias do Sul, v. 1, n. 1, p. 25-38, jan./jun.

Silva, H. da. (2005) História Oral, Memória e Narrativas na análise da constituição de identidades na Educação Matemática. In: Seminário Paulista de História e Educação Matemática, n. 4, São Paulo. Anais... São Paulo, de 10 a 12 de outubro de 2005.

Viñao, A (2000). Las autobiografias, memórias y diários como fuente histórico-educativa: tipologia y usos. Teias – Revista da Faculdade de Educação. Rio de Janeiro, UERJ, n. 1, jun.

Viñao, A. (2008) Os cadernos escolares como fonte histórica: aspectos metodológicos e historiográficos, In Mignot, A. C. V. Cadernos à vista: escola, memória e cultura escrita. Rio de Janeiro: EdUERJ.

Publicado
2019-04-24
Seção
Sessões Coordenadas