Ditadura militar, propaganda e otimismo no Brasil dos anos 1970

David Antônio de Castro Netto

Resumo


Este artigo expõe reflexões sobre a forma como o regime autoritário brasileiro (1964 – 1984), em união com setores da sociedade civil, agências e agentes da propaganda, fez uso dos sentimentos enquanto prática política, em especial, o otimismo. A partir de um conjunto selecionado de peças publicitárias, defendemos que tal sentimento foi utilizado como espécie de resposta à todo tipo de oposição, seja ela armada ou consentida (ARENA e MDB). Como conclusão, apontamos que a união entre governos autoritários e setores da sociedade civil se faz necessária tanto para garantir a sustentação de tais regimes para além do uso da violência física, quanto para justificá-la.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

BIBLIOGRAFIA:

ANSART, Pierre. Ideologias, conflitos e poder. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

_____________.La psychanalyse comme instrument d'analyse des situations idéologiques. L'Homme et la société, vol. 51-54, p. 151-161, 1979.

_____________. La gestion des passions politiques. Lausanne, Suisse: L’age d’homme, 1983.

_____________.Em defesa de uma Ciência Social das paixões políticas. História: Questões & Debates. Curitiba, PR: Ed. da UFPR, v.17, n. 33, jul/dez, p. 145–164, 2000.

CORDEIRO, Janaína Martins. A ditadura em tempos de milagre: comemorações, orgulho e consentimento. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.

CORDEIRO, Janaína Martins. Anos de chumbo ou anos de ouro? A memória social sobre o governo Médici. Revista Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 22, nº 43, janeiro-junho, pp. 85-104, 2009.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginário social noBrasil (1969 – 1977). Tese (Programa de Pós-Graduação em História Social) - Universidade de São Paulo, 1996, 299p.

MAGALHÃES, Marion Brepohl. A lógica da suspeição: sobre os aparelhos repressivos à época da ditadura militar no Brasil. Revista Brasileira de História. São Paulo, Vol. 17, n. 34, p.203–220, 1997.

Marx, Karl. O 18 de Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

MELLO, João Manuel Cardoso e NOVAIS, Fernando. Capitalismo tardio e sociabilidade moderna. In: NOVAIS, Fernando (org.). História da vida privada no Brasil. Vol. 4. São Paulo: Cia das Letras, 1998, p.559 – 658.

ROLLEMBERG, Denise e QUADRAT, Samantha Viz. A construção social dos regimes autoritários: Brasil e América Latina. Volume 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

FONTES:

FIGUEIREDO, João Baptista. Discursos (1979 – 1984). Biblioteca da Presidência da República. Acervo digitalizado. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia. gov.br/presidencia/presidencia/ex-presidentes/jb-figueiredo. Acesso em 27/05/2019.

GEISEL, Ernesto. Mensagem ao Congresso Nacional (1976 – 1979). Biblioteca da Presidência da República. Acervo digitalizado. Disponível em: http://www.biblioteca. presidencia.gov.br/presidencia/ex-presidentes/ernesto-geisel/mensagens-ao-congresso/ mensagem-ao-congresso-nacional-na-abertura-da-sessao-legislativa-de-1977. Acesso em 27/05/2019

Revista Propaganda – 1964 – 1985.

HERNANDEZ, Oswaldo. Blog Hernandez. http://memoriasoswaldohernandez.blogspot. com/2012/10/historia-dos-anos-70_27.html. Acesso em 27/05/2019


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 Qualis B-4

    

Resultado de imagem para latinrev