A EXTERNALIZAÇÃO como categoria de análise para o campo educacional

Luciana Cristina Porfírio

Resumo


As noções provenientes dos estudos comparados são ferramentas teóricas que ajudam a explorar como circula historicamente o conhecimento, enquanto sistemas de razão no interior de comunidades locais, para ordenar os princípios da ação por meio da disseminação de um discurso global. Essa relação entre os níveis global e local são concepções próprias da contemporaneidade e contribuem para a compreensão da ampliação das relações de interdependência, colocando em xeque a territorialidade geográfica tradicional, já que as pessoas, os bens de consumo e as informações não conhecem mais fronteiras territoriais. Nesse sentido, a fim de entender a especificidade dessa circularidade do discurso sobre os modelos mundiais, indica-se aqui a importância de propor novos sentidos e métodos para o trabalho com a pesquisa em educação a partir do conceito de externalização devolvido por Jurgen Schiriewer e de estrangeiro indígena de Thomas Popkewitz pelas múltiplas possibilidades que esses conceitos oferecem ao campo.


Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, M. P. Política pública educacional e sua dimensão internacional: abordagens teóricas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.36, p. 39-54, 2010. Número especial.

ANDERSON, B. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

BEECH, J. Repensando la Transferencia Educativa: de la transferencia transnacional a los modelos universales de educácion, 2007. Disponível:http://www.fundacionluminis.org.ar/articulos [Acesso em 2/11/2011].

CARVALHO, L. M. Explorando as transferências educacionais nas primeiras décadas do século XX. Análise Social, v.XL, n.176, p. 499-518, 2005. Disponível: www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/aso/n176/n176a02.pdf [Acesso em 14/08/2010]

CHARLOT, B. Educação e globalização: uma tentativa de colocar ordem no debate. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, n.4, p.129-136, out./dez. 2007.

GRUZINSKI, S. O historiador, o macaco e a centaura: a “história cultural” no novo milênio. Estudos Avançados, v.17, n.49, p. 321-342, 2003.

GRUZINSKI, S. O pensamento mestiço. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

IANNI, O. O professor como intelectual: cultura e dependência. In: CATANI, D. B. et al. (org.). Universidade, escola e formação de professores. São Paulo: Brasiliense, 1986.

MARCONDES, M. A. S. Educação comparada: perspectivas teóricas e investigações. EccoS revista científica. Centro Universitário Nove de Julho, São Paulo, v.7, n.1, p. 139- 163, jun. 2005.

MARIOTTI, H. Autopoiese, cultura e sociedade. Instituto de Estudos de Complexidade e Pensamento Sistêmico (IECPS): e-Publisher, 1999. Disponível em: www.oikos.org/maten.htm [Acesso em 09/09/2010].

MARZOCHI, S. F. Mundialização, modernidade, pós-modernidade.

(Entrevista com Renato Ortiz). Ciências Sociais Unisinos, v.43, n.1, jan./abr. 2007. Disponível em: www.unisinos.br/publicacoes_cientificas/images/stories/pdfsci.pdf [Acesso em 12/09/2010].

MEYER, J. Globalização e currículo: problemas para a teoria em sociologia da educação. In: NÓVOA, A.; SCHRIEWER, Jurgen. (org.). A difusão mundial da escola. Lisboa Educa, 2000.

MEYER, J; RAMIREZ, F. O. La institucionalización de la educación. In: Schriewer, J. Formación del discurso en la educación comparada. Trad. José M. Pomares et al. Barcelona: Ediciones Pomares, 2002.

MEYER, J; RAMIREZ, F. O.; SOYSAL, Y. N. World expansion of mass education – 1870-1980. Sociology of education, v.65, n.2, p.128-149, 1992.

ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Professores são importantes: atraindo, desenvolvendo e retendo professores eficazes. São Paulo: Moderna, 2006. Disponível em: www.fvc.org.br/estudos-e-pesquisas/avulsas/estudos1-4-atratividade-carreira.shtml?page=5 [Acesso em 25/08/2010].

ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. 3ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

POPKEWITZ, Thomas S. Imaginarios nacionales, el extranjero indígena y el poder: investigación en educación comparada. In: SCHRIEWER, J. (org.). Formación del discurso en la educación comparada. Barcelona: Ediciones Pomares, 2002. (Colección Education y conocimiento).

SCHRIEWER, Jurgen. Formas de externalização no conhecimento educacional. Trad. Carlos André Peralta e João Freire. Lisboa: Educa, 2001. (Cadernos Prestige).

WARDE, Mriam J. Americanismo e educação: um ensaio no espelho. São Paulo em Perspectiva, v.14, n.2, p. 37-43, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Quantidade de visitas ao site dos CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS:
 
counter free

 

Os CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS estão indexados em:

DiadorimGoogle AcadêmicoSumariosResultado de imagem para capesOASISBR

Somos um periódico da:

UFMS

 

ISSN 1984-7785                                            necccadernos@gmail.com