Notícias

Chamada de publicação de 2023 - Modernidades e Modernismos, nunca mais

2022-11-10

Passados um século de Modernismo brasileiro e de mais de cinco séculos de Modernidade europeia sobre a América Latina, Modernidades e Modernismos, nunca mais. Portanto, esta é a temática da chamada aberta, a partir de agora, para a recepção de artigos e ensaios para o número 29 - dos Cadernos de Estudos Culturais a sair ao final do ano de 2023. A ideia é comemorar a libertação teórico-crítica, epistêmica, artística e pedagógica do Brasil, da América Latina e, quiçá, de vários outros lugares espalhados pelo mundo porque estão praticando as suas descolonialidades subjetivas. Quer dizer, o desafio que esta chamada dos Cadernos de Estudos Culturais  - Modernidades e Modernismos, nunca mais - lança para autores e autoras e para pessoas que não se identificam aos gêneros binários, mas que estão pensando as produções de arte, cultura e conhecimentos de lugares das exterioridades (corpo, geografias e narrativas) aos projetos Moderno e Pós-modernos (europeu e estadunidense), espalhados/espelhados por sinônimos em lugares da exterioridade, é refletir acerca da libertação das subjetividades ex-colonizadas a partir de pensamentos, pensadores, pensadoras e de pensantes não-binárias que não sejam europeus e/ou estadunidenses ao menos. Logo, o desafio é desprender-se das artimanhas (amarras) Modernas e Modernistas por mais séculos ou por mais 100 anos para pensar a partir das nossas fronteiras epistêmicas.

Recepção de textos: a partir de 01 de março de 2023

Prazo de submissão:  até 01 de agosto de 2023

Previsão de publicação: novembro de 2023

Saiba mais sobre Chamada de publicação de 2023 - Modernidades e Modernismos, nunca mais

Edição Atual

v. 1 n. 25 (2021): CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS: Crítica Biográfica Fronteiriça (ISSN: 2763-888X)

O número 25 dos CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS (2021.1) (ISSN: 2763-888X), a ser publicado até Setembro de 2021, tem como temática a Crítica Biográfica Fronteiriça. A temática proposta enseja uma discussão conceitual crítica acerca do que se entende por “Crítica biográfica fronteiriça”, por entender que tal proposição crítica engloba uma teorização descolonial que, a seu modo, trata de conceitos e escolhas caros aos lugares periféricos, a exemplo de “biolócus”, “pensamento próprio”, “escrever o que se quer”, “lugares como paisagens biográficas”, “desrazão”, “corporalidades”, “estar-sendo”, “com-vivialidade”, “desprendimento”, entre outros. Ao propor essa temática, de teor tão inovador quanto desafiador para todos os intelectuais atuais, os CADERNOS assumem, definitivamente, seu lugar enquanto um periódico que, há mais de dez anos (2009-2021), trata de uma discussão conceitual que tem ajudado a todos a nos aproximar de questões de ordem política, teórica e cultural que diferenciam a diversalidade chamada América Latina. Espera-se, por conseguinte, que com a proposta da Crítica Biográfica Fronteiriça (2021.1) os CADERNOS não apenas ratifiquem suas escolhas temáticas como mostram todos os volumes anteriores, como também proporcionem um espaço a mais para aqueles intelectuais que não se acostumaram em ficar simplesmente repetindo e endossando teorias advindas dos grandes centros hegemônicos do mundo globalizado para produzir. Nesse sentido, a rubrica de “Crítica biográfica fronteiriça” pode propiciar a todos um espaço escavado na exterioridade para que se possa compreender os mundos a partir de epistemologias outras que não apenas a moderna.

Prazo de submissão: de 1º de maio de 2021 a 15 de agosto de 2021.

Publicado: 2022-10-28

Artigos

Ver Todas as Edições

Os CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS (ISSN 2763-888X) – visa a cumprir os objetivos que fazem parte de seu projeto editorial, entre os quais destaco os mais significativos: 1) dar continuidade às discussões realizadas no espaço da disciplina obrigatória Literatura Comparada: fundamentos, do Programa de Pós-graduação – Mestrado em Estudos de Linguagens – UFMS; 2) criar um espaço para o debate crítico, tendo por base os ensaios críticos dos intelectuais convidados p participar dos Cadernos; 3) oportunizar os mestrandos, que desenvolvem projetos sobre a Cultura Local, ou cultura latino-americana, que tornem públicas suas pesquisas acadêmicas; 4) discutir com mais propriedade intelectual a cultura local fronteiriça do Estado de Mato Grosso do Sul (Brasil, Paraguai, Bolívia); 5) incentivar o intercâmbio cultural entre o Estado de Mato Grosso do Sul (Brasil) e seus dois países lindeiros (Paraguai e Bolívia); repensar em conjunto as divergências e convergências instauradas em torno da diversidade cultural que diferencia a cultural local Sul-mato-grossense, assim como em um pseudo-conceito de cultura que quase sempre o Estado quer fazer prevalecer.

Para melhor atender aos objetivos que originaram a ideia dos Cadernos, os mesmos são de natureza temática; justificando, inclusive, o título: Cadernos.

O leitor deste caderno terá a oportunidade de estabelecer redes comparativas e interpretativas entre os ensaios (seguidos de uma Resenha Crítica) que, ao final, lhe proporão mais lucidez crítica sobre o pensamento contemporâneo. Por fim, e o mais importante, agradeço a todos os amigos, professores, críticos, orientandos, intelectuais, que contribuíram para que o Projeto dos Cadernos se tornasse possível.

A revista é coordenada pelo professor Dr. Edgar Cézar Nolasco, professor do Curso de Letras (UFMS) e da pós-graduação Mestrado em Estudos de Linguagens (PPGEL/UFMS), presidente do Núcleo de Estudos Culturais Comparados (NECC).

Os artigos, ensaios & resenhas publicadas nos Cadernos de Estudos Culturais contemplam duas edições por ano, uma no primeiro semestre e outra no segundo.

  • NOSSO QUALIS:

QUALIS C, área de Linguística e Literatura, quadriênio 2013-2016.

QUALIS C, área de Educação, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B2, área Interdisciplinar, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B4, área Antropologia/Arqueologia, quadriênio 2013-2016.

QUALIS C, área Biotecnologia, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B3, área Ciências Ambientais, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B3, área Comunicação e Informação, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B5, área Direito, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B5, área Geografia, quadriênio 2013-2016.

QUALIS C, área História, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B2, área Planejamento Urbano e Regional/Demografia, quadriênio 2013-2016.

QUALIS C, área Psicologia, quadriênio 2013-2016.

QUALIS B5, área Sociologia, quadriênio 2013-2016.

A capa e todos os CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS são criadas e diagramadas pelo professor Dr. Marcos Antônio Bessa-Oliveira.