NARRATIVAS SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA: DESAFIOS E TENSÕES NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

Lourdes Casanova de ALMEIDA, Marta Rodrigues URBIETA, Josué Cabral da SILVA

Resumo


A formação do professor é um desafio na proposta de escola inclusiva, sendo uma atividade de suma importância, posto que a educação é para todos, mas a maioria dos professores não estão preparados para atender estudantes público alvo da educação especial. Um dos desafios fundamentais que emergem da proposta de escola inclusiva é a formação do professor, que para Fávero (2009) é, justamente, o de repensar e ressignificar a própria concepção de educador. Isto porque, o processo educativo consiste na criação e no desenvolvimento de “contextos” educativos que possibilitem a interação crítica e criativa entre sujeitos singulares, e não simplesmente na transmissão e na assimilação disciplinar de conceitos e comportamentos estereotipados. O Núcleo de Tecnologia Educacional de Aquidauana, órgão ligado a Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul, propõe a formação continuada “o uso das tecnologias assistivas na prática pedagógica”, enfatizando a ação e a prática como processos de seleção e construção de conhecimentos por meio da produção simultânea, sequência didática interdisciplinar que priorizaram reflexões e debates sobre a inclusão/exclusão. É importante ressaltar que o professor busque conhecimento para que assim, possa distinguir os problemas para apresentar melhor alternativa de assimilação. Neste viés a formação continuada para inserção das tecnologias assistivas no meio acadêmico é imprescindível para a dinamização do processo de ensino e aprendizagem.

Palavras-chave


Inclusão. Formação de professores. Prática pedagógica.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial. Projeto Escola Viva: Garantindo o acesso e permanência de todos os alunos na escola: Alunos com necessidades educacionais especiais - Adaptações Curriculares de Grande Porte, Brasília: MEC/SEESP, 2005, vol. 5.

BRASIL. Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto nº 6.253, de 13 de novembro de 2007. Brasília, 2008 a. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/D6571.htm >. Acesso em: 08 junho 2016.

BERSCH. Rita. Introdução à Tecnologia Assistiva. Porto Alegre; 2013. Disponível em: . Acesso em 04 de junho de 2016.

CENSO ESCOLAR. Disponível em: . Acesso em: 25 de junho de 2015.

CORREIA, L. de M. Alunos com necessidades educativas especiais nas classes regulares. Porto, Portugal: Porto, 1999.

COSTA, A. C. M.; OLIVEIRA, M. C. As políticas públicas de educação infantil no contexto do neoliberalismo. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 10, p. 89-97, jan./dez. 2011

FÁVERO, Osmar et al. (Org.) Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO, 2009.

FAZENDA, Ivani C. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. São Paulo: Loyola, 1979. Disponível em: < http://www.pucsp.br/gepi/downloads/PDF_LIVROS_INTEGRANTES_GEPI/livro_integracao_interdisciplinaridade.pdf> Acesso em 25 de julho de 2016

GADOTTI, Moacir. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem.Disponível em : Acesso em 25 de julho de 2016

JANUZZI, Gilberta de Martinho. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. Campinas. Autores Associados, 2004. Coleção Educação Contemporânea.

MRECH, L. O que é educação inclusiva? Revista Integração. MEC: Brasília, v. 8, n.20, p. 37- 39, 1998.

ROCHA, Carlos Alves, CORTELAZZO, Iolanda B. C. . Necessidades Especiais, Docência e Tecnologias. In: I Fórum de Tecnologia e inclusão social da pessoa deficiente, 2006, Belém PA. Anais - Trabalhos apresentados. Belém PA, UEPA, 2006. v. 1. p. 151-160.

SUZANO, Marilda. Gerenciamento e Estratégia na Inclusão de alunos com Deficiência. Curso Planejamento Pedagógico e Gestão. Faculdades Integradas SIMONSEN, 21 jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 06 de junho de 2016.

UNESCO, Declaração de Salamanca, Linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: Corde, 1994.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ZOÍA, A. Todos iguais, todos desiguais. In: ALMEIDA, D. B. de (Org). Educação: diversidade e inclusão em debate. Goiânia: Descubra, 2006. p. 13-25.

______. Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. Pessoa Portadora De Deficiência: Legislação Federal Básica. Brasília: CORDE, 2007. Disponível em: http://www.icepbrasil.com.br/portal/midia/download/legislacao_basica_pcd.pdf>. Acesso em: 19 de julho de 2016.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Outras informações podem ser obtidas exclusivamente pelo e-mail revistagepfip@gmail.com

REVISTA DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES- GEPFIP - ISSN 23595051 (Publicação online)

A/C Profa. Ana Lúcia Gomes da Silva (Editora-chefe)

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/CPAQ

Praça Nossa Senhora da Conceição, 163, Centro - CEP: 79200-000 - Aquidauana/ MS

Telefone: +55 (67) 3241 0312