QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO DE PROFESSORES DE UM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL MUNICIPAL DE AQUIDAUANA/MS

Mayara de Lima SALVADOR, Helen Paola Vieira BUENO

Resumo


O artigo investiga fatores da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) de professores em um Centro de Educação Infantil (Cmei) na cidade de Aquidauana/MS. A QVT dialoga com noções como motivação, satisfação e saúde-segurança no trabalho (Sato, 1999) e também é determinada por fatores psicológicos, como grau de criatividade, de autonomia, de flexibilidade de que os trabalhadores podem desfrutar ou, fatores organizativos e políticos, como a quantidade de controle pessoal sobre o trabalho ou a quantidade de poder que os trabalhadores podem exercitar sobre o ambiente circundante a partir de seu posto de trabalho (Ciborra; Lanzara, 1985). Diante desta problemática, realizou-se uma pesquisa com professores de um Cmei para investigar possíveis fatores que contruibuem para a (QVT) desses docentes. As perguntas das entrevistas sobre QVT foram divididas em seis campos, a saber: compensação justa e adequada; condições de trabalho e segurança; utilização e desenvolvimento de capacidades; integração social na organização e trabalho em equipe; direitos, deveres e tomada de decisão e trabalho e espaço total de vida. A análise dos dados que foram obtidos nas entrevistas demonstrou que, de um modo geral, os professores possuem uma boa QVT, contudo nota-se que sentem a necessidade de melhoramento em alguns fatores como a jornada de trabalho, um salário justo para a função e gestores mais capacitados para gerir o trabalho.

Palavras-chave


Professores. Qualidade de Vida no Trabalho. Educação Infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Rosana Márcia Rolando; ALMEIDA, Sandra Francesca Conte de. Mal-estar na educa¬ção: o sofrimento psíquico de professores. Curitiba: Juruá, 2008.

ALVES, M. G. de M. et al. Modelo demanda-controle de estresse no trabalho: considerações sobre diferentes formas de operacionalizar a variável de exposição. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 31(1), 208-212, 2015. doi: 10.1590/0102-311X00080714.

ANDRADE, Patrícia Santos de; CARDOSO, Telma Abdalla de Oliveira Prazer e dor na docência: revisão bibliográfica sobre a síndrome de burnout. Saúde Soc. São Paulo, v.21, n.1, p.129-140, 2012.

ARAÚJO, T. M. et al. Saúde e trabalho docente: dando visibilidade aos processos de desgaste e adoecimento docente a partir da construção de uma rede de produção coletiva. Educ Rev. 2003;37:183-212.

BARBOSA, Andreza. Os salários dos professores brasileiros: implicações para o trabalho docente. Brasília: Liber Livro, 2011.

CARVALHO, Marília Pinto de. No coração da sala de aula: gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999.

CIBORRA, Claudio; LANZARA, Giovan Francesco (orgs.) Progettazione delle tecnologie e qualita del lavoro. Franco Angeli Editore, Milão. 330 pp. 1985.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos: o capital humano das organizações. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

DELFINO, Patrícia dos Santos; SOUZA, Hélio José dos Santos. A qualidade da educação infantil. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, Bebedouro-SP, 1 (1): 151-164, 2014.

FERNANDES, Claudia; PEREIRA, Anabela. Exposição a fatores de risco psicossocial em contexto de trabalho: revisão sistemática. Rev Saúde Pública. 50:24, 2016.

GECO, Patrícia Bitencourt Toscani. et al. Utilização do modelo demanda-controle de Karasek na América Latina: uma pesquisa bibliográfica. R. Enferm, 1(2), 272-281, 2011.

GORDIA, Alex Pinheiro. et al. Qualidade de vida: contexto histórico, definição, avaliação e fatores associados. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, Ponta Grossa, 2011. v. 3, n. 1, p. 40-52, jan./jun. 2011.

GREENHAUS, Jeffrey H.; BEUTELL, Nicholas J. Sources of conflict between work and family roles. The Academy of Management Review, 10(1), 76-88, 1985.

LIPP, Marilda; ROCHA, João Carlos. Stress, hipertensão e qualidade de vida. Campinas: Papirus, 1996.

MARTINS, Elita Betania de Andrade. Formação de professores e autonomia docente: algumas reflexões. Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery. N. 9, 2010.

MARTINS, Maria de Fátima Duarte. et al. O trabalho das docentes da educação infantil e o mal-estar docente: o impacto dos aspectos psicossociais no adoecimento. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 17(2), 281-289, 2014. Doi: https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v17i2p281-289.

MINAYO, Marilia Cecília; HARTZ, Zulmira Maria de; BUSS, Paulo Marchiori. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 5, n.1, 2000, p. 7-18.

MONCADA, Salvador. et al. Manual do método COPSOQ-Istas (versão 2) para a avaliação e prevenção dos riscos psicossociais em empresas. Barcelona, 2014.

PASKULIN, Marcello. Qualidade de vida e stress em professores de uma faculdade privada. Dissertação (mestrado em Psicologia) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2012.

PEREIRA, Érico Felden. et al. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Rev.bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.26, n.2, 241-50,abr./jun.2012

PEREIRA, Patrícia Estela Monteiro. Condições de trabalho e transtornos mentais comuns em professores do ensino fundamental de Avaré – SP. (Dissertação de mestrado). 120 f. Botucatu, SP, 2016.

REIS, Eduardo José Farias Borges dos. et al. Docência e exaustão emocional. Educação e Sociedade, 27(94), 229-253, 2006. doi: 10.1590/S0101-73302006000100011

RIBEIRO, Larissa Alves; SANTANA, Lídia Chagas de. Qualidade de vida no trabalho: fator decisivo para o sucesso organizacional. Revista de Iniciação Científica – RIC Cairu. Vol 02, n° 02, p. 75-96 , ISSN 2258-1166 75. 2015.

RODRIGUES, Marcus Vinicius Carvalho. Qualidade de vida no trabalho: evolução e análise no nível gerencial. 7. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

SATO, Leny. Qualidade de vida. 4 pp. 1999. (Mimeo).

SAYÃO, Deborah Thomé. Relações de gênero na creche. Caxambu, MG: ANPED. G.T Educação das crianças de 0 a 6 anos - G.T. 07, 2002

SILVA, Carlos Fernandes da. COPSOQ: mediação do índice de capacidade humana para o trabalho em trabalhadores portugueses. Aveiro, Portugal: Análise Exacta, 2006.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente hoje: elementos para um quadro de análise. In: Tardiff, M. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas 3.ª edição. Petrópolis: Vozes, 2007, p.15-54.

THEORELL, Töres; KARASEK, Robert. A. Current issues relating to psychosocial job strain and cardiovascular diseasse research. J Occup Health Psychol, 1(1), 9-26, 1996.

Todos Pela Educação. Anuário Brasileiro da Educação Básica (2014). São Paulo: Editora Moderna/Todos pela educação.

VIEIRA, Lívia Fraga; OLIVEIRA, Tiago Grama. As condições do trabalho docente na educação infantil no Brasil: alguns resultados de pesquisa (2002-2012). Revista Educação em Questão, Natal, v. 46, n. 32, p. 131-154 maio/ago. 2013




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Outras informações podem ser obtidas exclusivamente pelo e-mail revistagepfip@gmail.com

REVISTA DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES- GEPFIP - ISSN 23595051 (Publicação online)

A/C Profa. Ana Lúcia Gomes da Silva (Editora-chefe)

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/CPAQ

Praça Nossa Senhora da Conceição, 163, Centro - CEP: 79200-000 - Aquidauana/ MS

Telefone: +55 (67) 3241 0312