Uma reflexão sobre linguística e semiótica em tempos de pandemia

  • Elaine Cristina de Queiroz Silva UFMS
  • Sueli Maria Ramos da Silva UFMS
Palavras-chave: Linguística, Semiótica, Mudança linguística, Variação linguística, Pandemia

Resumo

Este artigo busca realizar uma reflexão teórica sobre os conceitos da Linguística Geral e da Semiótica anelados à abordagem temática da pandemia de COVID-19. Considerando a língua como fato social e suas diferentes realidades, esta pesquisa se propõe a demonstrar que, em meio à crise sanitária mundial, os diversos discursos elaborados advindos dos meios digitais disseminam e exemplificam dados que corroboram com os conceitos de arbitrariedade dos signos e a não estabilidade da língua. Sendo assim, os discursos trazem à lume processos de mudança linguística, as variações sincrônicas, como os neologismos, que oportunizam um novo sentido ao discurso.  A pesquisa de cunho bibliográfico se apoia no ferramental teórico de autores como Saussure (2018), Greimas (2020), Hjelmslev (1975), Landowski (2017) e Barros (2020).

Biografia do Autor

Sueli Maria Ramos da Silva, UFMS

Doutora em Semiótica e Linguística Geral- FFLCH-USP, Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em    Estudos de Linguagens (PPGEL) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. E-mail: sueli.silva@ufms.br

Referências

BARBOSA, Maria Aparecida. Aspectos da dinâmica do neologismo. Língua e Literatura. São Paulo, FFLCH-USP, n. 7, p. 185-208, 1978.

BAGNO, Marcos. Língua, linguagem, linguística: pondo os pingos nos ii. 1ª ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Parábola Editorial, 2020. E-book.

BARTHES, Roland. Elementos de semiologia. Tradução de lzidoro Blikstein. Editora da USP. São Paulo: Cultrix, 1971.

BOULANGER, Jean-Claude. Sur l’existence des concepts de “néologie” et de “néologisme”. Propos sur un paradoxe lexical et historique, dans Maria Teresa Cabré, Actes del I Congrès Internacional de Neologia de les Llengües Româniques, Barcelone, Institut Universitari de Lingüistica Aplicada, p. 31-73. Disponível em: <https://boulanger.recherche.usherbrooke.ca/document-article-boulanger_2010> Último acesso em: 20 abril 2021.

DEPECKER, Loïc. Compreender Saussure a partir dos manuscritos. Tradução de Maria Ferreira. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2012.

DIETHELM, Pascal; MCKEE Martin. Denialism: what is it and how should scientists respond? European Journal of Public Health, Volume 19, Issue 1, January 2009, Pages 2–4. Disponível em: <https://doi.org/10.1093/eurpub/ckn139>. Último acesso em: 23 março 2021.

DOSSE, François. A História do Estruturalismo: O campo do signo – 1945/1966. vol. 1; trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Ensaio; Campinas, SP: Editora da Universidade Estadual de Campainhas, 1993.

DURKHEIM. Émile. As regras do método sociológico. Tradução Paulo Neves. Revisão Tradução Eduardo Brandão. 3ª Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FARACO, Carlos Alberto. Linguística Histórica. Uma introdução ao estudo da história das línguas. 1ª ed. 5a. reimpressão. São Paulo: Ed. Parábola, 2017.

FEITOSA JR, Alessandro; OLIVEIRA, L.; MIOTTO, R. 2020, um ano vivido pelas telas. Disponível em: <https://g1.globo.com/retrospectiva/2020/noticia/2020/12/15/2020-um-ano-vivido-pelas-telas.ghtml> 15 dezembro 2020. Último acesso em: 23 março 2021.

FONTANILLE, Jacques. Práxis e enunciação: Greimas herdeiro de Saussure. Tradução de Raíssa Medici. Gragoata, v. 22 n. 44, 2017. Disponível em: <https://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/33545>. Último acesso em: 17 setembro 2020.

GREIMAS, Algirdas Julien. O contrato de veridicção. Acta Semiótica et Lingvistica. Revista Internacional de Semiótica e Linguística. V. 2, nº 1. 1978. Disponível em: <https://www5.pucsp.br/cps/downloads/biblioteca/2016/greimas__a__j__o_contrato_de_veridic_ao__.pdf> Último acesso em: 19 outubro 2020.

_________& COURTÉS, Joseph. Dicionário de semiótica. 2ª ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2020. HJELMSLEV, Louis. Prolegômenos a uma teoria da linguagem. São Paulo: Perspectiva, 1975 [1961]

LANDOWSKI, Eric. Com Greimas. Interações Semióticas. 1ª ed. São Paulo: Ed. Estação das Letras e Cores, 2017.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O cru e o cozido: Mitológicas, trad. Beatriz Perrone-Moisés, São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

LOPES, Edward. Discurso, texto e significação. Uma teoria interpretante. São Paulo: Cultrix: Secretaria da Cultura, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, 1978.

_______. Fundamentos da linguística contemporânea. 18ª ed. São Paulo: Ed. Cultrix. 2003.

MEILLET. Antoine. A evolução das formas gramaticais. 1ª ed. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Ed. Parábola: 2020.

MOREIRA, Fernando; LOPES, Joyce. Entrevista com a profa. Dra. Diana Luz Pessoa de Barros: a estratégia enunciativa nos discursos de ódio que marcam ambientes políticos e sociais na contemporaneidade. Caderno de Campo: Revista de Ciências Sociais. Nº 28. Set 2020. Disponível em: <https://periodicos.fclar.unesp.br/cadernos/article/view/14184>. Último acesso em: 17 outubro 2020.

PAIS, Cidmar T. Manual de Linguística. Petrópolis: Ed. Vozes, 1979.

PIETROFORTE, Antônio V. Seraphim. A língua como objeto da linguística. In: Introdução à linguística [S.l: s.n.], 2002.

SAUSSURE, Ferdinand de. Escritos de Linguística Geral. Organizados e editados por Simon Bouquet e Rudolf Engler. São Paulo: Cultrix, 2004.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. 28ª ed. 5ª reimpressão. São Paulo: Cultrix, 2018 [1916].

TOLEDO, Karina. Negacionismo científico: a produção política e cultural de desinformação. Agência FAPESP. 02 setembro 2020. Disponível em: <https://agencia.fapesp.br/negacionismo-cientifico-a-producao-politica-e-cultural-de-desinformacao/34028/>. Último acesso em: 17 outubro 2020.

ZAVAGLIA, Adriana. Glossário de termos ligados à Covid-2019. Glossaire de termes lies à la Covid-19. [recurso eletrônico] / Adriana Zavaglia, Rentara Tonini Bastiello. São Paulo: FFLCH/USP, 2020.

Publicado
2021-06-30
Seção
Artigos - Linguística e Semiótica