UM ESTUDO SOCIOLINGUÍSTICO DA LINGUAGEM DE ADOLESCENTES DE UM CENTRO SOCIOEDUCATIVO

  • Rodrigo Mazer Etto Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Valeska Gracioso Carlos Universidade Estadual de Ponta Grossa

Resumo

O objetivo desse trabalho é identificar os sentidos de alguns termos e expressões presentes na linguagem de adolescentes privados de liberdade de um Centro Socioeducativo, e constatar a possível dicionarização desses itens lexicais no dicionário Houaiss (HOUAISS; VILLAR, 2011). A metodologia de geração e coleta de dados foi realizada sob uma perspectiva qualitativa através da aplicação de um questionário semântico-lexical e de entrevistas narrativas, as quais seguiram orientações de Labov (2008) e Tarallo (2003). Do total de 260 itens coletados, constatou-se que 40 se encontram no referido dicionário com o mesmo sentido atribuído pelos entrevistados; 64 itens se encontram dicionarizados, embora com um sentido diferente do atribuído pelos informantes e 156 itens não se encontram dicionarizados.

Biografia do Autor

Rodrigo Mazer Etto, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Licenciado em Letras Português/Inglês.

Especialista em Língua Portuguesa e Literaturas.

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Ponta Grossa

Valeska Gracioso Carlos, Universidade Estadual de Ponta Grossa
Profa. Dra. do Programa de Pós-Graduação em estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Ponta Grossa

Referências

ALKMIN, Tania. Sociolinguística – Parte I. In: MUSSALIN, F; BENTES, A. C. Introdução à linguística. São Paulo: Cortez, v. 1, 2001, p. 21-47.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. 5ed. São Paulo: Hucitec, 1990.

BENVENISTE, Émile. Estrutura da língua e estrutura da sociedade. In: Problemas de linguística geral II. São Paulo: Cia. Editora Nacional/EDUSP, 1989.

COELHO, Lidiane Pereira; MESQUITA, Diana Pereira Coelho de. Língua, cultura e identidade: conceitos intrínsecos e interdependentes. Entre Letras, v. 4, n. 1, 2013.

CHOMSKY, Noam. Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge, Massachusetts, the MIT Press, 1965.

______. Conhecimento da História e construção teórica na Linguística Moderna. In: DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, v. 13. SPE, 1997, p. 133-155.

EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. São Paulo: UNESP, 2005.

GÜNTHER, Hartmut. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? In: Planejamento de Pesquisa nas Ciências Sociais, nº 07. Brasília: UnB, Laboratório de Psicologia Ambiental, 2006. Disponível em: www.psi-ambiental.net/pdf/07QualQuant. pdf. Acesso em: 17 DE JUN. DE 2018.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro. Dicionário Houaiss Conciso. São Paulo: Moderna, 2011.

HODSON, Thomas. Sociolinguistics in India. In: Man in India, v. 19,1939, p. 94-98.

JAKOBSON, Roman. Relações entre a ciência da linguagem e as outras ciências. Lisboa: Bertrand, 1973.

LABOV. William. Padrões sociolinguísticos. Tradução de Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

POSSENTI, Sírio. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: Mercado de Letras, 1997.

PRETI, Dino. A gíria e outros temas. São Paulo: T.A. Queiroz Edusp,1984.

REMENCHE, Maria de Lourdes Rossi. As criações metafóricas na gíria do sistema penitenciário do Paraná. 2003. 107 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

SAPIR, Edward. Linguística como ciência: uma introdução. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1987 [1947].

SAUSSURE, Ferdinand. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

TARALLO, F. A pesquisa sociolinguística. São Paulo, Ática, 2003.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006.

Publicado
2019-06-17
Seção
Artigos - Linguística e Semiótica