Artigo Original:<br>Cicatrização de feridas e efeitos anti-inflamatórios do extrato etanólico de Tropaeolum pentaphyllum em camundongos. PECIBES, 1, 29-33, 2015.

  • Diana Figueiredo de Santana Aquino Federal University of Grande Dourados, College of Health Science, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil
  • Ana Claudia Piccinelli Federal University of Grande Dourados, College of Health Science, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil
  • Alexsandra Villamaior de Souza Federal University of Grande Dourados, College of Health Science, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil
  • Marcelo Fossa da Paz Federal University of Grande Dourados, College of Ambiental and Biological Science, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil
  • Maria Élida A. Stefanello Federal University of Paraná, Department of Chemistry, Curitiba, Paraná, Brazil
  • Aline Lima de Barros Federal University of Grande Dourados, College of Health Science, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil
  • Ubirajara Lanza Júnior Federal University of Grande Dourados, College of Health Science, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brazil
  • Candida Aparecida Leite Kassuya Editora associada em Farmacologia - Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD, Dourados - MS, Brasil.

Resumo

A planta Tropaoelum pentaphyllum (Tropaeolaceae), é conhecida e nominada popularmente em certas regiões brasileiras como crem, batata-crem capuchinha, flor-de-sangue. Suas raízes são utilizadas na medicina popular da região sul do Brasil, como anti-inflamatórias. No entanto, relatos sobre a atividade anti-inflamatória desta planta são escassos na literatura. Os objetivos deste trabalho foram avaliar o potencial biológico do extrato etanólico das raízes de T. pentaphyllum (EETP) em modelos experimentais de inflamação tais como: cicatrização de feridas excisionais, edema de pata e pleurisia em camundongos. O tratamento com EETP reduziu de maneira mais efetiva o tempo necessário para a cicatrização das lesões excisionais, quando comparado ao grupo tratado com iruxol. No teste de edema da pata induzido pela injeção de carragenina, a administração de EETP reduziu essa condição fisiopatológica de maneira dose dependente. Apenas o tratamento com a maior dose de EETP (500mg/kg) foi capaz de reduzir significativamente os eventos fisiopatológicos observados durante a pleurisia. Este estudo sugere que os tubérculos da T. pentaphyllum podem dar origem a um promissor fitoterápico anti-inflamatório. 

Biografia do Autor

Candida Aparecida Leite Kassuya, Editora associada em Farmacologia - Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD, Dourados - MS, Brasil.

Área: estudo anti-inflamatório, analgésico e antidepressivo de doenças crônicas e controle farmacológico através de plantas medicinais

Faculdade de Ciências da Saúde

Universidade Federal da Grande Dourados

Publicado
2015-11-27