Resumo: <br>Avaliação da integridade genética, imunomodulação e indução de apoptose pelo ácido ácido(Z)-4-((4-il-1,5-dimetil-3-oxo-2-fenil-2,3-di-hidro-1H-pirazol)amino)-4-oxobut-2-enoico e efeitos quando associado a quimioterápicos comerciais. PECIBES

  • Rodrigo Juliano Oliveira
  • Naiara da Cruz Leite
  • Beatriz Carneiro de Oliveira
  • Claudia Rodrigues Berno
  • João Renato Pesarini
  • Ingridy Ostaciana Maia Freitas da Silveira
  • Andreia Conceição Milan Brochado Antoniolli-Silva
  • Antônio Carlos Duenhas Monreal
  • Adilson Beatriz
  • Denis Pires de Lima
  • Roberto da Silva Gomes

Resumo

O aumento da incidência de câncer e os altos custos de tratamento estimulam a busca por novo compostos para uso na prevenção, tratamento bem como em tratamentos coadjuvantes. Diante do exposto, o presente estudo avaliou o ácido (Z) -4-((4-il-1,5-dimetil-3-oxo-2-fenil-2,3-di-hidro-1H-pirazol) amino)-4-oxobut-2-enóico (IR- 001) quanto à integridade genética, atividade imunomodulatória e indução apoptose bem como seus efeitos em associação com os quimioterápicos comerciais doxorrubicina, cisplatina e ciclofosfamida. Esse composto foi planejado e sintetizado com base em dois radicais, um deles, a 4-aminoantipirina que é descrito como efetivo antioxidante e antinflamatório e o outro 1,4-dioxo-2butenil que é um efetivo agente citotóxico. Os resultados indicaram que o IR-001 é um efetivo quimioprotetor por não ser mutagênico e apresentar boa capacidade antigenotóxica (até 94,15%), antimutagênica (até 92,49%), imunomodulatória (aumenta a fagocitose esplênica e a frequência de linfócitos) e apoptótica (em até 3,89x). No entanto, o seu uso como adjuvante no tratamento com doxorrubicina, cisplatina e ciclofosfamida são desencorajados uma vez que o IR-001 causa redução das lesões genéticas e apoptose induzidas por esses quimioterápicos.
Publicado
2017-09-20