Resumo: <br>Novos derivados retinoides induzem morte por apoptose e parada de ciclo celular na linhagem de câncer de mama MCF-7. PECIBES, supl.1, 31, 2015

  • Natan de David
  • Rodrigo Juliano Oliveira
  • Maria de Fátima de Cepa Matos
  • Maria Tereza Ferreira Duenhas Monreal
  • Andreia Conceição Milan Brochado Antoniolli-Silva
  • Eliane Borges de Almeida
  • Fabricio Garmus Sousa
  • Adriano Cesar de Morais Baroni
  • Renata Matuo

Resumo

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum de câncer no mundo e o mais comum entre as mulheres. Os retinoides são derivados naturais e sintéticos da vitamina A capazes de promover diferenciação, apoptose e controle de proliferação em linhagens tumorais. A proposta deste trabalho foi avaliar o potencial citotóxico de duas novas moléculas retinoides e sua associação a doxorrubicina na linhagem tumoral MCF-7. A citotoxicidade dos compostos foi avaliada juntamente com sua capacidade de induzir danos ao DNA, paradas de ciclo celular e apoptose, por meio dos ensaios de MTT, cometa, ciclo celular por citometria de fluxo e ensaio morfológico de apoptose. Foram avaliados tratamentos com períodos curtos de exposição (4h) seguidos ou não de recuperação em meio livre de droga (4h+16h). Os resultados demonstraram que os compostos diminuem a viabilidade celular e apresentam efeito aditivo quando combinados com a doxorrubicina. Em períodos curtos de exposição causam morte celular por apoptose, sendo que o mecanismo de morte não está relacionado com danos no DNA. No entanto, a associação com a doxorrubicina potencializa os danos ao DNAinduzidos pelo quimioterápico. Ambos retinoides demonstram pronunciado efeito sobre o ciclo celular, induzindo paradas em G1. Os retinoides avaliados neste trabalho são capazes de diminuir a viabilidade celular da linhagem MCF-7 por um mecanismo que não envolve lesão ao DNA celular, apresentando efeito aditivo quando combinados com a doxorrubicina. Estas observações levantam a possibilidade de que doses farmacológicas de retinoides podem ter benefício clínico no tratamento de câncer de mama.
Publicado
2017-09-20