Artigo Original: <br>Prevenção da Dengue: Experiências Escolares. PECIBES, 66-73, 2017.

  • Edilaine Lemes da Silva
  • Beatriz Alves Almeida
  • Cláudia Nunes Santos-Barbosa
  • Silvia Cordeiro das Neves Editoração, Programa de Mestrado em Farmácia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Campo Grande - MS, Brasil
  • Willian Ayala Correa
  • João Renato Pesarini
  • Rodrigo Juliano Oliveira

Resumo

A dengue é uma importante questão de saúde pública e as campanhas de prevenção e combate, geralmente, veiculadas na televisão e no rádio são pouco efetivas. Experiências atuais demonstram que usar o espaço escolar para esse tipo de campanha é uma boa alternativa. Assim, a presente pesquisa utilizou o recurso da construção de armadilhas para o vetor da dengue para discutir o tema prevenção da dengue, conhecer as percepções dos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental e verificar as possíveis mudanças de postura sobre o tema. A pesquisa teve duas fases: (I) aplicação de um questionário para conhecer as percepções dos alunos, intervenção com aula expositiva, apoiada em recursos didáticos, e reaplicação dos questionários; e (II) confecção de armadilhas para o mosquito da dengue seguida de discussão diária sobre a prevenção e combate a dengue. Os resultados demonstraram que a aula expositiva foi eficiente em mudar as percepções dos alunos menos em relação ao fato de que o ácido acetilsalicílico não deve ser usado por pessoas com dengue e sobre os atos de prevenção e combate a essa doença. Isso levou a segunda fase da confecção das armadilhas pelos alunos que determinou mudança significativa na sua postura cotidiana para com os cuidados desprendidos com atividade prática bem como para a sua compreensão do que fazer para prevenir a dengue e erradicar o mosquito transmissor e seus criadouros. Frente ao exposto considera-se que as atividades práticas sejam uma abordagem importante para a aquisição de conhecimentos e mudança de hábitos.

Publicado
2017-11-29
Seção
Artigos Originais