Etnomatemática e Povos indígenas de Rondônia: processos de mecanismo de controle e contraconduta

  • Jonatha Daniel dos Santos
Palavras-chave: Etnomatemática, Povos Indígenas, Mecanismo de Controle, Contraconduta, Rondônia.

Resumo

O trabalho tem como objetivo apresentar os resultados de uma investigação que procurou analisar os saberes Etnomatemáticos de estudantes/professores indígenas da Amazônia em um curso de formação de professores indígenas na Universidade Federal de Rondônia.  O referencial teórico é apoiado na Etnomatemática concebida na interlocução com as formulações de Foucault. O material de pesquisa consiste em entrevistas realizadas com seis estudantes/ professores indígenas na cidade de Ji-Paraná/RO, região Norte do Brasil. Os principais resultados da pesquisa, por meio de entrevista narrativa,  indicam que a Etnomatemática se constituiu enquanto mecanismo de controle e contraconduta na formação docente dos estudantes/ professores indígenas no que se refere aos saberes Etnomatemáticos desses povos bem como uma ferramenta para subversão da docência frente às diretrizes governamentais que regem a Educação Escolar Indígena no estado de Rondônia. 

Biografia do Autor

Jonatha Daniel dos Santos
Doutorando em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Mestre em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Licenciado em Matemática pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR

Referências

ANDRADE, S. S. A entrevista narrativa ressignificada nas pesquisas educacionais. In: MEYER, D.E.; PARAÍSO, M. A. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza edições, 2012.

BAMPI, L. Governo etnomatemático: tecnologias do multiculturalismo. 2003. 200f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação, 2003.

BELLO, S.E. L. Etnomatemática no contexto guarani-Kaiowá: reflexões para a educação matemática. In: FERREIRA, M. K. L. (Org.). Idéias Matemáticas de Povos Culturalmente Distintos. 1. ed. São Paulo: FAPESP/MARI-USP/Global Editora, 2002.

_________________. Educação Matemática, Culturas e Linguagens. Reflexão em Ação, Santa Cruz do Sul,v.20,n.2, p.01-05. 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF:Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL, Ministério da Educação. Lei nº 9394/96. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da educação. MEC. Distrito Federal, 1996.

BRASIL. Fundação Universidade Federal de Rondônia. Projeto Pedagógico do Curso: Licenciatura em Educação Básica Intercultural. Campus de Ji-Paraná, 2008.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 3.ed. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2009.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

_____. A Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

______.História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições

Graal, 1988.

_____. Ditos e escritos: Estratégia, poder- saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, v.4, 2003.

_____. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

_____. A ordem do discurso: aula inaugural no Collége de France, pronunciada em

de dezembro de 1970. 21ª Ed. São Paulo: Loyola, 2011a.

_____.Vigiar e Punir. 39. ed. Petrópolis: Vozes, 2011b.

KNIJNIK, G. Exclusão e Resistência: educação matemática e legitimidade cultural. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

__________. Itinerários da etnomatemática: questões e desafios sobre o cultural, o social e o político na educação matemática. In: KNIJNIK, G.; WANDERER, F.; OLIVEIRA, C. J. (Orgs.). Etnomatemática: currículo e formação de professores. 2.ed. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2010.

___________.; WANDERER, F.; GIONGO, I. M.; DUARTE, C. G. Etnomatemática em movimento. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

___________. Etnomatemáticas en movimiento: perspectiva etnomatemática, sus formulaciones teóricas y ejemplificaciones. Revista Latinoamericana de Etnomatemática, 7(2), 119-131, 2014.

SANTOS, J. D. dos S. Saberes etnomatemáticos na formação de professores indígenas do curso de licenciatura intercultural na Amazônia. 2015. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2015.

VEIGA-NETO, A.; LOPES, M. C. Inclusão como dominação do outro pelo mesmo. VII Colóquio Internacional Michel Foucault, em outubro de 2011.

VEIGA-NETO, A. Foucault & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

Publicado
2018-07-05
Como Citar
SANTOS, J. D. DOS. Etnomatemática e Povos indígenas de Rondônia: processos de mecanismo de controle e contraconduta. Perspectivas da Educação Matemática, v. 11, n. 25, 5 jul. 2018.