Conhecimentos de Alunos Brasileiros e Franceses Relacionados ao Campo Conceitual dos Números Irracionais

  • Veridiana Rezende UNESPAR, Campo Mourão
  • Clélia Maria Ignatius Nogueira Unicesumar, Maringá

Resumo

A presente pesquisa foi desenvolvida com vistas a identificar conhecimentos relacionados aos números irracionais, mobilizados em resolução de atividades matemáticas, por alunos brasileiros, concluintes do Ensino Fundamental, Médio e Licenciatura em Matemática, e alunos franceses, concluintes de níveis de ensino correspondentes. O motivo de se investigar sujeitos de países distintos decorre do fato de que os currículos da Educação Básica do Brasil e da França apresentam diferenças, especialmente em relação aos irracionais. Como procedimentos metodológicos realizaram-se entrevistas individuais com resolução de atividades matemáticas, que foram filmadas. No decorrer das análises buscou-se identificar os possíveis teoremas em ação falsos mobilizados nas respostas dos alunos. Os resultados apontam que o fato de os números irracionais estarem explícitos ou não nos currículos e livros didáticos não interfere no desempenho dos alunos em relação a esse conceito. Ao contrário, é a experiência escolar e a diversidade de situações matemáticas que eles vivenciam que vai favorecer a aprendizagem relacionada aos números irracionais.

Referências

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília:Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 1999.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação, 1998.

BRONNER, Alain. Connaissances Maliens a propos de la Racine Carrée. Petit X, n. 28, p. 119 a 55, IREM de Grenoble, Grenoble, 1992.

CARRAHER, Terezinha Nunes. O método clínico: usando os exames de Piaget. São Paulo: Cortez, 1989.

DOUADY, Régine. Jeux de cadres et dialectique outil-objet. Recherches en Didactique des Mathématiques, Grenoble : La Pensée Sauvage, vol. 7, n. 2, pp. 5 a 31, 1986.

FRANCE. ProgrammesdesMathématiques. Classe de Seconde. Bulletin Officiel (B. O.) nº 30 du 23 du juillet, 2009. Disponível em:

<http://www.education.gouv.fr/cid28928/mene0913405a.html>. Acesso em: 15 nov. 2011.

FRANCE. Programmes de l’enseignement de Mathématiques. Bulletin Officiel spécial (B. O.) nº 6 du 28 du août, 2008. Programmes du Collège. Disponível em: <http://media.education.gouv.fr/file/special_6/52/5/Programme_math_33525.pdf>. Acesso em: 12 nov. 2011.

NOGUEIRA, C.; REZENDE, V. A teoria dos campos conceituaisno ensino de números irracionais: implicações da teoria piagetiana no ensino de matemática. Schème: Revista eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas. v. 6, n. 1, p. 41-63, 2014.

REZENDE, V. Conhecimentos sobre números irracionais mobilizados por alunos brasileiros e franceses: um estudo com alunos concluintes de três níveis de ensino.(Tese de doutorado). Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2013.

VERGNAUD, G. O que é aprender? In. A aprendizagem Matemática na perspectiva da Teoria dos Campos Conceituais. Org. BITTAR, Marilena, MUNIZ, Cristiano Alberto. Editora CRV, Curitiba, 2009.

_____. La théorie des champs conceptuels. Recherche en Didactique des Mathématiques. Grenoble: La Pensée Sauvage, v. 10, n. 2.3, p. 133-170, 1990.

Publicado
2014-12-20