FOUCAULT E O NASCIMENTO DA CIÊNCIA MODERNA A PARTIR DAS PRÁTICAS JURÍDICAS

Palavras-chave: Michel Foucault. Genealogia. Inquérito. Saber-Poder. Verdade

Resumo

Este trabalho analisa como Michel Foucault, através de uma pesquisa de perspectiva genealógica, mostra a emergência das formas racionais de produção da verdade na Modernidade a partir das práticas judiciárias medievais. As práticas políticas de dominação feudais possibilitaram ao soberano vencedor se apoderar das práticas judiciárias e institucionalizar o Direito como instrumento de poder do Estado. O método investigativo de aferição da verdade inventado para a nova forma jurídica foi o inquérito, inquisitio. Este, então, acabou por tornar-se a forma ou modelo geral de produção da verdade não apenas no campo do Direito e das práticas judiciárias, mas, também, em todas as demais formas de saber racionais, filosóficas e científicas modernas até o Século das Luzes. Tal forma de produção da verdade produziu seus efeitos que são sentidos em grande medida ainda na contemporaneidade.

Biografia do Autor

Jair Antunes, Universidade Estadual do Centro-Oeste

É Professor Associado de Filosofia na Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO-PR. Graduado em História (UEG - 2001) e em Direito (UEPG - 2019). Possui Mestrado (2003), Doutorado (2007) e Pós-Doutorado (2017) em Filosofia pela UNICAMP. Pesquisa e orienta trabalhos de graduação e pós-graduação nas áreas de filosofia, história e ciências jurídicas.

Anderson Prado, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutor em História Latino-Americana pela UNISNOS-RS e professor do IFPR-Irati. Possui graduação em Historia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (2007) e Mestrado em História pela Universidade de Passo Fundo (2010). Tem experiência na área de Teoria da História, Teoria e Filosofia da História, atuando principalmente nos seguintes temas:História e Imprensa; Imigrações; América; História do Trabalho; Educação e História 

Angela Caciano, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Possui graduação em História Licenciatura Plena pela Universidade Estadual do Centro-Oeste-PR. É graduanda no curso de Bacharelado em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa e mestranda no programa de mestrado profissionalizante em História, ProfHistória, pela Universidade Estadual de Ponta Grossa; é especialista em filosofia no Ensino Médio pela UFPR; possui experiência como professora, na área de História, junto a Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Atualmente possui vínculo como bolsista da Fundação Araucária no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), no período 2019/2020.

Referências

ANTUNES, J.; DA COSTA, L. R.; PRADO, A. (Orgs.). Foucault e histórias de poder. São Paulo: Editora Todas as Musas, 2019.

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Trad. Roberto Machado e Eduardo J. Morais; supervisão final Léa P. A. Novaes et al. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2003, 160p.

FOUCAULT, M. La vérité et les formes juridiques. In: Dits Ecrits, tome II, texte 139. http://1libertaire.free.fr/MFoucault194.html. Acesso em 15/01/2019.

FOUCAULT, M. Nietzsche a genealogia e a história. In: Microfísica do poder. Org. e trad. Roberto Machado; 27ª reimpressão. Rio de Janeiro: Graal, 2009a, pp. 15-37.

FOUCAULT, M. Genealogia e Poder. Aula do Collège de France de 07/01/1976. In: Microfísica do poder. Org. e trad. Roberto Machado; 27ª reimp. Rio de Janeiro: Graal, 2009b, pp. 167-177.

FOUCAULT, M. Soberania e Disciplina. Aula do Collège de France de 14/01/1976. In: Microfísica do poder. Org. e trad. Roberto Machado; 27ª reimpressão. Rio de Janeiro: Graal, 2009c, pp. 179-191.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão; trad. Raquel Ramalhete. 42ª edição. Petrópolis-RJ: Vozes, 2014.

HEGEL, F. A Razão na história: introdução à filosofia da história universal. Trad. de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1995.

MACHADO, R. Foucault, a ciência e o saber. 3ª ed. rev. e ampliada. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

MACHADO, R. Nietzsche e a verdade. 2ª edição. Rio de Janeiro: Graal, 2002.

MORAIS, R. M. de O. Direito e verdade em Michel Foucault. In: Revista Direito e práxis. Vol. 5, nº 8, 2014, pp. 284-314. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/9979. Acesso em 18/01/2109.

NIETZSCHE, F. Genealogia da Moral. Uma polêmica. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Cia das Letras, 2009.

NIETZSCHE, F. Zur Genealogie der Moral. Eine Streitschrift. Leipzig: Verlag von C. G. Neumann, 1887. Disponível em: http://www.nietzschesource.org/#eKGWB/GM. Acesso em 15/01/2019.

PETERS, M. Pós-estruturalismo e filosofia da diferença. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SILVA, F. L. Descartes: a metafísica da modernidade. 2ª edição. São Paulo: Moderna, 2005.

VEYNE, P. Foucault revoluciona a história. In: Como se escreve a história. Trad. de Alda Baltar e Maria A. Kneipp. 3ª edição. Brasília: Editora da UnB, 1995.

VILLEY, M. Direito Romano; trad. Fernando Couto. Porto: Rés Editora, 1991.

Publicado
2020-12-20
Como Citar
Antunes, J., Prado, A., & Caciano, A. (2020). FOUCAULT E O NASCIMENTO DA CIÊNCIA MODERNA A PARTIR DAS PRÁTICAS JURÍDICAS. Eleuthería - Revista Do Curso De Filosofia Da UFMS, 5(09), 39 - 57. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/reveleu/article/view/10514
Seção
Artigos