Apontamentos iniciais sobre a História oral como metodologia de pesquisa

  • Adriano Mamedes Silva Nascimento Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS
  • Thiago Pedro Pinto UFMS

Resumo

O texto trata-se de apontamentos iniciais para se trabalhar com a História Oral – HO como metodologia de pesquisa na perspectiva dos textos: História oral em educação matemática: um panorama sobre pressuposto e exercícios de pesquisa (GARNICA, 2015) e o texto: Oral History as Inspiring Pedagogy for Undergraduate Education (DAVEY & WELDE & FOOTE, 2016). Na sequência, é apresentado o significado do termo história oral, segundo Meihy & Holanda (2007), a formação do grupo de pesquisa História Oral e Educação Matemática (GHOEM) e discutiremos a utilização da HO como metodologia de pesquisa nas propostas de dissertações e teses que utilizam como recurso a HO. Desse modo, é necessário assumir uma postura crítica diante dos fenômenos intrínsecos à pesquisa, pois resgatam as experiências e as práticas vividas por diversas culturas.

Biografia do Autor

Adriano Mamedes Silva Nascimento, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Graduado em Matemática. Mestre em Ensino de Ciências Naturais - UFMT. Doutorando em Educação Matemática – UFMS. Professor efetivo do Instituto Federal de Mato Grosso/Juína. Brasil. Email: amsilvan@hotmail.com.

 

Thiago Pedro Pinto, UFMS

Doutor em Educação para a Ciência – UNESP. Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS. Brasil. Email: thiago.pinto@ufms.br.

Referências

Davey F. & Welde, K. & Foote, N. (2016). Oral History as Inspiring Pedagogy for Undergraduate Education. Retirado em 24 de setembro, 2020, de: https://www.academia.edu/28355651/Oral_History_as_an_effective_pedagogical_practice_in_high_school_Two_examples_of_inspiration_and_engagement.

Garnica, A. V. M. (2015). História oral em educação matemática: um panorama sobre pressuposto e exercícios de pesquisa. Retirado em 24 de setembro, 2020, de: https://revista.historiaoral.org.br/index.php?journal=rho&page=article&op=view&path%5B%5D=559.

Meihy, José Carlos Sebe B. & Holanda, F. (2007). História oral: Como fazer, como pensar. São Paulo. Contexto.

Portelli, A. (1997). Tentando aprender um pouquinho: algumas reflexões sobre a ética na história oral. Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, São Paulo, v. 15, p. 13-49.

Thompson, P. (2002). História oral e contemporaneidade. História Oral, n. 5. São Paulo: ABHO.

Le Goff, J. (2003). História e Memória. 5 ed. Campinas-SP: Unicamp.

Publicado
2020-10-25
Como Citar
Nascimento, A. M. S., & Pedro Pinto, T. (2020). Apontamentos iniciais sobre a História oral como metodologia de pesquisa. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (5), 1-5. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/11193
Seção
Sessões Coordenadas