A Expansão do IMPA Durante o Regime Militar no Brasil

  • Diogo Franco Rios Docente da Universidade Federal de Pelotas, UFPel.

Resumo

O presente trabalho apresenta uma análise histórica a respeito dos processos de expansão e consolidação do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) que ocorreram durante os anos do regime militar no Brasil. Inicialmente, apresentamos brevemente a história da criação desse importante centro de pesquisa matemática brasileira e, em seguida, analisamos as memórias de alguns personagens que participaram do Instituto, especialmente a partir da segunda metade da década de 1960. Para a análise que apresentaremos foram usadas referências da história e da história das ciências, que analisaram, de forma mais ampla, as repercussões desse processo político no desenvolvimento da ciência brasileira. Entre os resultados tem-se a identificação de alguns fatores que contribuíram para a viabilização da expansão e consolidação da Instituição no período indicado.

Referências

BALDINO, R. R. Publicação eletrônica [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 21 jan. 2008.

CLEMENTE, J. E. F. Ciência e política durante a ditadura militar: o caso da comunidade brasileira de físicos (1964-1979). 2005. 237 f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Instituto de Física, UFBA, Salvador, 2005.

DIAS, A. L. M. Engenheiros, mulheres, matemáticos: interesses e disputas na profissionalização da matemática na Bahia, 1896-1968. 2002. 320 f. Tese (Doutorado em História Social) - FFLCH, USP, São Paulo, 2002.

INSTITUTO NACIONAL DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA. IMPA 50 anos. Rio de Janeiro, 2003. 322 p.

MOTTA, R. P. S. As Universidades e o Regime Militar. Cultura política brasileira e modernização autoritária. 1. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2014.

NACHBIN, L. Aspectos da atual política matemática brasileira na pós-graduação. In: ______. Ciência e Sociedade. Curitiba: UFPR, 1996. p. 153-160.

______. Entrevista com professor Leopoldo Nachbin. Entrevistadores: Roberto de Andrade Martins e Hiro Barros Kumasaka. Campinas. UNICAMP, CLE, 1988.

RIOS, D. F. História e Memória da Matemática no Brasil: A saída de Leopoldo Nachbin do IMPA. Salvador, 2008. 144 f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Instituto de Física, UFBA, Salvador, 2008.

RODRIGUES, A. Reminiscências de um ex-diretor: um depoimento de memória. Cadernos de matemática e estatística. Porto Alegre, série C, n. 15, p. 1-15, abr. 1991.

SALMERON, R. A. A universidade interrompida: Brasília 1964-1965. 2. ed. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 2007.

SCHWARTZMAN, S. Um espaço para a ciência: Formação da comunidade científica no Brasil. Brasília, DF: Ministério da Ciência e Tecnologia; Centro de Estudos Estratégicos, 2001.

SILVA, C. M. S. Lélio Itapuambyra Gama e a modernização do ensino da matemática no Brasil. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA, 7, 1999, São Paulo. Anais... São Paulo: EDUSP; Editora UNESP; Imprensa Oficial do Estado, 2001. p. 369-377.

______. A construção de um instituto de pesquisas matemáticas nos trópicos – IMPA. Revista Brasileira de História da Matemática, Rio Claro, v. 4, n. 7, p. 37-67, set. 2004.

SILVA, C. P. A Matemática no Brasil: uma história do seu desenvolvimento. 3.ed. São Paulo: E. Blücher, 2003.

Publicado
2022-01-05
Como Citar
Rios, D. F. (2022). A Expansão do IMPA Durante o Regime Militar no Brasil. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 32-42. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15104
Seção
Mesas redondas - submetidas