A disciplina de Matemática Comercial e Financeira e as legislações do ensino comercial: breve olhar para as quatro primeiras décadas do século XX

  • Sérgio Candido de Gouveia Neto Aluno de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática na Universidade Estadual Paulista – Campus de Rio Claro. Professor na Universidade Federal de Rondônia – Campus de Vilhena.

Resumo

O ensino comercial passou por algumas mudanças na legislação nas quatro primeiras décadas do século XX. Estes documentos quanto os livros didáticos de matemática destinados a este nível de ensino podem nos fornecer importantes informações sobre o que era ensinado ou pelo menos proposto para este nível de ensino. Neste sentido, questiona-se: o que foi proposto nestes textos em termos de conteúdos para os cursos comerciais? Que relações estes conhecimentos tinham com as forças econômicas e políticas vigentes naquele período? Para responder estas questões, o estudo aqui em tela tem como objetivo fazer um mapeamento do que foi proposto nestes documentos para o ensino comercial. Como referencial teórico-metodológico foi utilizado os estudos de Chervel (1990) e Choppin (2004). Os resultados apontam para uma variedade de assuntos propostos para estes cursos, tais como tópicos sobre geometria, álgebra e aritmética. Contudo, para este último caso, nota-se conteúdos mais voltados para a área comercial, tais como juros, descontos, câmbios e outros. Por fim, é apontada a presença de conteúdos nos livros didáticos de matemática que abordavam problemas político-econômicos da época.

Referências

BRASIL. Lei de 15 de novembro de 1827. Do reconhecimento e legalização da dívida pública, fundação da dívida interna e estabelecimento da Caixa de Amortização. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899/lei-38438-15-novembro1827-566772-publicacaooriginal 90262-pl.html. Acesso em: 30 de jun. 2013.

BRASIL. Decreto nº 1.339, de 9 de Janeiro de 1905. Declara instituições de utilidade publica a Academia de Comércio do Rio de Janeiro, reconhece os diplomas por ela conferidos, como de caráter oficial; e dá outras providencias. Disponível em: http://www.camara.gov.br/sileg/integras/214141.pdf Acesso em: 31 de ago. 2013.

BRASIL. Decreto nº 4.724, de 23 de Agosto de 1923. Equipara os diplomas da Academia de Ciências Comerciais de Alagoas e de outras instituições, aos da Academia de Comercio do Rio de Janeiro e dá outras providencias. Disponível em: http://legis.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=45750. Acesso em: 31 de ago. 2013.

BRASIL. Decreto nº 17.329, de 28 de Maio de 1926. Aprova, o regulamento para os estabelecimentos de ensino técnico comercial reconhecidos oficialmente pelo Governo Federal. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1920-1929/decreto-17329-28-maio-1926-514068-republicacao-88142-pe.html. Acesso em: 22 de abr. 2012.

BRASIL. Decreto nº 20.158, de 30 de Junho de 1931. Organiza o ensino comercial, regulamenta a profissão de contador e dá outras providências. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto 20158-30-junho-1931-536778-norma-pe.html. Acesso em: 22 de abr. 2012.

CARVALHO, C. Arithmética Commercial e Financeira. 3. ed. São Paulo: Empresa Editora Brasileira, 1917. 331 p.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação. Porto Alegre, nº 2, p. 177-229, 1990.

CHOPPIN, A. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e pesquisa. São Paulo, v.30, n.3, p. 549 566, set/dez 2004.

FAZOLI FILHO, A. Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado 1902-1992: 90 anos servindo ao ensino comercial e econômico. São Paulo: Letras & Letras, 1992. 114p.

FURTADO, C. Formação econômica cafeeira do Brasil. 24ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1991.

GARCEZ, B. N. O Mackenzie. São Paulo: casa editora Presbiteriana, 1970. 215p.

MARTINS, C. M. Mathematica Financeira. São Paulo: Typographia Siqueira, 1927. 287 p.

PAULA, C. F. Compendio de Arithmetica Commercial. São Paulo: Typ. Livro azul, 1920. 175 p.

POLATO, M. F. A Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) e o ensino comercial em São Paulo (1902-1931). 2008. 99 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

PRADO JR., C. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1979.

VALDEMARIN, V. T. Os sentidos e a experiência: professores, alunos e métodos de ensino. In: SAVIANI, Dermeval (et. al.). O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

VERSIEUX, D. P. Educação profissional agrícola em Minas Gerais no início do século XX e o ensino de adultos pelo método intuitivo. Boletim técnico do SENAC. Rio de Janeiro, v.30, n.3, p. 549 566, set/dez 2004.

Publicado
2022-01-06
Como Citar
Gouveia Neto, S. C. de. (2022). A disciplina de Matemática Comercial e Financeira e as legislações do ensino comercial: breve olhar para as quatro primeiras décadas do século XX. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 383-392. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15138
Seção
Sessões Coordenadas