Relações entre Prosopografia e Etnomatemática: o estudo de trajetórias no mapeamento de práticas de ensino e pesquisa

  • Caroline Mendes dos Passos Docente da Universidade Federal de Viçosa, UFV e doutoranda da Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR.
  • Denise Silva Vilela Docente da Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR e pós-doutoranda PECIM-UNICAMP

Resumo

Como fazer um mapeamento da pesquisa em Etnomatemática no Brasil? Esta questão orienta a escrita do presente texto, que busca uma resposta propondo uma abordagem metodológica denominada prosopografia. Este estudo visa, após estabelecer uma relação entre a etnomatemática e a sociologia da ciência, no que diz respeito ao estudo de trajetórias, mostrar as possíveis interlocuções entre prosopografia e etnomatemática. Tais interlocuções fazem-se necessárias para justificar a opção dessa abordagem – a prosopografia – no encaminhamento e análise dos dados obtidos em uma investigação de doutorado que visa analisar os desdobramentos da formação em etnomatemática no Brasil. Com isso, após uma breve exposição teórica sobre a etnomatemática, apresentaremos os conceitos básicos, e também as características, de um estudo prosopográfico. Em seguida, tomando como base a característica não-metafísica e não-referencial da linguagem da filosofia do segundo Wittgenstein, estabelecemos relações entre a prosopografia e a etnomatemática. Como será visto, ambas destacam a necessidade de considerar as práticas e os interesses sociais e possuem, ao negar a linguagem referencial, características que permitem a utilização da prosopografia no estudo de trajetórias que visam analisar as práticas etnomatemáticas na educação a partir de seus desdobramentos.

Referências

BULST, N. Sobre o objeto e o método da prosopografia. In: Politeia: história e sociedade, volume 05, n. 1, 2005, p. 47-67. Disponível em: http://periodicos.uesb.br/index.php/politeia/article/viewFile/190/211, acessado em 19 de junho de 2014.

CONRADO, A. A pesquisa brasileira em Etnomatemática: desenvolvimento, perspectivas, desafios. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

D'AMBROSIO, U. Gaiolas epistemológicas: habitat da ciência moderna. In: Anais do II Congresso Brasileiro de Etnomatemática Natal, RN, 2004. p. 136-140, 2004.

D'AMBROSIO, U. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Ethnomathematics: states of the arts. In: Symposium on The World Counts, Ethnomathematics in the curriculum. Teachers College / Columbia University, April 5, 1997.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Matemática, ensino e educação: uma proposta global, In temas e Debates, ano IV, n. 3, p. 1-15, 1991.

KNIJNIK, G. Exclusão e Resistência: educação matemática e legitimidade cultural. Tese de Doutorado, Porto Alegre, RS, Ed. Artes Médicas, 1996. p.18-48.

LALOUETTE, Jacqueline. Do exemplo à série: história da prosopografia. In: HEINZ, F. M. (org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

MIGUEL, A. Formas de ver e conceber o campo de interações entre filosofia e educação matemática. In: BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (Org.). Filosofia da Educação Matemática: concepções e movimento. Brasília: Plano, 2003. p.25-44.

PINTO, P. M. Apresentação. In: CONDÉ, M. L. Wittgenstein: linguagem e mundo. São Paulo: Annablume, 1998. P. 13-16.

SEBASTIANI FERREIRA, E. O programa de pesquisa Etnomatemático. In: Colóquio Ubiratan D’Ambrosio, em comemoração ao seu 70º aniversário – Faculdade de Educação, USP. 09 de dezembro de 2002.

VILELA, Denise Silva. Aspectos da filosofia pragmatista no âmbito das práticas matemáticas. In: Acta Scientiae. Canoas. V. 15, n. 3, p. 507-523. Set/dez., 2013.

WITTGENSTEIN, L. Philosophical Investigations. 50th Anniversary Commemorative Edition. New York: Basil Blackwell, 2001.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. Trad. José Carlos Bruni, Os Pensadores, São Paulo: Abril Cultural, 1979.

Publicado
2022-01-07
Como Citar
Passos, C. M. dos, & Vilela, D. S. (2022). Relações entre Prosopografia e Etnomatemática: o estudo de trajetórias no mapeamento de práticas de ensino e pesquisa. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 421-433. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15142
Seção
Sessões Coordenadas