A Disciplina Álgebra Linear no Brasil antes de 1960: Entre Textos e Memórias

Eduardo Gonçalves Santos

Resumo


Objetivamos nesse trabalho apresentar alguns resultados de uma pesquisa que está em curso e que trata da institucionalização da disciplina de Álgebra Linear no Brasil entre os anos de 1939 até 1980. No que tange a esse objetivo, buscamos detectar indícios que possam caracterizar, em termos de configuração da disciplina, o período que antecede os anos 1960, tomando como fonte os livros didáticos produzidos no país no período, além da memória de alguns partícipes desse processo. Estaremos amparados nos pressupostos a respeito da relevância do estudo das Disciplinas Escolares (Chervel, 1990) e da Circulação Internacional de Ideias (Bourdieu, 2003).  


Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, F.F. (1952). Complementos de Matemática. 2.ed. São Paulo: Tibiriçá.

Barroso Junior, E. (2015). O Instituto Cearense de Matemática (1954-1960): a origem do Instituto de Matemática da UFC. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista.

Birkhoff, G. & Mac Lane. (1941). A survey of Modern Algebra, New York: The Macmillan Company.

Bourbaki, N. (1974). Elements of Mathematics – Algebra – Chapters I-III. Paris: Hermann.

Bourdieu, P. (2002). As condições sociais da circulação internacional das ideias. Enfoques, 1(1), iv-xv.

Brolezzi, V. L. F. & Santos, V.M. (2012) O processo histórico de disciplinarização da Metodologia do Ensino de Matemática. Boletim de Educação Matemática, 26 (42A), 163-191.

Castrucci, B. (1949). Espaços Vectoriais. São Paulo: [s.n.].

Cavalari, M.F. (2015). Breves considerações acerca dos cursos de graduação em matemática nas décadas de 1930 a 1950 no Brasil. Anais do XI Seminário Nacional de História da Matemática: Natal.

Chervel, A. (1990) História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & educação, 2(1), 177-229.

Choppin, A. (2002). O historiador e o livro escolar. History of Education Journal, 6(11), 5-24.

D’Ambrosio, U. (1988). Reminiscências do meu tempo de estudante na Maria Antônia,”. In Santos, M. C. L. dos. Maria Antonia, uma rua na contramão. Studio Nobel.

Dassie, B. A., Rocha, J. L. & Carvalho, J. B. P. F. (2003). Uma coleção revolucionária. História & Educação Matemática, Rio Claro, 2(2), 9-33.

Duarte, A.R.S. (2007). Matemática e educação matemática: a dinâmica de suas relações ao tempo do movimento da matemática moderna no Brasil. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Ferreira, V. L. & Santos, V. de M. (2012). O Processo Histórico de Disciplinarização da Metodologia do Ensino de Matemática. Boletim de Educação Matemática, 26(42A), 163-191.

Gomes, A. M. (1960). Introdução à álgebra moderna. Rio de Janeiro: Sedegra.

Gomes, A. P. (1959). Elementos de Álgebra Linear e Multilinear, Tomo I. Recife: Instituto de Física e Matemática.

Gomide, E.F. (2003). Entrevista concedida a Circe Mary Silva da Silva em 15/04/2003.

Gomide, E.F. (2009). Entrevista concedida a Arnaldo Aragão Santos e Andrea Paula dos Santos

Halmos, P.R. (1942). Finite Dimensional Vector Spaces. London: Princeton University Press.

Lichnerowicz, A. (1956). Algèbre et Analyse Linéaires. Paris: Masson, 1960.

Lima, E.B. & Dias, A.L.M. (2010). A Análise Matemática no Ensino Universitário Brasileiro: a Contribuição de Omar Catunda. Boletim de Educação Matemática, 23 (35), 453-476.

Lima, E.B. (2012). Matemática E Matemáticos na Universidade De São Paulo: Italianos, Brasileiros e Bourbakistas (1934-1958). Tese de Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências. Salvador: Universidade Federal da Bahia.

Lima, E.L. (1995). Os Cursos do Colóquio Brasileiro de Matemática. Revista Matemática Universitária, 19, 1-11.

Lima, G.L. & Silva, B. A. (2012). A implantação da disciplina inicial de Cálculo Diferencial e Integral no curso de Matemática da USP e o papel da professora Elza Furtado Gomide. Revista de Produção Discente em Educação Matemática, 1 (1), 64-80.

Medeiros, L.A. (2007). Em memória de Alvércio Moreira Gomes (1916-2003). Revista Brasileira de História da Matemática. Especial (1), 157-162.

Nachbin, L. (1996). Ciência e sociedade. Curitiba: Editora UFPR.

Oliveira Filho, F. (2013). Matemática no colégio: livros e história da disciplina. Tese de Doutorado em Educação Matemática. São Paulo: Universidade Bandeirante de São Paulo.

Oliveira, M. C. A. & Fragoso, W. C. (2011). História da Matemática: história de uma disciplina. Revista Diálogo Educacional (PUCPR), 11(34), 625-643.

Otero-Garcia, S.C. (2013). Disciplinas de Análise na História de seu Ensino: uma trajetória no curso de licenciatura em matemática da UNESP de Rio Claro. História da Ciência e Ensino: construindo interfaces, 7, 1-44.

Pires, R.C. (2006). A presença de Nicolas Borubaki na Universidade de São Paulo. Tese de Doutorado em Educação Matemática. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Rodrigues, A. (1991). Reminiscências de um ex-diretor: um depoimento de memória. Cadernos de matemática e estatística. (15), 1-15.

Santos, A. A. (2010). Elza Furtado Gomide e a participação feminina no desenvolvimento da matemática brasileira no século XX. Dissertação de Mestrado em História da Ciência. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Santos, A. C. & Gatti Jr., D. (2009). Os Caminhos da Educação Matemática Brasileira por meio da Análise do Livro Didático. Cadernos de História da Educação (UFU), 8, 27-36.

Santos, E. G. (2018). História da Disciplina Álgebra Linear: Primeiras Aproximações. Revista de História da Educação Matemática, 4(2), no prelo.

Santos, E.G. (2017). A disciplina Álgebra Linear no Brasil: um mapeamento da produção didática entre 1949 e 1980. Trabalho apresentado no Seminário do GPEP e HIFEM: Encontros de Pesquisas em História da Educação Matemática, realizado em 07 e 08 de dezembro de 2017, em Natal/RN.

Schreier, O. & Sperner, E. (1951). Modern Algebra and Matrix Theory. New York: Chelsea.

Schubring, G. (2003). Análise Histórica de Livros de Matemática. Notas de Aula. Campinas: Editores Associados.

SILVA, C. M. S. (2007). Oscar Zariski e os primórdios da álgebra no Brasil. Revista Brasileira de História da Matemática, Especial (1), p. 381-391.

Silva, C. M.S. (2009). O Livro didático mais popular de Leonhard Euler e sua repercussão no Brasil. Revista Brasileira de História da Matemática, 9, 33-52.

Silva, C. P. (2009). Aspectos históricos do desenvolvimento da pesquisa matemática no Brasil. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Silva, M.R.I.S. (2013). A matemática na Pedagogia, da FFCL–USP e FNFi (1939–1961). Dissertação de Mestrado em Educação e Saúde. Guarulhos: Universidade Federal de São Paulo.

Soares, S. R. & Oliveira, M. C. A. (2016). O papel dos livros e das apostilas de Geometria Analítica na configuração de uma disciplina acadêmica. Interfaces Científicas-Humanas e Sociais, 5(1), 33-44.

Valente, W.R. (1999). Uma história da matemática escolar no Brasil, 1730-1930. São Paulo: Annablume.

Valente, W. R. (2007). Ubiratan D'Ambrosio: conversas, memórias, vida acadêmica, orientandos, educação matemática, etnomatemática, história da matemática, inventário sumário do arquivo pessoal. São Paulo: Annablume.

Valente, W.R. (2008). Livro didático e educação matemática: uma história inseparável. Zetetike (UNICAMP), 16(30), 139-161.

Waerden, B. L. van der (1931). Moderne Algebra. Teil I. New York: Springer.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.