Os saberes para ensinar o sistema decimal na obra Psicoaritmética (1934)

  • Alan Rezende

Resumo

Este artigo faz parte do processo de produção de uma tese de doutoramento cujo objetivo é analisar que demandas passaram a ser colocadas para a formação do professor que ensina matemática (Aritmética e Geometria) nos primeiros anos escolares a partir das orientações de Maria Montessori. Essa pesquisa maior está vinculada ao projeto temático A matemática na formação de professores e no ensino: processos e dinâmicas de produção de um saber profissional, 1890-1990, e, a partir disso, mobiliza referentes teórico-metodológicos vindos, sobretudo, de autores como Hofstetter; Schneuwly (2009). Nesse sentido, para este artigo foi tomada a obra Psicoaritmética (1934) como pretexto para tratar dos saberes para ensinar o sistema decimal, esses por sua vez, relacionados à utilização de materiais concretos e orientações que levam em consideração as fases sensitivas da criança. Ao que parece, Maria Montessori passa a colocar como demanda para a formação do professor que ensina matemática do ensino primário a mobilização de saberes que não estão no campo disciplinar ao considerar a psicologia infantil.c

Este artigo faz parte do processo de produção de uma tese de doutoramento cujo objetivo é analisar que demandas passaram a ser colocadas para a formação do professor que ensina matemática (Aritmética e Geometria) nos primeiros anos escolares a partir das orientações de Maria Montessori. Essa pesquisa maior está vinculada ao projeto temático A matemática na formação de professores e no ensino: processos e dinâmicas de produção de um saber profissional, 1890-1990, e, a partir disso, mobiliza referentes teórico-metodológicos vindos, sobretudo, de autores como Hofstetter; Schneuwly (2009). Nesse sentido, para este artigo foi tomada a obra Psicoaritmética (1934) como pretexto para tratar dos saberes para ensinar o sistema decimal, esses por sua vez, relacionados à utilização de materiais concretos e orientações que levam em consideração as fases sensitivas da criança. Ao que parece, Maria Montessori passa a colocar como demanda para a formação do professor que ensina matemática do ensino primário a mobilização de saberes que não estão no campo disciplinar ao considerar a psicologia infantil.

Referências

Campos, S. B. (2017) A institucionalização do Método Montessori no campo educacional brasileiro (1914-1952). Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Santa Catarina.

Hofstetter, R. & Valente, W. R. (org.). (2017). Saberes em (trans) formação: tema central da formação de professores. 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Hofstetter, R. & Scheneuwly, B. (2017). Disciplinarização e disciplinação: as ciências da educação e as didáticas das disciplinas sob análise. In: Hofstetter, R. & Valente, W. R. (org.). Saberes em (trans) formação: tema central da formação de professores. 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Hofstetter, R. & Scheneuwly, B. (2017). Saberes: um tema central para as profissões do ensino e da formação. In: Hofstetter, R. & Valente, W. R. (org.). Saberes em (trans) formação: tema central da formação de professores. 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Hofstetter, R. Scheneuwly, B. & Freymond, M. (2017) “Penetrar na verdade da escola para ter elementos concretos de sua avaliação” – A irresistível institucionalização do expert em educação (século XIX e XX). In: Hofstetter, R. & Valente, W. R. (org.). Saberes em (trans) formação: tema central da formação de professores. 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Lourenço Filho, M. B. (1930). Introducção ao estudo da Escola Nova. São Paulo: Cia. Melhoramentos (Bibliotheca da Educação, v. XI).

Montessori, M. (1934). Psicoaritmética. Barcelona: Araluce.

Montessori, M. (2013). The Montessori Method. Trad. Anne E. George. Estados Unidos, Layout and Cover Copyright.

Valdemarin, V. T. (2010). História dos métodos e materiais de ensino: a escola nova e seus modos de uso. São Paulo: Cortez.

Valente, W. R. Bertini, L. F. Pinto, N. B & Morais, R. S. (2017). A Matemática na Formação de Professores e no Ensino: processos e dinâmicas de produção de um saber profissional, 1890-1990. Projeto de Pesquisa. São Paulo: FAPESP. Disponível em <http://bv.fapesp.br/pt/auxilios/98879/a-matematica-na-formacao-de-professores-e-no-ensino-processos-e-dinamicas-de-producao-de-um-saber-p/?q=17/15751-2

Publicado
2019-04-24
Seção
Sessões Coordenadas