Colonialidade de poder: um olhar sobre discursos naturalizados que atravessam a história da formação de professores de matemática no Brasil

Ana Maria Ana Maria de Almeida

Resumo


Este trabalho trata de uma proposta de discussão sobre a colonialidade de poder no contexto da história da educação matemática. O objetivo dessa escrita consiste em contribuir para a desconstrução de discursos naturalizados nos contexto formação de professores que ensinam matemática. Para essa discussão busco apoio em autores que discutem o pensamento pós-colonial, como Mignolo (2017), Grosfoguel (2009) e outros que compartilham desse pensamento. Também apresento alguns exemplos de pesquisas desenvolvidas nos Grupos GHOEM e HEMEP, que se utilizam de narrativas de atores educacionais e mostram os cenários multifacetados compostos por deferentes modalidades de formações de professores no decorrer da história. Menciono ainda algumas produções discursivas de governantes que parecem seguir no sentido contrário com um discurso unificador e generalizado sobre a formação de professores. Dessa forma, a discussão proposta nesse texto pode provocar a produção de linhas de força no contexto da educação


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.