AS AGRURAS DO MOVIMENTO IDENTITÁRIO indígena Guarani Kaiowá

  • Vânia Maria Lescano Guerra UFMS

Resumo

Temos por objetivo problematizar o processo de construção da identidade dos indígenas da etnia guarani kaiowá, a partir do texto do livro didático intitulado "Kaiowá: um povo que caminha", organizado por Cledes Markus (2013) e utilizado como recurso pedagógico com a finalidade de veicular informações sobre a vida de povos indígenas que vivem em território brasileiro. Trata-se de uma oportunidade para refletir sobre a história e a cultura kaiowá, por ocasião da "Semana dos Povos Indígenas", ocorrida de 14 a 20 de abril de 2013, compartilhando experiências que “resguardam” a identidade étnica.

Biografia do Autor

Vânia Maria Lescano Guerra, UFMS
Tenho graduação em Letras, mestrado em Linguística Aplicada aos Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, LAEL, e doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002), câmpus de Araraquara (SP). Cursei Pós-doutorado no IEL, UNICAMP, no Programa de Linguística Aplicada sob a supervisão da Profa Dra Maria José Faria Coracini. Atualmente sou docente permanente no Programa de Pós-graduação em Letras (mestrado e doutorado), da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e pesquisadora do CNPq. Integro Diretórios de grupos de pesquisa no CNPq: " O processo identiário do indígena de Mato Grosso do Sul: análise documental e midiática da luta pela terra" (UFMS); "Vozes (in)fames: exclusão e resistência" (IEL/UNICAMP) e "Representações e Tecnologias (de si): tramas discursivas do/no virtual" (IEL/UNICAMP). Sou membro do GT "Práticas Identitárias em Linguística Aplicada" da ANPOLL. Atuo na pós-graduação em Letras da UFMS, orientando e desenvolvendo pesquisas, com experiência na área de Linguística, Linguística Aplicada e Análise do Discurso de origem francesa, a partir da perspectiva desconstrutivista e da crítica pós-colonialista. As publicações em periódicos quails, em livros e em capítulos, nacionais e internacionais, focalizam temáticas ligadas a: povos indígenas, exclusão, identidades, gênero e tradução. Sou membro da REDLAD - Rede latinoamericana de discursos sobre a pobreza extrema - grupo pertencente à ALED (Associação Latinoamericana de Estudos de Discursos), do NECC (Núcleo de Estudos Culturais Comparados) da UFMS e da Diretoria do GELCO - Grupo de Estudos de Linguagens do Centro-Oeste, Biênio 2014-2016.

Referências

BAUMAN, Zygmund. Identidade. Trad. de Carlos A. Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2006. BHABHA, Homi K. O local da cultura. Trad. Myriam Ávila et alii. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

CORACINI, Maria J. R. F. Um fazer persuasivo: o discurso subjetivo da ciência. São Paulo: Educ; Campinas: Pontes, 1991.

______. (org.) Identidade & Discurso: (des)construindo subjetividades. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003.

______. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade. Campinas: Mercado de Letras, 2007.

______. Transdisciplinaridade e análise de discurso: migrantes em situação de rua. Cadernos de Linguagem e Sociedade, 11 (1), 2010, 91-112.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Trad. de Peter Pál Pelbart. Rio de Janeiro: 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é filosofia. Trad. de Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: 34, 1992.

FERREIRA, Aurélio B. de H. Pequeno dicionário da língua portuguesa. 21 edição. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2010.

FERREIRA, Eva M. L. A participação dos Índios Kaiowá e Guarani como trabalhadores nos ervais da Companhia Matte Laranjeira (1902-1952). 140 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2007. FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

______. História da sexualidade I: A vontade de saber. Trad. de Maria Thereza da C. Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro, Graal, 1990.

______. Escrita de si. In: O que é um autor? Trad. de Antonio F. e Edimundo Cordeiro. Lisboa: Passagens, 1992,p. 129-160.

______. A ordem do discurso. Trad. de Laura F. de Almeida Sampaio. 19. ed. São Paulo: Loyola, 2012.

______. Arqueologia do saber. Trad. de Luiz Felipe B. Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

GUERRA, Vânia M.L. O indígena de Mato Grosso do Sul: práticas identitárias e culturais. São Carlos: Pedro & João, 2010.

______. Entre a mídia impressa e o discurso da “integração”, a construção identitária dos indígenas. In CORACINI, Maria José R. F. (Org.) Identidades silenciadas e (in)visíveis: entre a inclusão e a exclusão (identidade, mídia, pobreza, situação de rua, mudança social, formação de professores). Campinas: Pontes, 2011, p.127-148.

______. Indígenas e identidades: um olhar discursivo sobre a luta pela terra. In ROSA, Andrea M.; MARQUES, Cintia N.; SOUZA, Claudete C. de; DURIGAN, Marlene. Povos Indígenas: reflexões interdisciplinares. São Carlos: Pedro & João, 2012, p. 43-68.

LIMBERTI, Rita C. P. A imagem do índio: discursos e representações. Dourados: Editora da UFGD, 2012.

LUCIANO, Gersem S. O Índio Brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006. MARKUS, Cledes. (Org.) Kaiowá: um povo que caminha. Caderno Semana dos Povos Indígenas 2013. ISAEC/DAÍ - COMIN. São Leopoldo: Oikos, 2013.

MEEK, Robert. Los orígenes de la ciencia social. El desarrollo de la teoría de los cuatro estadios. Madri: Siglo XXI, 1981.

OLIVEIRA, João P. Indigenismo e territorialização: poderes, rotinas e saberes coloniais no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 1998. ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2002.

______. As formas do silêncio no movimento dos sentidos. 7. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

PÊCHEUX, Michel. Semântica de discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. de Eni P. Orlandi et al. 4 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

SABATINI, Silvano. Massacre. São Paulo, Loyola, 1998.

SANTANA JUNIOR, Jaime R. Produção e Reprodução Indígena: o vir e o porvir na Reserva de Dourados. Campo-Território: revista de geografia agrária, V.5, nº 9, p. 203-236, fev., 2010.

SAWAIA, Bader. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. 8.ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

SILVA, Mozart L. História e interculturalidade: aspectos críticos à educação e ao multiculturalismo no Brasil. Anais do VIII Congresso Luso-afro-brasileiro de Ciências Sociais. Coimbra, 2004.

TAVARES, Marilze; SANTOS, Ludoviko Carnaciali. Crenças e atitudes linguísticas de indígenas de Dourados-MS. In: Cadernos do IL. Porto Alegre, nº 44, jun, 2012, p. 117-134.

Publicado
2015-06-01
Seção
Artigos