ACESSO À ESCOLA E A PEDAGOGIA DA DIFERENÇA: a escola promotora de autonomia do surdo

Simon Skarabone CHIACCHIO

Resumo


Este artigo reflete sobre a educação na esfera do direito do aluno surdo, suas particularidades e potencialidades. Apresenta e propõe uma reflexão no que tange ao processo histórico da aquisição de direitos, reconhecimento legal e social da educação surda, da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e as reivindicações da comunidade surda. Apresenta elementos legais que nortearam as decisões da escola atual para o sujeito surdo e apresenta elementos e autores que abordam os diferentes aspectos da aprendizagem do aluno surdo. O artigo também questiona as políticas públicas, apoiado nos trabalhos de pesquisadores especialistas na temática de educação, educação especial e currículo, além de sugerir que a universalização da educação básica deixa evidente nas salas de aula uma característica comum: a heterogeneidade. Como tal, sublinha o conjunto de características responsáveis pela identidade de cada pessoa, de cada educando. Assim considerando, busca-se refletir sobre problemas que afligem a escola pública, face às indiscutíveis e necessárias conquistas reveladas pela universalização do ensino público e às situações decorrentes que requerem cuidados específicos. Dentre as inúmeras variáveis que interferem na questão da inclusão e/ou diferença, salientamos para trabalhar neste artigo a questão da reflexão das especificidades do aluno surdo.

Palavras-chave


Aluno Surdo. Inclusão. Diferença. Autonomia. Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL (1994). Política nacional de educação especial. Brasília: MEC/SEESP.

BRASIL (1994). Declaração de Salamanca e linhas de ação sobre necessidades educativas especiais. Disponível em: acesso em: 10 set. 2014.

CAPOVILLA, F.C. Filósofos Educacionais em Relação ao surdo: do Oralismo à comunicação total ao bilinguismo. Revista Brasileira de educação Especial, v.6, n.1, 2011, p.99-116.

CHIACCHIO, S.S.R. Pontos e contrapontos na educação do surdo. In: BRITO, Regina Lúcia Giffoni Luz de. Educação para o conviver e a gestão da aprendizagem : o Educador Gestor e o Gestor Educador. Curitiba: Appris, 2011, p. 57-81.

DENARI, F. E. Autonomia Escolar na Diversidade das (d)eficiências e inclusão. Revista ambiente educação. v. 4, nº 1, jan/jun, 2011: p. 37-43.

FELDMANN, M. G. Formação de professores e cotidiano escolar. In: FELDMANN, M. G. (org.). Formação de professores e escola na contemporaneidade. São Paulo: SENAC, 2009, p.71-80.

______. Questões contemporâneas: mundo do trabalho e democratização do conhecimento. In: SEVERINO, A. J.; FAZENDA, I. Políticas educacionais: o ensino nacional em questão. Campinas: Papirus, 2003.

FELDMANN, M. G.; D’AGUA, S. V. N. de L. Escola e inclusão social: relato de uma experiência. In: FELDMANN, M. G. (Org.). Formação de professores e escola na contemporaneidade. São Paulo: SENAC, 2009, p.189-200.

GIMENO SACRISTÁN, J. Educar e conviver na cultura global: as exigências da cidadania. Porto Alegre: Artmed, 2002.

______. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

JUSTO, M. C. . A Escola e a Educação na Atualidade: Algumas Reflexões Sobre o Desenvolvimento da Cidadania e o Educador para o Conviver. In: Regina Lúcia Giffoni Luz de Brito. (Org.). A Escola e a Educação na Atualidade: Algumas Reflexões Sobre o Desenvolvimento da Cidadania e o Educador para o Conviver. Curitiba: Appris, 2011, p. 39-56.

MACHADO, L. M. V. Narrar e pensar as narrativas surdas capixabas: o outro surdo no processo de pensar uma pedagogia. In: Estudos Surdos III / Ronice Müller de Quadros (organizadora). Petrópolis: Arara Azul, 2008. p. 228 -257.

MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

PERLIN, Gladis e MIRANDA, Wilson. Surdos: O Narrar e a Política In : Estudos Surdos –ponto de Vista. Revista de Educação e processos Inclusivos nº 5, UFSC/ NUP/CED, Florianópolis, 2003.

______. Ouvinte: O outro do ser surdo. In: Estudos surdos I / Ronice Müller de Quadros (org.). Petrópolis: Arara Azul, 2006. p.165-185.

REIS, F. Professores Surdos : Identificação ou Modelo? In: Estudos Surdos II / Ronice Müller de Quadros e Gladis Perlin (organizadoras). – Petrópolis: Arara Azul, 2006.

SILVA, Vilmar. As representações em ser surdo no contexto da educação bilíngue. In: Estudos Surdos III / Ronice Müller de Quadros (organizadora). Petrópolis: Arara Azul, 2008. p. 80 -97.

SOUZA, M. R. Que palavra te Falta?: Linguística e Educação: Considerações Epistemológicas a partir da Surdez. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SKLIAR, C. (Org.). Atualidade da educação bilíngue para surdos. Porto Alegre: Mediação, v.i.-II, 1998.

_________.“Educação para os Surdos: entre a pedagogia Especial e as Políticas para as Diferenças”. In: Anais do Seminário Desafios e Possibilidades na educação Bilíngue para Surdos, INES (org.). Ed. Líttera Maciel, 1997.

YOUNG, M. Para que servem as escolas? Educ. Soc. Campinas, v. 28, n.101, p.1287-1302, set./dez. 2007.

ZABALZA, M. A. O ensino universitário, seu cenário, seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2004.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Outras informações podem ser obtidas exclusivamente pelo e-mail revistagepfip@gmail.com

REVISTA DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES- GEPFIP - ISSN 23595051 (Publicação online)

A/C Profa. Ana Lúcia Gomes da Silva (Editora-chefe)

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/CPAQ

Praça Nossa Senhora da Conceição, 163, Centro - CEP: 79200-000 - Aquidauana/ MS

Telefone: +55 (67) 3241 0312