RE (DESCOBRINDO) A INFÂNCIA COM E NAS POESIAS DE MANOEL DE BARROS: exercitando a criancice...

Janaina Nogueira MAIA

Resumo


O presente estudo busca realizar uma leitura a respeito da infância e surgiu a partir dos diálogos realizados no Grupo de Estudos e Pesquisas em Formação Interdisciplinar de Professores – GEPFIP/UFMS/CPAQ, tem por objetivo redescobrir a infância por meio das poesias de Manoel de Barros, que, em sua obra poética, oferece elementos que nos leva a compreender a infância nas formas de sua existência cotidiana, com vínculos sociais afetivos em sua aprendizagem de vida. Optamos assim, por resgatar a infância com e nas poesias de Manoel de Barros, devido à maneira como o poeta mato-grossense reivindica uma educação pela infância. Para ele, “renovar o homem usando passarinho”, revelando “peraltices”, causa um retorno à infância como um acontecimento (BARROS, 2003). Recorremos a estudos que norteiam esse artigo sobre a história e produção da infância que nos ajudaram a compreender como esse acontecimento marca uma importante etapa em nossas vidas. Postulamos, no entanto, a infância como “condição humana” Kuhlmann Jr.(1998), permeando e investindo em um saber aos leitores na educação pela infância. Neste caso, a educação permitirá não abandonar a infância e a experiência e ainda, estar na infância por meio dessa experiência.

Palavras-chave


Manoel de Barros. Infância. Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS, P. História Social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BARROS, M. de. Memórias inventadas: a infância. São Paulo: Planeta, 2003.

___________. Memórias inventadas: a segunda infância. São Paulo: Planeta, 2005.

___________. Memórias inventadas: a terceira infância. São Paulo: Planeta, 2008.

___________. Bordados de Antônia Zulma Diniz, Ângela, Marilu, Martha e Sávia Dumont sobre desenhos de Demóstenes. Exercícios de ser criança. Rio de Janeiro: Salamandra, 1999.

___________. Livro sobre nada. 8ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

___________. Gramática Expositiva do Chão: Poesia Quase Toda. Rio de Janeiro: Civilização, 2010.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. Trad. apresentação e notas Marcus Vinícius Mazzari. Posfácio de Flávio di Giorgi. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 1984. Coleção Espírito Crítico.

CARVALHO, Janete Magalhães. Potência do “olhar” e “da voz” não dogmática dos professores na produção dos territórios curriculares no cotidiano escolar do ensino fundamental. In: ______ (Org.). Infância em territórios curriculares. Petrópolis: DP et alii, 2012. p. 15-48.

CASTELLO, José. “Manoel de Barros busca o sentido da vida”, In O Estado de São Paulo. São Paulo, 03/08/1996

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

KUHLMANN Jr., Moysés. Infância e Educação Infantil: uma abordagem histórica. 2. d. Porto Alegre: Mediação, 1998.

KUHLMANN Jr., M.; FERNANDES, R. Sobre a história da Infância. In: FILHO, L. M. F. (Org.). A infância e sua educação: materiais, práticas e representações. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. p. 22 a 37.

REDIN, Marita Maria. Sobre as crianças, a infância e as práticas escolares. In: REDIN, Euclides; MULLER, Fernanda; REDIN, Marita Martins (Orgs.). Infâncias: cidades e escolas amigas das crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007. p. 11-22.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou Da educação. São Paulo: Martins, 1994.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Outras informações podem ser obtidas exclusivamente pelo e-mail revistagepfip@gmail.com

REVISTA DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES- GEPFIP - ISSN 23595051 (Publicação online)

A/C Profa. Ana Lúcia Gomes da Silva (Editora-chefe)

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/CPAQ

Praça Nossa Senhora da Conceição, 163, Centro - CEP: 79200-000 - Aquidauana/ MS

Telefone: +55 (67) 3241 0312