Características superficiais de instrumentos endodônticos Reciproc R25

  • Matheus Sarmento Garcia
  • G. Hernández
  • L. Simão
  • F. Alencastro
  • R. A. Simão
  • M. Prado
  • DR. Herrera
  • J. Marion

Resumo

Dos diversos instrumentos utilizados durante o tratamento endodôntico, os sistemas de lima única acionados em movimento reciprocante, têm sido recomendados por diminuir as possibilidades de contaminação cruzada, por apresentarem menor fadiga cíclica, e por melhorar a centralização do preparo dos canais radiculares. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a superfície de corte do instrumento endodôntico Reciproc R25, em relação a defeitos no processo de fabricação e presença de detritos na superfície. Vinte instrumentos Reciproc R25 foram avaliados por microscopia eletrônica de varredura (100x) em três regiões: 0mm na ponta , 4mm da ponta e 7mm da ponta. Utilizando um sistema de escores (1- lima sem nenhuma área de defeito na superfície examinada; 2- lima com cerca de uma a três áreas com defeitos na superfície examinada; 3- lima com cerca de quatro a cinco áreas com defeitos na superfície examinada; 4- lima com mais de cinco áreas com defeitos na superfície examinada) foram avaliadas as falhas de fabricação (borda irregular, ranhura, microcavidade e rebarba) e a presença de detritos. Observou-se 17,5% das imagens com borda irregular, 100% ranhura, 40,4% microcavidade, e 45,6% rebarba. Em todas as regiões houve predominância do escore 2 e 84,2% das amostras continham detritos. Tendo em vista os resultados obtidos nesse estudo foi possível concluir que todos os instrumentos mostraram algum tipo de defeito/ falha no processo de fabricação e que os instrumentos podem apresentar detritos na sua superfície.

 

 

Palavras-chave: Reciproc R25. Microcavidade. Endodontia.