As Vivências e os Desafios de Cinco Professores Iniciantes que Ensinam Matemática nos Tempos de Pandemia

Palavras-chave: Professor Iniciante, Ensino de Matemática, Pandemia, Desafios

Resumo

O artigo discute sobre os professores iniciantes e o ensino de matemática nos tempos de pandemia. Questiona-se: Como os professores iniciantes descrevem as suas vivências com o ensino de matemática no ano de 2020? Considera-se a escrita de cinco professores iniciantes que ensinam matemática em escolas públicas do município de Pelotas/RS. Propõe-se as seguintes unidades de sentido: as vivências em relação ao ensino de matemática; a participação dos alunos; as aprendizagens, as dificuldades e desafios em tempos de pandemia. As análises mostram que os professores iniciantes tiveram algumas dificuldades de organização das ações de ensino durante o ano de 2020, porém buscaram possibilidades de continuar ensinando matemática, planejando e organizando as aulas de modo on-line ou impresso. A superação dos desafios da pandemia exige repensar a formação continuada do professor iniciante, na busca do acolhimento, da colaboração e da valorização do trabalho docente.

Biografia do Autor

Marta Cristina Cezar Pozzobon, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professora dos cursos de Licenciatura em Matemática e Mestrado em Educação Matemática, na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). E-mail: marta.pozzobon@hotmail.com ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3069-5627

Caliandra Piovesan, Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Mestre em Educação Matemática pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Professora de escola pública em Pelotas/RS. E-mail: calipiovesan@hotmail.com Orcid: https://orcid.org/0000-0002-0036-9938

Referências

ANTUNES, Adriana Guimarães. O linguajear e o emocionar no diário de uma professora iniciante. 66 f. (Dissertação de Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2013.

AQUINO, Luciana Fernandes de. Questões que a pandemia coloca a educação. In: OLIVEIRA, Sandra Regina Ferreira (org.). Escolas em quarentena: o vírus que nos levou para casa. Londrina, PR: Editora Madrepérola, 2020.

BARBOSA, Daiane Estrela Ferreira. A formação do professor de Matemática: uma reflexão sobre as dificuldades no início da carreira docente. 97 f. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, PB, 2018.

BARBOSA, Daiana Estrela Ferreira; BARBOZA, Pedro Lúcio. Os primeiros anos de docência do professor de Matemática. Revista Eletrônica de Educação Matemática – REVEMAT, Florianópolis, v. 15, p. 01-18, 2020.

BIESTA, Gert. Há a necessidade de (re)descobrir o ensino. In: FABRIS, Elí Terezinha Henn; DAL’IGNA, Maria Cláudia; SILVA, Roberto Rafael Dias da. Modos de ser docente no Brasil contemporâneo: articulações entre pesquisa e formação. São Leopoldo: Oikos, 2018.

CIRÍACO, Klinger Teodoro. Professoras iniciantes e o aprender a ensinar Matemática em um grupo colaborativo. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2016.

CRUZ, Giseli Barreto; FARIAS, Isabel Maria Sabino de; HOBOLD, Márcia de Souza. Indução profissional e o início do trabalho docente: debates e necessidades. Revista Eletrônica de Educação, 14, 1-15, jan./dez., 2020. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4149. Acesso em: 18 maio 2020.

FIORENTINI, Dario; CASTRO, Franciana Carneiro de. Tornando-se professor de matemática: o caso de Allan em prática de ensino e estágio supervisionado. In: FIORENTINI, Dario (org.). Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003.

GAMA, Renata Prenstteter; FIORENTINI, Dario. Formação continuada em grupos colaborativos: professores de matemática iniciantes e as aprendizagens da prática profissional. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 11, n. 2, p. 441-461, 2009. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/2827/1863 . Acesso em: 11 jun. 2020.

KNIJNIK, Gelsa; SILVA, Fabiana Boff de Souza. “Os problemas são as fórmulas”: um estudo sobre os sentidos atribuídos à dificuldade em aprender matemática. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 30, p. 63-78, jan./jun. 2008. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/1758. Acesso em: 21 jul. 2019.

HANITA, Marília Yuka. Programa Observatório da Educação e Desenvolvimento Profissional de Professores: um estudo a partir das produções da Educação Matemática. 126 f. (Dissertação de Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2016.

HUBERMAN, Michäel. O Ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, Antonio (org.). Vidas de professores. Portugal: Porto, 1995. Disponível em:

LARROSA, Jorge. Esperando não se sabe o quê: sobre o ofício de professor. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, jan./fev./mar./abr., 2002.

MAGALHÃES, Jonas Emanuel Pinto. Consciência socioprofissional e docência: a dimensão ético-política do trabalho docente no contexto da pandemia. In: MAGALHÃES, Jonas Emanuel Pinto et al. (org.). Trabalho docente sob fogo cruzado. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2021.

NÓVOA, Antonio. Currículo e docência: a pessoa, a partilha, a prudência. In: GONÇALVES, Elisa Pereira; PEREIRA, Maria Zuleide da Costa; CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de (org.). Currículo e contemporaneidade: questões emergentes. Campinas: Alínea, 2004.

NONO, Maévi Anabel; MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Processo de formação de professores iniciantes. Anais da ANPED – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação, Caxambu, Brasil, 29, 2006.

OLIVEIRA, Wanderson Cleber de et al. Como o Brasil pode deter a COVID-19. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 29, n. 2, e2020044, 2020.

PONTE, João Pedro da et al. O início de carreira profissional de jovens professores de Matemática e Ciências. 2001. Disponível em: (Microsoft Word - 01-Ponte-G-S-O-(Indu347343o-RE)) (ul.pt). Acesso em: 14 abr. 2021.

SANTANA, Gislaine. O professor de Matemática frente aos desafios dos anos iniciais da carreira. 143 f. (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, 2016.

SARAIVA, Karla; TRAVERSINI, Clarice; LOCKMANN, Kamila. A educação em tempos de COVID-19: ensino remoto e exaustão docente. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, e2016289, p. 1-24, 2020. Disponível em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa. Acesso em: 20 jan. 2021.

SILVEIRA, Denise Tolfo; CÓRDOVA, Fernanda Peixoto. A pesquisa científica. In: GERHARDT, Tatiane Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo (org.). Métodos de pesquisa. 2009. p. 31-42. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad005.pdf. Acesso em: 17 mar. 2021.

SOUZA, Kátia Reis de et al. Trabalho remoto, saúde docente e resistências coletivas em contexto pandêmico: a experiência de docentes da rede particular de educação. In: MAGALHÃES, Jonas Emanuel Pinto et al. (org.). Trabalho docente sob fogo cruzado. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2021.

SOUZA, Vitor Hugo Fernandes de. O que significa o movimento escola sem (com)partido? In: MAGALHÃES, Jonas Emanuel Pinto et al. (org.). Trabalho docente sob fogo cruzado. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2021.

TARDIF, Maurice; RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & sociedade, v. 21, p. 209-244, 2000.

TOLEDO, Rogério Viol Ferreira. O papel das licenciaturas na constituição dos saberes docentes: um estudo sobre a formação inicial do professor de matemática à luz da prática escolar. 140 f. (Dissertação de Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2013.

Publicado
2022-04-27
Como Citar
POZZOBON, M. C. C.; PIOVESAN, C. As Vivências e os Desafios de Cinco Professores Iniciantes que Ensinam Matemática nos Tempos de Pandemia. Perspectivas da Educação Matemática, v. 15, n. 37, p. 1-16, 27 abr. 2022.