Análise Praxeológica de Funções Trigonométricas em um Livro Didático do Ensino Médio

  • Helder Lima Silva UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ
  • Afonso Henriques UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ
  • Rogério Pedro Fernandes Serôdio Universidade da Beira Interior
Palavras-chave: Funções Trigonométricas, Ensino Médio, Organização matemática, Estrutura Organizacional do Livro Didático

Resumo

Neste trabalho temos por objetivo identificar as praxeologias de Funções Trigonométricas presentes em um Livro Didático de Matemática adotado no 2º ano do Ensino Médio como instituição de referência. Utilizamos como metodologia de pesquisa a Análise Institucional & Sequência Didática proposta por Henriques. Como fundamentação, apoiamo-nos na Teoria Antropológica do Didático (TAD) proposta por Yves Chevallard considerando o estudo da organização matemática como meio para evidenciar os tipos de tarefas, técnicas, tecnologia e teoria presentes no Livro Didático. Como resultado, observamos uma organização praxeológica completa, na qual o autor do livro parte do tipo de tarefa para revelar as técnicas, a tecnologia e a teoria, seguindo, portanto, a praxeologia modelada de um Livro Didático.

Biografia do Autor

Helder Lima Silva, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ
Possui Pós-Graduação em Educação Matemática pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2010) e Licenciatura Plena em MATEMÁTICA pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2004) . Atualmente é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática-PPGEM na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Participa do Grupo de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem da Matemática em Ambiente Computacional (GPEMAC) Professor do Ensino Fundamental - Secretaria Municipal de Educação de Vitória da Conquista e Professor do Ensino Médio - Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Matemática.
Afonso Henriques, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ
Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal da Paraíba (1996), mestrado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999) e doutorado em Matemática e Informática pela Universidade Joseph Fourier - Grenoble - França (2006), revalidado no Brasil pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2010). Atualmente é Professor Pleno na Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC - BA, Brasil. Coordenador do Curso de Matemática (PARFOR), do Grupo de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem da Matemática em Ambiente Computacional (GPEMAC) e do Laboratório de Visualização Matemática da UESC (L@VIM). Professor do Mestrado Profissional em Rede Nacional e do Programa da Pós-Graduação em Educação Matemática da UESC. Tem experiência na área de Matemática, Didática e Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Pesquisa e desenvolvimento do cálculo diferencial e Integral com um enfoque computacional, TIC, registros de representações semióticas, antropologia didática, ensino e aprendizagem, geometria dinâmica, análise Institucional, Sequências Didáticas e formação de professores.
Rogério Pedro Fernandes Serôdio, Universidade da Beira Interior
Possui doutorado em MATEMÁTICA pela Universidade da Beira Interior(2006). Atualmente é Revisor de periódico da Advances in Applied Clifford Algebras. Tem experiência na área de Matemática. Atuando principalmente nos seguintes temas:Quaterniões, Octoniões, Matrizes, Valores próprios. 

Referências

BRASIL. Orientações Curriculares para o Ensino Médio (volume 2): Ciências da natureza. Matemática e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica (Departamento de políticas de Ensino Médio) – Brasília: MEC, SEB, 2006.

BRASIL. PCN +. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Parte III – Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Secretaria de Educação Média e Tecnológica – Brasília: MEC; SEMTEC, 2002.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Parte I – Bases Legais. Secretaria de Educação Média e Tecnológica – Brasília: MEC; SEMTEC, 2000.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Parte III – Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Secretaria de Educação Média e Tecnológica – Brasília: MEC; SEMTEC, 2000.

CHEVALLARD, Y. Approche Anthropologique du Rapport au Savoir et Didactique des Mathematics. Recherches en Didactique des Mathématiques, V. 12, n°1, p.1-8, 2009.

HENRIQUES, A. Análise Institucional & Sequência Didática como metodologia de pesquisa. In: Simpósio Latino-Americano de Didática da Matemática, I, 2016, Bonito. Anais... Mato Grosso do Sul, 2016 (In prelo)

HENRIQUES, A. Análise Institucional e Sequência Didática: Aplicação de conteúdos de Licenciatura em Matemática na Educação Básica. XV Encontro Baiano de Educação Matemática - EBEM, Educação Matemática na Formação de Professores: um novo olhar. UNEB CAMPUS X – Teixeira de Freitas – BA, 3 a 5 de julho de 2013.

HENRIQUES, A. NAGAMINE, C. M. L. NAGAMINE, A. Reflexões sobre a Análise Institucional: O caso de ensino e aprendizagem de integrais múltiplas. BOLEMA, Rio Claro (SP), v. 26, n. 44, dez. 2012.

HENRIQUES, A. ATTIE, J. P., FARIAS, L. M. S. Referências teóricas da didática francesa: Análise didática visando o estudo de integrais múltiplas com auxílio do software Maple. Educação Matemática Pesquisa. São Paulo, SP, v. 9, n. 1, p. 51-81, 2007.

JÚNIOR, A. T.; ROSEMBAUM, L. S. Uma trajetória hipotética de aprendizagem sobre funções trigonométricas numa perspectiva construtivista. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v.12, n.2, p.369-393, 2010.

KLEIN, M. E. Z; COSTA, S. S. C. da. Investigando as Concepções Prévias dos Alunos do Segundo Ano do Ensino Médio e seus Desempenhos em alguns Conceitos do Campo Conceitual da Trigonometria. Bolema, Rio Claro (SP), v. 24, nº 38, p. 43 a 73, abril 2011.

LEONARDO, F. M. de. Conexões com a Matemática / organizadora Editora Moderna. – 2. ed. – São Paulo: Moderna, 2013.

Publicado
2017-04-12
Como Citar
SILVA, H. L.; HENRIQUES, A.; SERÔDIO, R. P. F. Análise Praxeológica de Funções Trigonométricas em um Livro Didático do Ensino Médio. Perspectivas da Educação Matemática, v. 10, n. 22, 12 abr. 2017.