A Concepção de Professor do Ensino Fundamental sobre Estruturas Multiplicativas

  • Emília Isabel Rabelo de Souza
  • Sandra Maria Pinto Magina Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC
Palavras-chave: Campo Conceitual Multiplicativo. Situação-Problema. Professores do Ensino Fundamental. Estudo Diagnóstico. Metodologia Descritiva.

Resumo

Neste artigo discutiremos as concepções de professores do Ensino Fundamental no tange ao campo conceitual multiplicativo. Essas concepções foram identificadas a partir da analise de oito situações-problema elaboradas livremente por 59 professores de quatro Escolas Públicas de dois municípios do sul da Bahia, envolvendo as operações de multiplicação e ou divisão. Recorremos à Teoria dos Campos Conceituais para dar suporte teórico ao estudo e para analisar os  dados também nos apoiamos nas ideias de Autor e cols. Os dados foram coletados no âmbito da parceria de dois projetos correlacionados, os quais foram financiados pela FAPESB e pela CAPES. Os resultados apontam uma predominância, por parte dos professores, em elaborar situações que mantém a filiação entre o campo conceitual aditivo e o multiplicativo, denotando uma concepção estreita sobre as Estruturas multiplicativas.

Referências

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1997.

____________Ministério da Educação. PDE: Plano de Desenvolvimento da Educação: Prova Brasil: ensino fun¬damental: matrizes de referência, tópicos e descritores. Brasília: MEC, SEB; Inep, 2016.

CARRAHER,T N; CARRAHER, D W; SCHLIEMANN, ANA D. Na Vida Dez, Na Escola Zero. Os contextos culturais de aprendizagem da matemática. São Paulo: Cortez, 1988.

DUVAL, R. Ver e ensinar a matemática de outra forma: entrar no modo matemático de pensar os registros de representações semióticas. Organização Tânia M.M. Campos. Tradução Marlene Alves Dias. São Paulo: PROEM, 2011.

GITIRANA, V, et al. Repensando Multiplicação e Divisão: Contribuições da Teoria dos Campos Conceituais. São Paulo: PROEM, 2014.

Autor. Educar Em Revista. Curitiba, 2011.

Autor. In: X encontro Nacional de Educação Matemática, 2010, Salvador. Educação Matemática, Cultura e Diversidade. Ilhéus : Via Literarum,. v. 1. p. 1-11, 2010.

Autor. In: Castro Filho et al. Matemática, Cultura e Tecnologia: perspectivas internacionais. Curitiba: CRV, 2016, p.66-82.

MERLINI, V. L, et al. Estrutura Multiplicativa: Um Estudo Comparativo entre o que a professora elabora e o desempenho dos estudantes. Ata do VII Congresso Ibero-americano de Educação Matemática – VII CIBEM. Montevideu, 2013.

NÓVOA, A. Professor se forma na escola. Revista Nova Escola. Revista Nova Escola. 142 ed. Rio de Janeiro. maio 2001.

NACARATO, A. M. A escola como lócus de formação e de aprendizagem: possibilidades e riscos da colaboração. In: FIORENTINI, D.; NACARATO, A. M. Cultura, formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam matemática: investigando e teorizando a partir da prática. São Paulo: Musa Editora, 2005, p.175-195.

NUNES, T, et al. Educação Matemática 1: números e operações numéricas. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

PONTE, J. P. Concepção dos Professores de Matemática e Processos de Formação. In: BROWN, M. et al. Educação Matemática: temas de investigação. Lisboa: instituto de Inovação Educacional, 1992, p. 185-239.

SANTOS, A. O Conceito de Fração em Seus Diferentes Significados: um estudo diagnóstico junto a professores que atuam no ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2005.

Autor, 2015.

VERGNAUD. G. A Multiplicative Structures. Em R. Lesh & M. Landau (Eds.). Acquisitions of mathematics concepts and procedures. New York: Academic Press, 1983, pp.127-17

_____________ Multiplicative structures. In: HIEBERT, H.; BEHR, M. (Ed.). Research agenda in mathematics education: number concepts and operations in the middle grades. Hillsdale: Lawrence Erlbaum, 1988. p. 141-161.

______________ Multiplicative conceptual field: what and why? In. Guershon, H. e Confrey, J. (Eds.). The development of multiplicative reasoning in the learning of mathematics. Albany, N.Y.: State University of New York Press, 1994. p. 41-59.

_____________ A Teoria dos Campos Conceituais. In BRUN, J. (Ed.) Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

_____________ A Criança, a Matemática e a Realidade: problemas do ensino da matemática na escola elementar. Tradução: Maria Lúcia Faria Mouro. Curitiba: Ed. Da UFPR, 2009.

Publicado
2017-12-31