Aspectos da tradução no poema “Los Muertos de la Plaza 28 de enero de 1946 Santiago de Chile” de Pablo Neruda

Palavras-chave: Translation; Poepoetry; Political Engagement.

Resumo

O presente artigo tem como proposta principal analizar a tradução o poema “Los Muertos de la Plaza”, encontrado no livro Canto General (1955) escrito pelo poeta chileno Pablo Neruda. Este poema se refere ao massacre que ocorreu no ano de 1946 na praça Bulnes localizada em Santiago no Chile. Para discorrer sobre o tema da tradução em especial de poesia vale ressaltar as questões particulares em que os tradutores se submetem no ato tradutológico; descrever sobre o engajamento social de Neruda por meio da escrita poética; analisar criticamente o contexto social a qual o poema foi escrito e para finalizar será debatido acerca das maneiras em que o poema foi traduzido. A metodologia desenvolvida nesta pesquisa é um levantamento bibliográfico com base em alguns teóricos de textos literários como base BERMAN (2013), POHLING (2009), BERTUSSI (2010) e ARROJO (2007), entre outros. Por meio desta pesquisa desejamos contribuir para a expansão dos poemas de Neruda para os leitores brasileiros, mesmo que se tratando de poemas traduzidos.

Palavras-chave: Tradução; Poesia; Engajamento Político.

 

Referências

ARROJO, Rosemary. Oficina de Tradução/ A teoria na prática. 5º ed. São Paulo: Ática, 2007. p. 85. Série Princípios.

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de: Marie Hélène C. Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. Revisores: Luana Ferreira de Freitas, Marie-Hélène Catherine Torres, Mauri Furlan, Orlando Luiz de Araújo. 2ª Ed. Tubarão: Copiart: Florianópolis: PGET/ UFSC: 2013, p. 39-103.

BERTUSSI, Lisana Teresinha. A poesia de Pablo Neruda: vanguarda, modernismo e regionalidade. Revista Antares; Letras e Humanidades. N° 3 – Jan / jun. 2010.

BRITTO, Paulo Henriques. A tradução literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020.

CAMPOS, Haroldo de. Transcriação. (Org.) Marcelo Tápia, Thelma Médici. 1. Ed. – São Paulo: Perspectiva, 2013.

DELISLE, Jean & WOODSWORTH, Judith. Os Tradutores na História. Tradução de Sérgio Bath. São Paulo: Editora Ática, 1998.
Disponível em Acesso em: 12 de jun. de 2016.

JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. Tradução: Izidoro Blikstein e Jose Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1995.

LARANJEIRA, Mário. Poética da Tradução: Do Sentido à Significância. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003.

LIMA, Thiago Estevão. A tradução e a sua história. Revista Litteris. ISSN:19837429. n° 10. setembro. 2012. Linguagens. Disponível em: Acesso em: 12 de jun.de 2016.

NERUDA, Pablo. Canto General I y II. Buenos Aires: Editorial Losada, S. A. 1955.

NERUDA, Pablo. Confesso que vivi. Tradução de Olga Savary. 3. ed. São Paulo: DIFEL/ Círculo do Livro, 1983.

NERUDA, Pablo. Canto Geral/Pablo Neruda. Tradução de Paulo Mendes Campos. 16ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010. p. 602.

NIDA, E. Language, culture and translating. Shanghai: Foreign Language Press, 1993.

PAZ, Octavio. Traducción: literatura y literalidad. Barcelona: Tusquets, 1971.

POHLING, Heide. Sobre a história da tradução. Em Cardozo, Maurício; Heidermann, Werner; Weininger, Markus (Orgs.). A escola tradutológica de Leipzig. Tradução de Ludmila Sandmann. Peter Lang Frankfurt a. M., Berlim etc., 2009.

RIOS, Dermival Ribeiro. Grande dicionário unificado da Língua Portuguesa. São Paulo: DCL, 2009.

RÓNAI, Paulo. A tradução vivida. Rio de Janeiro: EDUCOM, 1976.
STEINER, George. Depois de Babel: questões de linguagem e tradução. Tradução de Carlos Alberto Faraco. Curitiba: Editora UFPR, 2005, p. 533.
URRUTIA, Matilde. Minha vida com Pablo Neruda. Tradução de Luciana Savaget. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.
VENUTI, Lawrence. Escândalos da Tradução: por uma ética da diferença. Tradução de Laureano Pelegrin, Lucinéia Marcelino Villela, Marileide Dias Esquerdo e Valéria Biondo; Bauru, SP: EDUSC, 2002.
Publicado
2022-02-28