ACHEGAS PARA UMA ANÁLISE LEXICOGRÁFICA: o termo “signo linguístico” em dicionários gerais de língua

  • Daniela de Souza Silva Costa UFMS/CPAQ
Palavras-chave: Dicionários gerais de língua. Signo linguístico. Fazer lexicográfico.

Resumo

Tendo em vista que o léxico é patrimônio cultural de uma sociedade e que as obras que o documentam têm importância para além dos estudos linguísticos, os repertórios lexicográficos revelam o viver e o pensar de um dado grupo social a partir do registro lexical que promovem, além de refletir o conhecimento dessa sociedade acerca também da realidade técnico-científica que a cerca. Sendo assim, com o objetivo de verificar a aplicação de conceitos de Lexicografia na produção de dicionários, este trabalho cotejou as acepções de signo linguístico nas obras de Houaiss (2001), Ferreira (2004), Aulete (2006) e Michaelis (2007) e revelou que as obras lexicográficas em questão abordam o tema tratado sob diferentes perspectivas, confirmando a importância dos estudos em Lexicografia para o aprimoramento do fazer lexicográfico.

Biografia do Autor

Daniela de Souza Silva Costa, UFMS/CPAQ
Doutoranda pela Universidade Estadual de Londrina (PG/UEL). Mestre em Estudos de Linguagens. Professora Assistente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Aquidauana (CPAQ).

Referências

ANDRADE, M. M. de. Conceito/definição em dicionários de língua geral e em dicionários de línguas de especialidades. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 4., 2000, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: CiFEFil, 2000. Cadernos do CNLF, Série IV, n. 10. (Semântica e Lexicografia). Disponível em: < http://www.filologia.org.br/anais/anais%20iv/civ10_21-32.html >. Acesso em: 30 abr. 2016.

AULETE, C. Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Lexikon, 2006. Versão digital. Disponível em: < http://www.aulete.com.br/site.php?mdl=aulete_digital&op=o_que_e >. Acesso em: 30 abr. 2016.

BEVILACQUA, C. R.; FINATTO, M. J. B. Lexicografia e Terminografia: alguns contrapontos fundamentais. Alfa, São Paulo, v. 50, n. 2, p. 43-54, 2006.

BIDERMAN, M. T. de C. As ciências do léxico. In: OLIVEIRA, A. M. P. P. de; ISQUERDO, A. N. (Orgs). As ciências do léxico. Lexicologia, Lexicografia, Terminologia. 2. ed. Campo Grande: EDUFMS, 2001. p. 11-20.

BIDERMAN, M. T. de C. A ciência da Lexicografia. Alfa, Araraquara, v. 28 (supl.), p. 1-26, 1984.

BIDERMAN, M. T. de C. A estruturação mental do Léxico. In: Estudos de filosofia e linguística. São Paulo: T. A. Queiroz; São Paulo: EDUSP, 1981. p. 131-145.

BORBA, F. da S. Organização de dicionários: uma introdução à lexicografia. São Paulo: UNESP, 2003.

DUBOIS, J. et al. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 2006.

AZORÍN FERNÁNDEZ, D. La lexicografía como disciplina lingüística. In: MEDINA GUERRA, A. M. (Org.). Lexicografia Española. Barcelona: Ariel, 2003. p. 31-52.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Curitiba: Positivo, 2004. Versão digital 5.0.

HAENSCH, G. et al. La lexicografía: de la lexicografía teórica a la lexicografía práctica. Madri: Gredos, 1982.

HOUAISS, A. Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. Versão digital 1.0.

KRIEGER, M. da G. Tipologias de dicionários: registros de léxico, princípios e tecnologias. Calidoscópio, São Leopoldo, v. 4, n. 3, p. 141-147, set./dez. 2006.

KRIEGER, M. da G. Terminologia: uma entrevista com Maria da Graça Krieger. ReVEL, v. 9, n. 17, p. 443-452, 2011. Disponível em: < http://www.revel.inf.br/ files/entrevistas/revel_17_entrevista_maria_graca_krieger.pdf >. Acesso em: 30 maio 2016.

KRIEGER, M. da G.; FINATTO, M. J. B. Introdução à terminologia. Teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2004.

LARA, L. F. Teoria del diccionario monolíngüe. México: Centro de Estudos Linguísticos e Literários, 1996.

MEDINA GUERRA, A. M. Lexicografia espanhola. Barcelona: Ariel, 2003.

REY-DEBOVE, J. Étude linguistique et sémiotique des dictionnaires français contemporains. Paris: Mouton, 1971.

WEISZFLOG, W. Dicionário online Michaelis. São Paulo: Melhoramentos, 2007. Versão on-line. Disponível em: < http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues /index.php?typePag=creditos&languageText=portugues-portugues >. Acesso em: 03 abr. 2016.

Publicado
2016-12-31
Seção
ENSINO DE LÍNGUAS, SEMIÓTICA, SEMÂNTICA, SINTAXE - ARTIGOS