A Cades no Ceará e a formação de professores de Matemática nas décadas de 1950 e 1960: o que diziam os jornais?

Luiza Santos Pontello, Maria Laura Magalhães Gomes

Resumo


Este artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa em andamento que tem por objetivo conhecer e analisar as ações de formação de professores de Matemática desenvolvidas pela Campanha de Aperfeiçoamento e Difusão do Ensino Secundário, Cades, no Ceará, nas décadas de 1950 e 1960. Inicialmente, explicitam-se as escolhas metodológicas e o caminho já percorrido na pesquisa. Em seguida, aborda-se a busca realizada nos arquivos e hemerotecas e seus respectivos resultados. Na seção seguinte, são detalhadas as notícias encontradas sobre os cursos da Cades no Ceará em periódicos que circularam no período pesquisado. Como resultados parciais relatamos que se identificaram, até o momento, poucos documentos nos arquivos, assim como poucas pesquisas sobre o tema no Ceará. Em contrapartida, os jornais expressaram que esses cursos foram importantes para a formação de professores secundários no estado.


Texto completo:

PDF

Referências


Bacellar, C. (2008). Fontes documentais: Uso e mau uso dos arquivos. In C. B. Pinsky, C. Bacelar, J. Grespan, M. Napolitano, M. L. Janotti, P. P. Funari, T. R. DeLuca, V. P. Borges & V. Alberti. Fontes Históricas (pp. 23 – 80). São Paulo: Contexto.

Baraldi, I. M. & Gaertner, R. (2013). Textos e contextos: um esboço da CADES na História da Educação (Matemática). Blumenau: Editora da FURB.

Baraldi, I. M. & Gaertner, R. (2014). Formação de professores (de Matemática): textos e contextos de uma Campanha. Revista Dynamis. Blumenau: FURB, 20 (1), p. 28-38. Disponível em: http://proxy.furb.br/ojs/index.php/dynamis/article/view/5121

Cavalcante, O. S. (2002). Histórico. Colégio Ari de Sá. Retirado em 15 de julho de 2018, de: http://www.aridesa.com.br/pagina/institucional/historico.aspx

Controladoria Geral da União (CGU). (2016). Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão – e-SIC. Disponível em: https://esic.cgu.gov.br/sistema/site/index.aspx

Decreto Estadual n. 11.233 de 10 de março de 1975. (1975) Homologa a criação da Universidade Estadual do Ceará, aprova o respectivo Estatuto e dá outras providencias. Disponível em: http://pesquisa.doe.seplag.ce.gov.br/doepesquisa/sead.do?page=visualizador&cmd=16&action=VisualizaImagem&idDiario=11588&numPagina=1087&keyfile=SEADDO.0143VF3.2D7I223.

Decreto Federal n. 22.974 de 22 de abril de 1947. (1947) Autoriza o funcionamento de cursos da Faculdade Católica de Filosofia do Ceará. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1940-1949/decreto-22974-22-abril-1947-378344-publicacaooriginal-1-pe.html.

Decreto Federal n. 28.370 de 12 de julho de 1950. Concede reconhecimento aos cursos de filosofia, letras clássicas, letras neolatinas, geografia e história e de matemática da Faculdade Católica de Filosofia do Ceará. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1950-1959/decreto-28370-12-julho-1950-326482-publicacaooriginal-1-pe.html.

Decreto Federal n. 34.638 de 17 de novembro de 1953. (1953). Institui a Campanha de Aperfeiçoamento e Difusão do Ensino Secundário. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1950-1969/D34638.html.

Decreto Federal n. 66.967, de 27 de julho de 1970. (1970). Dispõe sobre a organização administrativa do Ministério da Educação e Cultura. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1970-1979/decreto-66967-27-julho-1970-408779-publicacaooriginal-1-pe.html.

Decreto Federal n. 2.890, de 21 de dezembro de 1998. (1998). Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e Funções Gratificadas do Ministério da Educação e do Desporto, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2890.htm.

DeLuca, T. R. (2008). Fontes Impressas: História dos, nos e por meio dos periódicos. In C. B. Pinsk, C. Bacellar, J. Grespan, M. Napolitano, M. L. Janotti, P. P. Funari, T. R. DeLuca, V. P. Borges & V. Alberti. Fontes Históricas (pp. 111-145). São Paulo: Contexto.

Farias, I. S., Therrien, J., Nóbrega-Therrien, S. M. & Sales, J. A. M. (2011). Formação de professores: a responsabilidade social da Universidade Estadual do Ceará. In Revista Educação Brasileira (pp. 1-14). Brasília: Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras – CRUB. Disponível em: http://www.crub.org.br/revista-educacao-brasileira/.

Fatos Históricos. (2008). Portal do Ceará. Retirado em 07 de agosto de 2018, de: http://www.ceara.pro.br/Pesquisas/MenuPesquisa.php.

Franco, L. (2008). A extinção das DEMEC: o impacto para as auditorias in loco no âmbito do FNDE. TCC em Gestão de Programas e Projetos Educacionais. Brasília: Universidade de Brasília. Retirado em 13 de setembro de 2017, de: http://bdm.unb.br/handle/10483/1507.

Garnica, A. V. M. (2015). História Oral em educação matemática: um panorama sobre pressupostos e exercícios de pesquisa. História Oral. Associação Brasileira de História Oral, 18, 2, 35-53.

Garnica, A. V. M. (2015a). O pulo do sapo: narrativas, história oral, insubordinação e educação matemática. In D’Ambrósio, B. S.; Lopes, C. E. (Orgs.) Vertentes da subversão na produção científica em Educação Matemática (pp. 181-206). Campinas: Mercado de Letras.

Gazeta de Notícias. (Várias edições). Disponível em: http://portal.ceara.pro.br/.

Ginzburg, C. (1990). Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história (F. Carotti, Trad.). São Paulo: Companhia das Letras.

Gomes, M. L. M. (2016). História da formação de professores que ensinam Matemática: no livro de memórias de uma professora paulista. Revista de História da Educação Matemática – Histemat. Sociedade Brasileira de História da Matemática – SBHMat, 2 (3). p.117 – 133. Disponível em: http://histemat.com.br/index.php/HISTEMAT/article/view/107/75.

Lima, L. O. (1962). A Escola Secundária Moderna (organização, métodos e processos). Rio de Janeiro: INEP/MEC.

O Nordeste. (Várias edições). Disponível em: http://portal.ceara.pro.br/.

Pinto, D. C. (2008). Campanha de Aperfeiçoamento e Difusão do Ensino Secundário: uma trajetória bem-sucedida?. In A. W. Mendonça & L. N. Xavier (Orgs.). Por uma política de formação do magistério nacional: o Inep/MEC dos anos 1950/1960 (pp. 145–177). Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP.

Pontello, L. S. (2009). Cartografia das relações de saber-poder, na formação de professores de Matemática, nas universidades públicas de Fortaleza. Dissertação de Mestrado em Educação. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará.

Ricarte, A. V. (2009). “O Nordeste” na década de 60: Das mudanças estruturais e ideológicas ao fechamento do jornal. In Anais do VII Encontro Nacional de História da Mídia. Fortaleza: Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia – ALCAR. Retirado em 10 de agosto de 2018, de: http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/7o-encontro-2009-1/O%20Nordeste201d%20na%20decada%20de%2060.pdf.

Santos, A. M. (2011). A Diocese do Crato e a importância do Colégio Diocesano para a sua manutenção 1914 – 1960. Dissertação de Mestrado em Educação. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará. Retirado em 13 de julho de 2018, de: www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/7299.

Silva, E. H. & Furtado, T. C. T. A. (2007). A mulher na mira do discurso disciplinador do jornal O Nordeste (1920 A 1940). In Anais do XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (pp. 1-19). Santos: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Retirado em 10 de agosto de 2018, de: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2007/resumos/R2374-1.pdf.

Timbó, M. (1959). Pelas Searas da Inteligência. Ipu em Jornal, II (15), p. 1-2.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.