História do ensino de matemática no Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais (1954-1968)

  • Renata Alves Costa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Laura Magalhães Gomes Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Este trabalho apresenta ações realizadas e previstas de um projeto de pesquisa de doutorado iniciado em 2017. A investigação objetiva construir uma história do ensino de Matemática do Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no período de 1954 a 1968. Nossa proposta será elaborada a partir de narrativas de ex-alunos, funcionários e professores sobre suas práticas e suas percepções sobre o ensino de Matemática nesse colégio. Espera-se investigar as práticas adotadas pelos professores, suas metodologias de trabalho, os recursos empregados e os materiais didáticos utilizados. Pretende-se, ainda, destacar a formação acadêmica e profissional dos professores do Colégio de Aplicação e compreender possíveis reflexos dessa formação em sua atuação pedagógica. Acredita-se que conhecer o discurso de ex-alunos, funcionários e professores que atuaram na escola contribuirá para resgatar as lembranças, as memórias e as intenções desses sujeitos quanto à sua atuação no CA, possibilitando, dessa forma, a elaboração da história do ensino de Matemática dessa escola no referido período. Para tal empreendimento, propomos a utilização da História Oral como referencial teórico-metodológico, tomando como referência trabalhos do Grupo História Oral e Educação Matemática-GHOEM. As narrativas, que serão obtidas por meio de entrevistas, constituem-se o núcleo de investigação desta pesquisa. Buscando conhecer o contexto de desenvolvimento desse colégio, bem como da Matemática como disciplina escolar, usaremos ainda como fontes materiais didáticos, livros, registros de professores e de alunos, diários de classe e outros documentos.

Biografia do Autor

Renata Alves Costa, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestre em Educação Tecnológica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais(CEFET - MG). Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social, da Faculdade de Educação da UFMG.
Maria Laura Magalhães Gomes, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

Alberti, V. (2004). Ouvir Contar: Textos em História Oral. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Alberti. V. (2006). Histórias dentro da história. In: PINSKY, Carla Bassanezi. (org.). Fontes Histórias. São Paulo: Contexto.

Bacellar, C. (2005). Fontes documentais: Uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKY, C. B.(org). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto.

Collares, M. M. (1989). Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia de Minas Gerais: a trajetória de uma escola de ensino médio no contexto universitário. Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais.

Dallabrida, N. (2009). A reforma Francisco Campos e a modernização nacionalizada do ensino secundário. Educação, Porto Alegre, 32(2), 185-191.

Decreto nº 19.890, de 18 de abril de 1931. (1931). Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Retirado em 05 de julho de 2016, de: http://www.histedbr.fe.unicamp.br.

Decreto nº 21.241, de 4 de abril de 1932. (1932). Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Retirado em 05 de julho de 2016, de: http://www.histedbr.fe.unicamp.br.

Decreto nº 1190, de 4 de abril de 1939. (1939). Dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Retirado em 05 de julho de 2016, de: http://www.planalto.gov.br.

Decreto nº4244, de 9 de abril de 1942. (1842). Lei orgânica do ensino secundário. Retirado em 05 de julho de 2016, de: http://www.planalto.gov.br.

Decreto nº 9053, de 12 de março de 1946. (1946). Cria um ginásio de aplicação nas Faculdades de Filosofia do País. Retirado em 05 de julho de 2016, de: http://www2.camara.leg.br. Acessado em:

Garnica, A. V. M. (2004). História oral e educação matemática. In: Borba, M. C.; Araújo, J. L., Fiorentini, D., Garnica, A. V. M. & Bicudo, M. A. V. Pesquisa qualitativa em educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica.

Garnica, A. V. M. (2007). Manual de História Oral em Educação Matemática outros usos outros abusos. Guarapuava: SBHMat, 16.

Garnica, A. V. M.(2010). Outras Inquisições: apontamentos sobre História Oral e História da Educação Matemática. Zetetiké. 18(34).

Garnica, A. V. M. (2014). Cartografias contemporâneas: mapear a formação de professores de Matemática. In: Garnica, A. V. M. Cartografias contemporâneas: Mapeando a formação de professores de Matemática no Brasil. Curitiba: Appris, 39-66.

Garnica, A. V. M. (2015). História Oral em Educação Matemática: um panorama sobre pressupostos e exercícios de pesquisa. História Oral, Rio de Janeiro, 18, 35-53.

Miorim, M. A. (1998). Introdução à História da Educação Matemática. São Paulo: Atual.

Romanelli, O. de O. (1999). História da educação no Brasil. Petrópolis: Editora Vozes, 23.

Souza, J. V. A. de.(2016). Licenciaturas da UFMG no período de 1968-1996. In: Filho, L. M. de F, Souza, J. V. A. de & Fonseca, N. M. L. (org). Formação Docente na UFMG: história e memória. Belo Horizonte: Mazza Edições.

Valente, W. R. (2003). O nascimento da Matemática do ginásio. Rio Claro: Editora da SBHMat.

Valente, W. R. (2004). Euclides Roxo e a modernização do ensino da matemática no Brasil. Brasília: Universidade de Brasília.

Publicado
2019-04-24
Como Citar
Costa, R. A., & Gomes, M. L. M. (2019). História do ensino de matemática no Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais (1954-1968). Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (4). Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/6383
Seção
Sessões Coordenadas