DESAFIOS NA VOZ DOS PROFESSORES TERENA DE AQUIDAUANA

Micilene Teodoro VENTURA

Resumo


Esse trabalho tem por objetivo apresentar como os professores indígenas Terena constroem sua carreira docente, em meio às dificuldades apresentadas ao trabalhar o processo de alfabetização em contexto do ensino bilíngue, em uma comunidade cuja língua materna é de tradição oral. Esta pesquisa foi desenvolvida com professores alfabetizadores do 1º ao 3º anos do Ensino Fundamental da Escola Indígena Polo General Rondon, localizada na Aldeia Bananal em Aquidauana/MS, Terra Indígena Taunay/Ipegue. O trabalho tem como objetivo analisar e compreender, por meio de narrativas autobiográficas, como os professores se constituem como docentes e construindo uma prática pedagógica em um contexto bilíngue. Fica evidenciado em suas narrativas, que há um longo caminho a ser percorrido em relação a uma proposta de alfabetização em um contexto bilíngue.

Palavras-chave


Educação Escolar Indígena. Professores Indígenas. Alfabetização Bilíngue.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 p

_______. Resolução CEB nº 3, de 10 de novembro de 1999. Fixa Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/D0026.htm Acessado em: 25/09/2013.

CUMMINS, James. Interdependencia lingüística y desarrollo educativo de los niños bilingües. Infância y Aprendizaje, Ontário, v. 21, p. 37-61, 1983.

FERREIRA, Andrey Cordeiro. Tutela e Resistência Indígena: etnografia e história das relações de poder entre os Terena e o Estado brasileiro. 2007, 413p. Tese (Doutorado em Antropologia Social). UFRJ/ Rio de Janeiro.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

MAHER, T.M. Língua Indígena e Língua Materna e Os diferentes Modelos de Educação Indígena. REVISTA TERRA INDÍGENA, nº 60: 52-61. (1991).

__________. “Formação de Professores Indígenas: uma discussão introdutória”.

In: Grupioni, L.D.B. Formação de Professores Indígenas: repensando trajetórias. Brasília: MEC/SEC/SEDUC. p.11-38.2006.

_________. A pesquisa colaborativa em Linguística Aplicada. In: FIDALGO, S. S; SHIMOURA, A. S. (Orgs.). Pesquisa crítica de colaboração: um percurso na formação Docente. São Paulo: PUC-SP, 2007, p. 148-157.

MAHER, Tereza Machado; CAVALCANTI, Marilda do Couto. Interação transcultural na formação do professor índio. In: SEKI, Lucy. (Org.). Linguística indígena e educação na América Latina. Campinas/SP: UNICAMP, 1993.

MELIÁ, B. Educação Indígena e alfabetização. São Paulo: Loyola, 1973.

NINCAO, O. S. Representações de professores indígenas sobre o ensino da língua Terena na escola. 2003. 134f. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2003.

______. Kóho Yoko Hovôvo/ o Tuiuiú e o Sapo: identidade, biletramento e política linguística na formação continuada de professores Terena. 2008. 236f. Tese (Doutorado em Linguística) - Universidade de Campinas, Campinas, SP, 2008.

PEREIRA, L. M. Os Terena de Buriti: formas organizacionais, territorialização e representação da identidade étnica. Dourados: UFGD, 2009.

VENTURA, Micilene Teodoro. O Processo de Alfabetização na Concepção dos Professores Terena da Aldeia Bananal. 146f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação) - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Campo Grande, Campo Grande/MS, 2015.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Outras informações podem ser obtidas exclusivamente pelo e-mail revistagepfip@gmail.com

REVISTA DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES- GEPFIP - ISSN 23595051 (Publicação online)

A/C Profa. Ana Lúcia Gomes da Silva (Editora-chefe)

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/CPAQ

Praça Nossa Senhora da Conceição, 163, Centro - CEP: 79200-000 - Aquidauana/ MS

Telefone: +55 (67) 3241 0312