Programação Intuitiva: em Busca de Compreensões

  • Renata Oliveira Balbino Universida Federal do Paraná https://orcid.org/0000-0003-3402-3422
  • Marco Aurélio Kalinke Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Evandro Alberto Zatti Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Silvana Gogolla de Mattos Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Taniele Loss Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Marcelo Souza Motta Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Palavras-chave: Programação de Computadores. Processos Educativos. Educação Tecnológica. Intuição. Software.

Resumo

Este artigo tem como objetivo a busca por ampliar compreensões acerca da “programação intuitiva”, para propor a sua definição no contexto educacional. Nesse intuito, realizou-se um estudo teórico e reflexivo ancorado em uma revisão literária de autores que tratam da temática investigada. Essa busca partiu do conhecimento dos fundamentos da programação de computadores para, na sequência, tratar da programação no âmbito educacional. Percebeu-se que a definição do termo “programação intuitiva” não é consenso entre os profissionais da informática e educadores. São apresentados alguns softwares, os quais possibilitam o uso de recursos de programação nos processos de ensino e de aprendizagem. Com base nas ferramentas observadas e nas formas de sua utilização, pode-se, então, propor uma definição para “programação intuitiva” como sendo uma linguagem de programação que leve em consideração as características de similaridade, visualização e acessibilidade.

Biografia do Autor

Renata Oliveira Balbino, Universida Federal do Paraná

Doutoranda em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM) da UFPR. Mestre em Educação Matemática pelo mesmo programa. Com especialização para professores de Matemática e graduação em Licenciatura em Matemática, ambos pela UFPR. Professora de Matemática da rede Estadual de ensino no Estado do Paraná. Membro do Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática (GPTEM). E-mail: rebalbino@yahoo.com.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3402-3422.

Marco Aurélio Kalinke, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutor em Educação Matemática pela PUC-SP, tem pós-doutorado pela Universidade de Milão (Clínica del Lavoro Luigi Devoto), mestrado em Educação pela UFPR e graduação em Matemática pela UTP-PR. É professor da UTFPR e membro do corpo docente do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM) da UFPR e do Programa de Pós-graduação em Formação Científica, Educacional e Tecnológica (PPGFCET) da UTFPR. Membro do Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática (GPTEM) e do Grupo de Pesquisa em Inovações e Tecnologias na Educação (GPITENDUC). E-mail: marcokalinke23@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5484-1724.

Evandro Alberto Zatti, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutorando em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Formação Científica Educacional e Tecnológica (PPGFCET) da UTFPR. Mestre em Engenharia de Produção pela UFSC, possui graduação em Tecnologia em Processamento de Dados pela UTP. Professor do ensino superior em cursos relacionados à Tecnologia da Informação, atuando na rede privada, nas modalidades presencial e EaD. Membro do Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática (GPTEM). E-mail: evandro.zatti@live.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3123-1197.

Silvana Gogolla de Mattos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professora de Matemática da rede estadual de ensino do Estado do Paraná, atuando na Diretoria de Tecnologia e Inovação Educacional. Possui graduação em Licenciatura em Matemática e mestrado em Educação em Ciências e em Matemática pela UFPR. É doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM) da UFPR. Membro do Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática (GPTEM). E-mail: syl.mattos@gmaill.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-6685-8638.

Taniele Loss, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutoranda e Mestre em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Formação Científica Educacional e Tecnológica (PPGFCET) pela UTFPR. Possui especialização em Metodologia do Ensino de Matemática pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras. Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Uninter e em Licenciatura em Matemática pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (CEFETPR). Membro do Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática (GPTEM) e do Grupo de Pesquisa em Inovações e Tecnologias na Educação (GPITENDUC). Professora de matemática do Ensino Fundamental II pela Secretaria Municipal da Educação de Curitiba e acadêmica bolsista da UTFPPR, Campus Curitiba, no Departamento Coordenação de Tecnologia na Educação (COTED). E-mail: tani_loss@hotmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0384-3260.

Marcelo Souza Motta, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutor em Ensino de Ciências e Matemática (UNCSUL), Mestre em Ensino de Ciências e Matemática (PUCMINAS), Especialista em Informática na Educação (UFLA) e Supervisão Escolar (UCM) e Licenciatura em Matemática (UFES). Professor do Departamento Acadêmico de Matemática (DAMAT) da UTFPR. Professor permanente do Programa do Programa de Pós-Graduação em Formação Científica, Educacional e Tecnológica (PPGFCET) da UTFPR e membro do corpo docente do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM) da UFPR. Coordenador a Especialização em Inovação e Tecnologias na Educação (INTEDUC); Líder do Grupo de Pesquisa em Inovações e Tecnologias na Educação (GPITENDUC) e membro do Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática (GPTEM).E-mail: msmotta@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5534-2735.

Referências

DEMO, Pedro. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2000.

BALBINO, Renata Oliveira. Os objetos de aprendizagem de Matemática do PNLD 2014: uma análise segundo as visões construtivista e ergonômica. 139 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

BORBA, Marcelode Carvalho; SILVA, Ricardo Scucuglia Rodigues da; GADANIDIS, George. Fases das tecnologias digitais em Educação Matemática. 2 Ed; 2 reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

BRACKMANN, Christian Puhlmann. Desenvolvimento do pensamento computacional através de atividades desplugadas. 226 p. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

CAPELIN, Alcione. O ensino de funções na lousa digital a partir do uso de um objeto de aprendizagem construído com vídeos. 147 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/41864. Acesso em 28 out. 2020.

DEWEY, John. Experience and nature. La Salle, IL: Open Court, 1925.

ELIAS, Ana Paulade Andrade Janz. Possibilidades de utilização de smartphones em sala de aula: construindo aplicativos investigativos para o trabalho com equações do 2º grau. 135 p. Dissertação (Mestrado em Formação Científica, Educacional e Tecnológica) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2018. Disponível em: https://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3897. Acesso em 28 out. 2020.

ELOY, Adelmo Antônio da Silva; LOPES, Roseli de Deus; ANGELO, Isabela Martins. Uso do Scratch no Brasil com objetivos educacionais: uma revisão sistemática. Revista Novas Tecnologias na Educação, v.15, n. 1, p. 1, jul. 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/75164. Acesso em: 28 out. 2020.

HOPPER, Grace Murray. The Education of a Computer. In: Proceedings of the 1952 ACM National Meeting, Pittsburgh: 243–249. Disponível em: https://dl.acm.org/doi/pdf/10.1145/609784.609818. Acesso em: 28 out. 2020.

HOUAISS, A. Dicionário Online de Português. Disponível em: https://houaiss.uol.com.br/pub/apps/www/v5-2/html/index.php#0. Acesso em: 28 out. 2020.

KALINKE, Marco Aurélio; MOTTA, Marcelo Souza. Objetos de Aprendizagem: pesquisas e possibilidades na Educação Matemática. Campo Grande: Editora Life, 2019.

KENSKI, Vani Moreira. Em direção a uma ação docente mediada pelas tecnologias digitais. In: BARRETO, R. G. (Org.) Tecnologias educacionais e educação à distância: avaliando políticas e práticas. Rio de janeiro: Quartet, 2001.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 8° ed. São Paulo: Papirus, 2011.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. São Paulo: Editora 34, 1993.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3° Ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 2010.

LIEBERMAN, Matthew Dylan. Intuition: A Social Cognitive Neuroscience Approach. In Psychological Bulletin. vol. 126, n. 1, 109-137, 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1037/0033-2909.126.1.109. Acesso em 28 out. 2020.

MEIRELES, Tatiana Fernandes. Desenvolvimento de um objeto de aprendizagem de matemática usando o Scratch: da elaboração à construção. 168 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/56109. Acesso em 28 out. 2020.

MULHOLLAND, Paul. Incorporating Software Visualization into Prolog teaching: a challenge, a restriction, and an opportunity. In: Proceedings of ICLP'97 Postconference workshop on logic programming environment, 14, 1997, Leuven. Proceedings of ICLP'97 Postconference Workshop on Logic Programming Environment. Mit Press, p. 33 – 42, 1997.

OLIVEIRA, Elaine Cristina de. Contribuição da programação intuitiva nos anos iniciais do ensino fundamental. Monografia de conclusão de curso. Especialização em inovação e tecnologias na educação. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2019. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/15329/1/CT_INTEDUC_I_2019_19.pdf . Acesso em 28 out. 2020.

PAPERT, Seymour. Mindstorms: children, computers and powerfull ideas. New York, Basic Books. 1980.

POKRESS, Shaileen Crawford; DOMÍNGUEZ VEIGA, José Juan. MIT App Inventor: enabling personal mobile computing. Proceedings of Programming for Mobile and Touch, PRoMoTo, 2013. Disponível em: https://arxiv.org/pdf/1310.2830.pdf. Acesso em: 28 out. 2020.

RAABE, Aandré; ZORZO, Avelino; BLIKSTEIN, Paulo. (org). Computação na educação básica: fundamentos e experiências. Porto Alegre: Penso, 316 p.2020.

RESNICK, Mitchel et al Scratch: Programming for All. Communications of the ACM, 52(11), 60-67. Disponível em: https://doi.org/10.1145/1592761.1592779. Acesso em: 28 out. 2020.

RESNICK, Mitchel. Computer as Paintbrush: Technology, Play, and the Creative Society. 2006. Disponível em: http://llk.media.mit.edu/papers/playlearn-handout.pdf. Acesso em: 28 out. 2020.

ROCHA, Flavia Sucheck Mateus. Análise de projetos do Scratch desenvolvidos em um curso de formação de professores. 135 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/59437. Acesso em: 28 out. 2020.

SANTOS, Celso Eduardo dos; LOURENÇO, Jose Luis; JÚNIOR, Alderico Rodrigues de Paula; BARBOSA, Luis Filipe Wiltgen. Desenvolvimento de um sistema baseado em blocos para programação intuitiva em microcontroladores. In: XII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VIII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, 2008. P.1. Paraíba. Anais eletrônicos. Disponível em: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2008/anais/arquivosINIC/INIC0372_01_A.pdf. Acesso em: 28 out. 2020.

SEBESTA, Robert Wayne. Concepts of Programming Languages. 11th global ed. Harlow: Pearson, 2016.

TANENBAUM, Andrew Stuart. Structured Computer Organization. London: Pearson Education Inc, 2013.

TIKHOMIROV, Oleg Konstantinovich. The psychological Consequences of Computerization. In Wertsch, J. V. (Ed.). The Concept of Activity in Soviet Psychology. New York: M. E. Sharpe Inc. p. 256- 278, 1981.

TORRES, Victor Paiva; AROCA, Rafael Vidal; BURLAMAQUI, Aquiles Filgueira. Ambiente de programação baseado na web para robótica educacional de baixo custo. In: Holos, vol. 5. 2014, p. 252-259 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Natal, Rio Grande do Norte, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.15628/holos.2014.1902. Acesso em 28 out. 2020.

ZATTI, Evandro Alberto. Programação orientada a objetos. Curitiba: Fael, 2017.

ZOPPO, Beatriz Maria. A contribuição do Scratch como possibilidade de material didático digital de Matemática no ensino fundamental I. 135 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/53394. Acesso em: 28 out. 2020.

Publicado
2021-12-17
Como Citar
BALBINO, R. O.; KALINKE, M. A.; ZATTI, E. A.; MATTOS, S. G. DE; LOSS, T.; MOTTA, M. S. Programação Intuitiva: em Busca de Compreensões. Perspectivas da Educação Matemática, v. 14, n. 36, p. 1-22, 17 dez. 2021.