Aprendizagem de Conceitos Matemáticos: tradução de códigos e aplicação de regras

  • Marisa Rosâni Abreu da Silveira Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Textos matemáticos. Tradução. Regras matemáticas. Filosofia da linguagem

Resumo

O texto matemático pode ser escrito em linguagem natural e/ou linguagem matemática. A primeira é polissêmica, a segunda é codificada e pretende ter um sentido único. A linguagem matemática não possui oralidade e utiliza a linguagem natural para ser lida. Esse tipo de texto é governado por regras matemáticas e regras gramaticais que subtendem conceitos matemáticos, pois a matemática é um jogo de signos segundo regras relacionadas com a formação de conceitos. Aplicar uma regra de decodificação é traduzir o texto que está codificado para descobrir uma determinação conceitual e transforma-lo em palavras com sentido. Um dos problemas de aprendizagem na matemática é a interpretação de seus enunciados e assim, nos propomos analisar a tradução de códigos matemáticos por palavras da linguagem natural que mudam de sentido conforme o contexto em que são empregadas. Nosso referencial teórico está pautado na filosofia da linguagem de Wittgenstein, bem como em algumas pesquisas de educadores que trabalham nesta perspectiva.

Biografia do Autor

Marisa Rosâni Abreu da Silveira, Universidade Federal do Pará
Possui Graduação em Matemática-Licenciatura Plena (1985), Especialização em Matemática (1988), Especialização em Filosofia do Conhecimento e da Linguagem (1995) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Mestrado em Educação (2000) e Doutorado em Educação (2005) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul com Estágio Doutoral na Universidade de Paris 7 e Estágio Pós-Doutoral no Institut d?Histoire et de Philosophie des Sciences et des Techniques da Université Paris 1 (Sorbonne). Atualmente é professora associada ao Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática e professora do Curso de Licenciatura Integrada em Educação em Ciências, Matemática e Linguagens da Universidade Federal do Pará, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino e aprendizagem da Matemática, discurso pedagógico, construção do conceito matemático, linguagem matemática, matemática e linguagens, tradução de textos matemáticos. Vice-Coordenadora do Polo Acadêmico UFPA/REAMEC. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Linguagem Matemática.

Referências

BARATA, R. C. A compreensão de expressões algébricas na filosofia da linguagem de Wittgenstein. Belém: UFPA. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática), 2017.

BENOIST, J. Les limites de l’interprétation. En Wittgenstein et les questions du sens. n. 20, 2ª. Série, pp. 147-162, Paris: L’art du compreendre, 2011.

OLIVEIRA, R. R. N. “Ver como”: uma vivência do olhar para a aprendizagem de geometria. Belém, UFPA, (Dissertação de Mestrado), 2012.

OLIVEIRA, M. S. y Silveira, M. R. A. Falar e mostrar para provar: uma contribuição teórica sobre a utilização dos gestos ostensivos wittgensteinianos como auxiliares na prova matemática. Alexandria, Florianópolis, v. 9, n. 2, 2016.

SAVIETTO, N. Jogos de linguagem e significação em aulas de Física no ensino médio. Florianópolis, UFSC, (Dissertação de Mestrado), 2013.

SILVA, Paulo Vilhena da. O aprendizado de regras matemáticas: uma pesquisa de inspiração wittgensteiniana com crianças da 4ª série no estudo da divisão. Belém: UFPA. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática), 2011.

SILVEIRA, M. R. A.; SILVA, P. V. O cálculo e a escrita matemática na perspectiva da filosofia da linguagem: domínio de técnicas. Educação Matemática e Pesquisa, São Paulo, v.18, n.1, 469-483, 2016.

SOUZA, E. S. R.; SILVEIRA, M. R. A. Etnofísica e linguagem. Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, Belém, v. 12, n. 23, 103-117, 2015.

WITTGENSTEIN, L. Escrito a máquina [The Big Typescript]. Madrid: Editorial Trotta, 2014.

WITTGENSTEIN, L. Fichas (Zettel). Lisboa: Edições 70, 1989.

WITTGENSTEIN, L. Gramática Filosófica. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. Rio de Janeiro: Coleção Pensamento Humano, 1996.

WITTGENSTEIN, L. Observaciones sobre la filosofía de la psicología. México: Instituto de Investigaciones Filosóficas, v. 1., 2006.

WITTGENSTEIN, L. (1987). Observaciones sobre los fundamentos de la matemática. Madrid: Alianza Editorial.

WITTGENSTEIN, L. Vocabulaire à l’usage des écoles primaires. (Tradução de Jean-Pierre Cometti. In.: Ludwig Wittgenstein. Marseille: SUD. Revue Litteraire Bimestrielle, 1986.

Publicado
2018-07-05
Como Citar
SILVEIRA, M. R. A. DA. Aprendizagem de Conceitos Matemáticos: tradução de códigos e aplicação de regras. Perspectivas da Educação Matemática, v. 11, n. 25, 5 jul. 2018.