Letramento crítico na plataforma Kahoot: a ferramenta quiz

  • Iasmin Maia Pedro UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
Palavras-chave: Letramento Crítico, Kahoot, Propiciamento

Resumo

Este trabalho tem por objetivo apresentar um recorte de análise da plataforma Kahoot, como parte de um corpus maior que leva em conta seu (não) propiciamento para a construção de pedagogias críticas no ensino de língua inglesa. O trabalho está sustentado na perspectiva teórica do letramento crítico, critical literacy education (JANKS, 2013), a partir da qual foram analisados dois jogos do tipo quiz, um dos que compõem a estrutura da Kahoot, filtrados pelo nome da escritora contemporânea Chimamanda Ngozi Adichie – reconhecida por sua luta frente às causas sociais, como o preconceito, o racismo e o papel da mulher na sociedade. Desse modo, foi possível direcionar o olhar para a aprendizagem baseada nos letramentos críticos, alinhado à reconfiguração da concepção educacional baseada em modelos individualistas de leitura e escrita, de forma a integrar os aspectos culturais, as teorias do discurso, as práticas textuais e uma pedagogia crítica da sala de aula (LUKE, 1997). Buscou-se também levantar reflexões sobre o uso de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) na educação, voltadas para o propiciamento - affordance (MCLOUGHLIN; LEE, 2007) e o uso de recursos digitais. Identificou-se, então, que as affordances dos jogos, por si só, são limitadas para o desenvolvimento do letramento crítico, pois, apesar da temática tender à criticidade, suas atividades são ainda restritas à decodificação da língua. Isso ilustra o aspecto mercadológico do ensino de língua inglesa, enquanto ferramenta tecnológica propiciada pela globalização, nos termos da gamificação de ambientes de aprendizagem.

Biografia do Autor

Iasmin Maia Pedro, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
Graduanda do curso de Letras - Português e Inglês. Desenvolve projeto de iniciação cientifica (PIVIC) sob uma perspectiva dos letramentos críticos, pelo Grupo de Pesquisa Práticas de Letramento Multi/Hipermidiáticas- CNPq.

Referências

ALVES, F. Gamification: como criar experiências de aprendizagem engajadoras. São Paulo: DVS Editora, 2015.

BOTTENTUIT JR, J. B. O aplicativo kahoot na educação: verificando os conhecimentos dos alunos em tempo real. Disponível em: https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/53672502/selection.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1522199471&Signature=H9E4Z4CVb1o6h4%2F4k77vWGueRyY%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%3DO_APLICATIVO_KAHOOT_NA_EDUCACAO_VERIFICA.pdf. Acesso em: 10 abr. 2018.

FARDO, M. L. A gamificação aplicada em ambientes de aprendizagem. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/41629. Acesso em: 1º set. 2019.

FORTES, L. A lingual inglesa no acontecimento do “ensino bilíngue”: memória, currículo e políticas de línguas. In: VI Seminário de estudos em análise do discurso 1983-2013 – Michel Pêcheux: 30 anos de uma presença. Anais do VI SEAD. Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013, p. s/p.

GAZOTTI-VALLIM, M. A.; GOMES, S. T.; FISCHER, C. R. Vivenciando Inglês com kahoot. São Paulo: The ESPecialist. 2017. Disponível em: <<https://revistas.pucsp.br/index.php/esp/article/view/32223/22258>&gt;. Acesso em: 10 abr. 2018.

JANKS, H. Critical literacy in teaching and research. Education Inquiry, University of the Witwatersrand, South Africa, vol. 4, No. 2, p. 225-242, 2013.

KUMARAVADIVELU, B. A linguística aplicada na era da globalização. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (Org.). Por uma lingüística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006, p. 129-147.

LUKE, A. Critical approaches to literacy. Encyclopedia of Language and Education, University of Queensland, Australia, vol. 2, p. 143-151, 1997.

LUKE, A. Critical Literacy: Foundational Notes. Theory Into Practice, The College of Education and Human Ecology, Australia, 2012.Disponível em: https://doi.org/10.1080/00405841.2012.636324. Acesso em: 20 abr. 2019.

MCLOUGHLIN, C.; LEE, M. J.W. Social software and participatory learning: Pedagogical choices with technology affordances in the Web 2.0 era. Singapore: Ascilite, 2007.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T. Para uma redefinição de letramento crítico: conflito e produção de significação. In: MACIEL, R. F.; ARAUJO, V. A. (org.). Formação de professores de línguas: expandindo perspectivas. São Paulo: Paco Editorial, 2011.

PAIVA, V.L.M.O. Propiciamento (affordance) e autonomia na aprendizagem de língua inglesa. Disponível em: http://www.veramenezes.com/affordance.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

PEDRO, I.M.; BIONDO, F. LETRAMENTO CRÍTICO NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA: uma análise discursiva da plataforma kahoot. In: FLORES, G. B.; GALLO, S. M. L. et al (Orgs.). Discurso, cultura e mídia: pesquisas em rede. Rio Grande do Sul: Oliveira Books, 2019. p. 62-85. E-book

Publicado
2020-03-30
Seção
EDIÇÃO ESPECIAL - II SELLIAQ (SEMINÁRIO NACIONAL DE LÍNGUAS E LINGUAGENS DA UFMS/CPAQ)