As frações nas edições da Segunda Aritmética da Série Concórdia

  • Malcus Cassiano Kuhn Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul Câmpus Lajeado/RS.

Resumo

Em 1900, o Sínodo de Missouri, hoje Igreja Evangélica Luterana do Brasil, iniciou missão nas colônias alemãs gaúchas, fundando congregações religiosas e escolas paroquiais. Tais escolas estavam inseridas num projeto missionário e comunitário que buscava ensinar língua materna, Matemática, valores culturais, sociais e religiosos. Nesse contexto, aborda-se a presença das frações nas duas edições da Segunda Aritmética da Série Concórdia, editadas pela Igreja Luterana, por meio da Casa Publicadora Concórdia de Porto Alegre, no século XX. A investigação está baseada no referencial da pesquisa histórica e do conceito de cultura escolar. Verificou-se que nas edições da Segunda Aritmética se prioriza o significado das frações 1/2, 1/3 e 1/4, pelo método de ensino intuitivo. As frações estão contextualizadas com práticas socioculturais, desenvolvidas nas comunidades em que as escolas paroquiais luteranas estavam inseridas, associadas com unidades dos sistemas de medidas e operações comerciais.

Biografia do Autor

Malcus Cassiano Kuhn, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul Câmpus Lajeado/RS.

Doutor em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA.

Estágio Pós-doutoral em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Luterana do Brasil - ULBRA.

Líder do Grupo de Pesquisa Estratégias de Ensino para Educação Básica e Profissional.

Membro do Grupo de Pesquisas sobre Formação de Professores de Matemática – GPFPMat.

Professor EBTT no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul Câmpus Lajeado.

Chefe do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul Câmpus Lajeado.

Referências

Britto, S. L. M. (2016). O ensino da aritmética nas escolas paroquiais católicas e no Ginásio Conceição, sob a ótica dos jesuítas nos séculos XIX e XX. Tese de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática. Canoas: Universidade Luterana do Brasil.

Certeau, M. (1982). A escrita da História. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares – reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, (2), 177-229.

Dreher, M. N. (1999). O desenvolvimento econômico do Vale do Rio dos Sinos. Estudos Leopoldenses – Série História, 3(2), 49-70.

Goerl, O. A. [194-]. Série Concórdia: Segunda Aritmética. Porto Alegre: Casa Publicadora Concórdia.

Julia, D. (2001). A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, (1), 9-43.

Kreutz, L. (1994). Material didático e currículo na escola teuto-brasileira. São Leopoldo: Ed. UNISINOS.

Kreutz, L. (1991). O professor paroquial: magistério e imigração alemã. Porto Alegre: Ed. da UFRGS; Caxias do Sul: EDUCS.

Kuhn, M. C. (2015). O ensino da matemática nas escolas evangélicas luteranas do Rio Grande do Sul durante a primeira metade do século XX. Tese de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática. Canoas: Universidade Luterana do Brasil.

Kuhn, M. C. & Bayer, A. (2017a). A matemática nas escolas paroquiais luteranas gaúchas do século XX. Canoas: Ed. ULBRA.

Kuhn, M. C. & Bayer, A. (2017b). O contexto histórico das escolas paroquiais luteranas gaúchas do século XX. Canoas: Ed. ULBRA.

Lemke, M. D. (2001). Os princípios da educação cristã luterana e a gestão de escolas confessionárias no contexto das ideias pedagógicas no sul do Brasil (1824 – 1997). Canoas: Ed. ULBRA.

Lindemann, J. C. W. (1888). Amerikanisch-Lutherische Schul-Praxis. Sant Louis: Lutherischer Concordia – Verlag.

Mauro, S. (2005). Uma história da matemática escolar desenvolvida por comunidades de origem alemã no Rio Grande do Sul no final do século XIX e início do século XX. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista.

Prost, A. (2008). Doze lições sobre a História. Belo Horizonte: Autêntica.

Rambo, A. B. (1994). A escola comunitária teuto-brasileira católica. São Leopoldo: Ed. UNISINOS.

Rambo, A. B. (1996). A escola comunitária teuto-brasileira católica: a associação de professores e a escola normal. São Leopoldo: Ed. UNISINOS.

Série Concórdia: Segunda Aritmética. (1948). Porto Alegre: Casa Publicadora Concórdia.

Valente, W. R. (2007). História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. REVEMAT – Revista Eletrônica de Educação Matemática, 2(2), 28-49.

Wanderer, F. (2007). Escola e Matemática Escolar: mecanismos de regulação sobre sujeitos escolares de uma localidade rural de colonização alemã no Rio Grande do Sul. Tese de Doutorado em Educação. São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Weiduschadt, P. (2007). O Sínodo de Missouri e a educação pomerana em Pelotas e São Lourenço do Sul nas primeiras décadas do século XX: identidade e cultura escolar. Dissertação de Mestrado em Educação. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas.

Weiduschadt, P. (2012). A revista “O Pequeno Luterano” e a formação educativa religiosa luterana no contexto pomerano em Pelotas – RS (1931-1966). Tese de Doutorado em Educação. São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Publicado
2019-04-24
Como Citar
Kuhn, M. C. (2019). As frações nas edições da Segunda Aritmética da Série Concórdia. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (4). Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/6366
Seção
Sessões Coordenadas