Desafios da Implementação de um Currículo Bilíngue: reflexões sobre a construção desse novo espaço do inglês nas escolas

  • Helena Kieling UFPEL
  • Rafael Vetromille-Castro Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Documentos oficiais; Língua Inglesa para Crianças; Formação Docente; Educação bilíngue.

Resumo

Este trabalho apresenta reflexões acerca dos documentos oficiais que pautam o ensino da Língua Adicional no Brasil e os desafios por parte das instituições de ensino que pretendem estabelecer o ensino da Língua Adicional em currículo Bilíngue desde a infância. A realidade, hoje em dia, evidencia grande demanda pelo ensino de inglês (RUBBO, 2016; TONELLI e CHAGURI, 2014; TANACA, 2017), seja em escolas de idiomas, escolas particulares ou na crescente emergência de escolas bilíngues (Português-Inglês); no entanto, cada um desses contextos revela uma necessidade específica e a que será contemplada neste trabalho é a das escolas Bilíngues. São muitas as dificuldades encontradas à implementação de um projeto bilíngue em uma escola. Para tanto, abordaremos os principais desafios com objetivo de refletir sobre a implementação do currículo Bilíngue: a lacuna da formação docente para professores de línguas para crianças (FREITAS, KAWACHI-FURLAN, BROSSI e TONELLI, 2020), uma análise do local da Língua Inglesa nos documentos oficiais e a importância de uma visão heteroglóssica de língua na escola que deseja tornar-se bilíngue.

Referências

AVILA, P. A.; TONELLI, J. R. A. A ausência de políticas para o ensino de língua estrangeira no ensino fundamental i: reflexões acerca da obrigatoriedade da oferta nos currículos das escolas municipais públicas. Revista X, Curitiba, vol. 13, n .2, p.111-122, 2018.
BALADELI, A. P. D. O ensino de língua inglesa na educação básica: entre o descrédito e a motivação. In: EDUCERE - Congresso Nacional de Educação, XII, 2015, Curitiba. Artigo. 12 p.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.
BRASIL. Parecer CNE/CEB Nº: 2/2020, de 9 de julho de 2020. Diretrizes Curriculares Nacionais para a oferta de Educação Plurilíngue. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2021.
BROSSI, G. C.; FURIO, M.; TONELLI, J. R. A. Currículo e Formação de professores de inglês em duas universidades: questões e desdobramentos. Reflexão e Ação. Santa Cruz do Sul, v.28, n. 3, p. 96-112, set./dez. 2020.
CHAGURI, J. P.; TONELLI, J. R. A. O jogo nas aulas de língua estrangeira para crianças. Vertentes & Interfaces I: Estudos Linguísticos e Aplicados. Fólio – Revista de Letras Vitória da Conquista v. 6, n. 2 p. 167-187 jul./dez. 2014.
COLOMBO, C. S.; CONSOLO, D. A. O ensino de Inglês como Língua Estrangeira para Crianças no Brasil: cenários e reflexões. 1 ed. São Paulo: Cultura acadêmica, 2016.
KUMARAVADIVELU, B. A linguística aplicada na era da globalização. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 129-148.
DEWEY, J. Experience and Education. Nova York: Free Press, 2015.
FREITAS, C., KAWACHI-FURLAN, C., BROSSI, G., TONELLI, J. (2020). Apresentação do Dossiê Educação Linguística na Infância. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística e Teoria Literária, 12(2), p. 134-137.
GARCÍA, O. Bilingual education in the 21st century: A global perspective. Oxford: Wiley-Blackwell, 2009.
HALLIWELL, S. Teaching English in primary School. Edinburgh Gate: Addison Wesley Longman Limited, 1998.
MAGALHÃES, V. B. O Perfil e a Formação Desejáveis aos professores de Língua Inglesa para Crianças: TONELLI, J. R. A; CHAGURI, J. de P.(Orgs.). Ensino de língua estrangeira para crianças: o ensino e a formação em foco. Curitiba: Appris, 2012, p. 229-247.
MEGALE, A. H., CAMARGO, H. R. E. de. Práticas translíngues: o repertório linguístico do sujeito bilíngue no século XXI. Revista Tabuleiro de Letras, PPGEL Salvador, Vol.: 09; nº. 01, p. 04-18, Junho de 2015. ISSN: 2176-5782
MOON, J. Teaching English to Young Learners: the challenges and the benefits. In English, n.5, 2005.
PICANÇO, D. L. Para quê queremos ensinar LE às nossas crianças. In: TONELLI, J. R. A; CHAGURI, J. P. (Orgs.). Ensino de língua estrangeira para crianças: o ensino e a formação em foco. 2ª ed. Curitiba: Appris, 2013. p. 261-280.
ROCHA, C. H. Provisões para ensinar LE no ensino fundamental de 1ª a 4ª séries: dos parâmetros oficiais e objetivos dos agentes. 2006. 340 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP. 2006.
RUBBO, G. F. de S. Por que Aprendemos Línguas Estrangeiras? com a palavra, as crianças. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Paraná. Curitiba,176 p. 2016.
TANACA, J. J. C. Aprendizagem expansiva em espaços híbridos de formação continuada professoras de inglês para crianças no projeto londrina global. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem). Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 255 p. 2017.
SANTOS, L. I. S. Língua inglesa em anos iniciais do ensino fundamental: fazer pedagógico e formação docente. 2009. 274 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, 2009.
TANACA, J. J. C. Aprendizagem expansiva em espaços híbridos de formação continuada professoras de inglês para crianças no projeto londrina global. Dissertação. Londrina, 2017, 255 F.
TONELLI, J. R. A. Histórias Infantis e Ensino de Inglês para Crianças: reflexões e con- tribuições. Revista de ciências humanas, v. 13, n. 2, p. 297-315, 2013.
Publicado
2022-06-03