O papel da educação patrimonial no diálogo com os agentes sociais do conselho municipal de combate a discriminação e o racismo (COMCEDIR) de Araraquara: repensando representações sociais nos espaços museais de Araraquara-SP

  • Robson Rodrigues Universidade Federal de Uberlândia
  • Dulcelaine Lopes Nishikawa Fundação Araporã
  • Talita Mara Catini Fundação Araporã
  • Ana Patrícia Ferreira Silva Fundação Araporã

Resumo

Resultado de um projeto maior intitulado ”Recuperação e Conservação de Acervos do Patrimônio Histórico e Cultural de Araraquara”. Nessa proposta estava previsto ações de curadoria e conservação com curso de capacitação técnica de agentes dos Museus de Araraquara e também um programa de Educação Patrimonial. As ações educativas foram desenvolvidas com alunos de uma escola pública e com os representantes do Conselho Municipal de Combate a Discriminação e o Racismo (COMCEDIR). O trabalho permitiu um diálogo entre educadores e agentes sociais a respeito das possíveis formas de se observar o passado tendo em vista possibilidades para se preservar e promover a sustentabilidade do patrimônio cultural, local e regional, a partir de estímulos da imaginação do público acerca de outros períodos históricos e a respeito de outras formas de se pensar os patrimônios existentes nos espaços museais. A metodologia utilizada foi colocar o público no centro da ação pedagógica, utilizando o patrimônio arqueológico e histórico-cultural musealizado do município.

Biografia do Autor

Robson Rodrigues, Universidade Federal de Uberlândia
Doutor em Arqueologia pelo MAE-USP. Pesquisador e pós-doutorando PNPD-Capes do Instituto de Ciências Sociais-INCIS da Universidade Federal de Uberlândia-UFU e coordenador do Grupo de Pesquisa CNPq: Grupo de Estudos e Pesquisas em Arqueologia, Etnologia e História Indígena. GEPAEHI/NUPECS/INCIS/UFU.
Dulcelaine Lopes Nishikawa, Fundação Araporã
Mestre em Engenharia Ambiental pelo CRHEA/USP e Doutora em Sociologia pela FCL/UNESP.  Coordena o Grupo de Educação Patrimonial-GEP da Fundação Araporã.
Talita Mara Catini, Fundação Araporã
Graduada em Ciências Sociais pela Faculdade de Ciências e Letras UNESP. Membro GEP-Fundação Araporã.
Ana Patrícia Ferreira Silva, Fundação Araporã
Graduada em Ciências Sociais pela Faculdade de Ciências e Letras UNESP. Membro GEP-Fundação Araporã.

Referências

BRUNO, M. C. O. Museologia: a luta pela perseguição ao abandono. Tese de Livre Docência. MAE/USP. São Paulo, 2000.

BRUNO, M. C. O. Museus e pedagogia museológica: os caminhos para a administração dos indicadores da memória. IN: MILDER, S.E.S. As várias faces do patrimônio. Santa Maria: Pallotti, pp. 119‐140.

CERQUEIRA, Fábio V., ZORZI, Mariciana, MACIEL, Luísa M. e SCHUWANZ, Jezuína K. Considerações conceituais e metodológicas sobre projetos de educação patrimonial. Revista de Arqueologia Pública. Campinas-SP nº04, 2011.

CERQUEIRA, Fábio V. Educação Patrimonial na Escola. Por que e Como? In CERQUEIRA, V. Fabio; GUTIERREZ, Ester Judite Bendouya; SANTOS, Denise Ondina Marroni dos; MELO Alan Dutra de (org.) Educação Patrimonial: perspectivas Multidisciplinares. Pelotas, Instituto de Memória e Patrimônio, 2008.

CHAGAS, M. Há uma gota de sangue em cada museu: a ótica museológica de Mário de Andrade. Dissertação de Mestrado UNIRIO. Rio de Janeiro, 1997.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DA UNESCO SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL. Resolução aprovada em 02 de novembro de 2001. Disponível em < http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001246/124687s.pdf>.

FUNARI, P.P. Arqueologia. São Paulo, Contexto, 2003.

FUNARI, Pedro Paulo e PELEGRINI, Sandra de Cássia Araújo. Patrimônio histórico e cultural. Rio de Janeiro, Zahar, 2006.

GENTILINI, João A. e SCARLATTO, Elaine C. A relevância da racionalidade comunicativa para a gestão educacional. Revista Exitus. Política e Gestão da Educação – 02. Vol. 3, no. 01. Jan/Jun. 2013.

HOOPER-GREENHILL, E. Museum and Gallery Education. Routledge. London, 1991.

LOPES, M. M. Museu: uma perspectiva de educação em geologia. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1988.

MARANDINO, M. Educação em museus: a mediação em foco. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2008

MARTINS, L. C. (org.) Que público é esse: formação de públicos de museus e centros culturais. Percebe: além dos espaços formais de educação. São Paulo, 2013.

MARTINS, L. C. A Constituição da Educação em Museus: o funcionamento do dispositivo pedagógico museal por meio de um estudo comparativo entre museus de artes plásticas, ciências humanas e ciências e tecnologia. Tese de Doutorado pela Faculdade de Educação USP. São Paulo, 2011.

MORAES WICHERS, C. A. Patrimônio Arqueológico Paulista: proposições e provocações museológicas. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, 2011.

SCARLATTO, Elaine Cristina. O formal e o Real na Educação complementar de Araraquara-SP: o amargo da doce ilusão, 2011. Dissertação (mestrado em Educação Escolar) Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras-Campus Araraquara.

VIDAL, Lux e LOPES DA SILVA, Aracy. Antropologia estética: enfoques teóricos e contribuições metodológicas. IN: VIDAL, Lux (org.). Grafismo Indígena: estudos de antropologia estética. São Paulo: Studio Nobel: Editora da Universidade de São Paulo: FAPESP, 1992.

VIDAL, Lux e LOPES DA SILVA, Aracy. Iconografia e grafismos indígenas, uma introdução. IN: VIDAL, Lux (org.). Grafismo Indígena: estudos de antropologia estética. São Paulo: Studio Nobel: Editora da Universidade de São Paulo: FAPESP, 1992.

Publicado
2018-12-17
Seção
Dossiê - Patrimônio, cultura material e imaterial: diálogos e perspectivas