América Latina racionalizada na nova Lei de Migração (Lei nº 13.445 / 17): discursos e legitimidade

  • Marco Aurélio Machado de Oliveira Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campus de Aquidauana
  • Fábio Machado da Silva
  • Davi Lopes Campos

Resumo

O presente trabalho é fruto da con­tinuidade de reflexões iniciadas no curso de Mestrado em Estudos Fronteiriços da Univer­sidade Federal do Mato Grosso do Sul com apoio do Laboratório de Estudos Fronteiriços/ UFMS. O presente artigo revisita algumas re­flexões relacionadas à imigração na América latina nos aspectos envolvendo os discursos e a legitimidade. Parte-se da premissa de que é possível pensar a questão migratória nesse espaço dentro de um relacionamento legítimo e discursivo. Com esta análise permitem-se algumas discussões teóricas sobre como são desenvolvidos os diálogos discursivos entre os atingidos pela nova lei de migração (lei nº 13.445/17) conferindo ou não legitimidade aos atores envolvidos. O recorte escolhido tem o objetivo de analisar criticamente aspecto prá­tico no discurso dos operadores do direito re­ferente à migração, propondo um debate de como o direito pode limitar ou ampliar a ques­tão social, histórica e cultural da migração na atualidade. Com isso, busca-se propiciar dis­cussão sobre aspectos ligados à questão inter­disciplinar, com ênfase nas questões migrató­ria, abrindo o diálogo para contribuição crítica da comunidade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Aurélio Machado de Oliveira, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campus de Aquidauana
Docente do Curso de História e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais do Campus de Aquidauana da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Doutor em História Social pela Universidade Federal de Uberlândia (2011). Coordenador do LabDiS - Laboratório de Estudos em Cultura & Diversidade, Política & Sexualidade. Líder do Universo Dialógico - Grupo de Pesquisa em Linguagens & Diferença.

Referências

ALBUQUERQUE, José Lindomar C. Fronteiras e identidades em movimen¬to: fluxos migratórios e disputa de poder na fronteira Paraguai-Brasil. Cad. CERU. 2008, vol.19, n.1, pp. 49-63.

____Imigração em Territórios Fronteiriços, V Congresso de Sociologia, Uni-versidade de Lisboa, Revista Saberes e Praticas, 2008, p.1-13.

CAMPOS, Davi Lopes. Globalização E Fronteira: Um Estudo De Caso Sobre A Brasbol em Corumbá, MS, 2011.

CERQUEIRA, Marcello. Nova Lei de Estrangeiros ou Regimento Interno da Bastilha?. In:Rio de Janeiro. PLG – Comunicação, 1981.

DORFMAN, A e ROSÉS, G. T. B. (2005): Regionalismo fronteiriço e o “acor¬do para os nacionais fronteiriços brasileiros uruguaios”. In: OLIVEIRA, T. C. M. de (Org.). Território sem limites: estudos sobre fronteiras. Campo Grande: UFMS. 195-228.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

_______ A verdade e as formas jurídicas, NAU editora, RJ, 2003, 3ª edição.B

GERAIGES, QUESTÕES TERRITORIAIS NA AMÉRICA LATINA por Rebeca Scherer IN Amalia Inés Geraiges de Lemos, M aría Laura Silveira, Mónica Ar¬royo (orgs.) Buenos Aires: CLACSO; São Paulo: USP, 2006.

GRIMSON, Alejandro. 2011. Pensar Fronteras desde las Fronteras. Nueva Sociedad n.170. Noviembre-Deciembre.

_________________. 2003 . La Nacion em Sus Límites. Contrabandistas y Exilados em La Frontera Argentina- Brasil. Barcelona: Gedisa Editorial.

________________. 2011. Doce equívocos sobre las migraciones. revista Nueva Sociedad No 233, mayo-junio de 2011, ISSN: 0251-3552, .

HAESBAERT, Rogério; SANTA BARBARA, Marcelo de Jesus. Identidades e migração em áreas transfronteiriças. Geografia, n. 5. RJ. Ano III, set 2006.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. 3º ed. Rio de Janei¬ro,1999.

HALE,Cultural Politics of Identity in Latin America Author(s): Charles R. Hale Source: Annual Review of Anthropology, Vol. 26 (1997), pp. 567-590 Published by: Annual Reviews Stable URL: http://www.jstor.org/stable/2952535 . Acces¬sed: 24/04/2013 17:57

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Vol. I. Tradução Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. 1997a.

__________________. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Vol. II. Tradução Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. 1997b.

___________________ A inclusão do outro: estudos de teoria política. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

KLEIN, Herbert S. Bolívia. Do período Pré-incaico à Independência. Editora Brasiliense.2004.

LINERA, Alvaro Garcia. A Potência Plebeia, Editora Bom Tempo.2010

MACHADO, L.O. . “Sistemas, Fronteiras e Territórios”.

________ “Limites, Fronteiras, Redes”. Em T. M. Strohaecker et alli. (orgs.). Fronteiras e Espaço Global. Porto Alegre: AGB, 1998.

MAGNANI, J.G.C. Etnografia como pratica e experiência. In Horizontes Antro-pológicos, Vol.15, n°.32, Porto Alegre, 2009.

MARTINS, José de Souza. Fronteira: a Degradação do Outro nos Confins do

Humano. São Paulo: Hucitec, 1997.

MESA, José de; GISBERT, Teresa & MESA, Carlos D. Gisbert. Historia de Bolí¬via. 6ª edição. La Paz, Editorial Gisbert ,2007.

MOUTINHO, Joaquim Ferreira. A província de Mato Grosso, seguida de um roteiro de viagem, 1869, disponível na biblioteca digital do Senado Federal. http://www2.senado.leg.br/bdsf.

MULLER, K. M. A participação dos jornais fronteiriços no processo de inte¬gração latinoamericano. Trabalho apresentado no IV Congresso da SBPJOR, realizado na FABICO/UFRGS - novembro/ 2004.

NOGUEIRA, Ricardo José Baptista. Fronteira: espaço de referência identitá¬ria. Atelier geográfico, vol. 1, n.2, p.29, dez. 2007.

OLIVEIRA, Marco Aurélio & JARDIM, Denise Fagundes(Org). Os Árabes e sua américas. Editora UFMS. Campo Grande/MS. 2007.

OLIVEIRA, Marco A. M. Espaço, Tempo e Imigrantes: o desconcerto de uma região. In: CHIAPPINI, L. & MARTINS, M. H. (orgs.) Cone Sul: fluxos, represen¬tações e percepções. São Paulo, Hucitec, 2006, pp. 253-263.

__________ IMIGRANTES EM REDE NA FRONTEIRA: O CASO DE COMER-CIANTES BOLIVIANAS EM CORUMBÁ, MS, BRASIL, 2017.

OLIVEIRA, Tito Carlos Machado. Os elos da integração: o exemplo da frontei¬ra Brasil-Bolívia. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.2005.

_____________. Fronteiras na América Latina: Reflexões Metodológicas. [S.l.:s.n], 2007.

_____________. A lógica espacial do território fronteiriço – os casos das aglomerações de Ponta Porã-Pedro Juan Caballero e Ládário-Corumbá-Puerto Quijarro-Puerto Suarez. 2008.

_________ para além das linhas coloridas ou pontilhadas – reflexões para uma tipologia das relações fronteiriças, Revista da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (Anpege). p.233-256, V.11, n.15, jan¬-jun.2015.

___________ uma fronteira nas malhas da rebeldia e da criatividade, Parte do Projeto de pesquisa “Polos geográficos de ligação”, com financiamento do CNPq e da Fundect (2014-2016).

QUIJADA , sobre el origen y difusion del nombre “américa latina” (o una variacion heterodoxa en torno al tema de la construccion social de la verdadr por monica quijada Centro de Estudios Hisr6ricos, CSIC http://digital.csic.es/bitstream/10261/9354/1/Monica_Quijada_Sobre_el_nom-bre_America_Latina1998[1].pdf

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. Tradução de Maria Cecilia França. São Paulo: Ática,1993.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. 2º Edição. São Paulo: Hucitec, l997.

SAQUET, Marcos Aurelio. O território: Diferentes interpretações na cultura italiana. In: Ribas, A.D.; SPOSITO.S 2007.

SAYAD, Abdelmalek. A imigração ou os paradoxos da alteridade. Trad. Cris¬tina Murachco. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

______A identidade como Unidade processual relacional e mediação no desenvolvimento DO e NO território. In: Abordagens e concepções de territó¬rio. São Paulo: Expressão Popular, 2007, p.147-155.

SCHNEIDER, Jens (2004). Discursos simbólicos e símbolos discursivos: considerações sobre a etnografia da identidade nacional. Mana. [on-line]. Abr. 2004, v. 10, n. 1 p. 97-129.

SEFAMÍ, Memoria e identidad en la literatura sefardí y mizrahi en Latino¬américa Jacobo SEFAMÍ University of California, Irvine https://cloudfront.es-cholarship.org/dist/prd/content/qt1c54x4f5/qt1c54x4f5.pdf?t=nbrg5p

STEIMAN, Rebeca. A Geografia das cidades de fronteira: um estudo de caso de Tabatinga (Brasil) e Letícia (Colômbia). RJ: Programa de Pós-Graduação em Geografia, UFRJ, 2002. Dissertaçãode Mestrado

VALVERDE, Sebastián Valverde De la invisibilización a la construcción como sujetos sociales: el pueblo indígena Mapuche y sus movimentos en Patagonia, Argentina, https://journals.openedition.org/aa/414

WEBER, Max. A objetividade do conhecimento nas ciências sociais. In: COHN,

Gabriel (Org.). Max Weber: sociologia. 7. ed. São Paulo: Ática, 2003. p. 105/106

Publicado
2019-08-17
Como Citar
Oliveira, M. A. M. de, Silva, F. M. da, & Campos, D. L. (2019). América Latina racionalizada na nova Lei de Migração (Lei nº 13.445 / 17): discursos e legitimidade. Albuquerque: Revista De história, 10(20). Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/AlbRHis/article/view/8928