Problematizando o paradigma liberal-meritocrático de educação escolar na história: novas direções e sentidos para a pesquisa em história da educação matemática

  • Arlete de Jesus Brito Unesp
  • Antonio Miguel Unicamp
  • Ana Cristina Ferreira Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Resumo

A educação escolar matemática brasileira ainda mantém incólumes o ideário e características estruturais e organizacionais herdadas dos debates que se sucederam, após a revolução francesa, acerca da organização dos sistemas nacionais públicos de escolarização moderna. O positivismo foi um dos pilares do processo civilizatório de escolarização pública de grande parte dos Estados nacionais do mundo moderno, cuja constituição se deu com base na matriz política do liberalismo meritocrático. Na videoconferência, em forma de mesa redonda, aqui proposta, pretendemos caracterizar e problematizar o paradigma de educação liberal-meritocrática instaurado a partir da Proclamação da República, a  educação matemática que nele vem se praticando, e as pesquisas em história da educação matemática que têm sido realizadas para se preservar a memória desse paradigma. Com base nessa problematização, pretendemos também debater novos sentidos e direções que tais pesquisas poderiam vir a tomar em perspectivas críticas a esse paradigma.

Palavras-chave: História; Liberalismo; Educação Matemática; Pesquisa em História da Educação Matemática.

Biografia do Autor

Arlete de Jesus Brito, Unesp

Livre Docente pela Universidade Estadual Julio de Mesquita Filho (UNESP). Professora do Departamento de Educação, UNESP Rio Claro, Brasil. E-mail arlete.brito@unesp.br.

Antonio Miguel, Unicamp

Livre Docente pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor da Faculdade de Educação, UNICAMP, Brasil. E-mail: miguel37.unicamp@gmail.com.

Ana Cristina Ferreira, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Doutora em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora do Departamento de Educação Matemática, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Brasil. E-mail: anacf.ufop@gmail.com.

Referências

Arapiraca, J. O. (1982). A USAID e a educação brasileira. São Paulo: Cortez.

Bourdieu, P. (1998). Escritos de Educação. Petrópolis: Editora Vozes.

Miguel, A. (2018a). O cravo de Diderot e as novas políticas educacionais: um diálogo com as luzes em uma nova época de trevas. In: Oliveira, Andréia Maria Pereira & Ortigão, Maria Isabel Ramalho (Orgs.). Abordagens teóricas e metodológicas nas pesquisas em Educação Matemática. Livro Eletrônico. Brasília: Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Coleção SBEM 13, pp. 298-320.

Miguel, A. (2018b). Desconstruindo o mérito da educação escolar meritocrática: uma profissão de fé. In: Godoy, Elenilton Vieira; Silva, Marcio Antonio; Santos, Vinício De Macedo (Orgs.). Currículos de matemática em debate: questões para políticas educacionais e para a pesquisa em Educação Matemática. São Paulo: Editora Livraria da Física, p. 69-88.

Publicado
2020-10-27
Como Citar
Brito, A. de J., Miguel, A., & Ferreira, A. C. (2020). Problematizando o paradigma liberal-meritocrático de educação escolar na história: novas direções e sentidos para a pesquisa em história da educação matemática. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (5), 1-5. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/10861
Seção
Lives Submetidas