Dando continuidade às temáticas que vêm abordando – 1º volume: Estudos culturais (abril de 2009); 2º volume: Literatura comparada hoje (setembro de 2009); 3º volume: Crítica contemporânea (abril de 2010); 4º volume: Crítica biográfica (setembro de 2010); 5º volume: Subalterni- dade (abril de 2011); 6º volume: Cultura local (dezembro de 2011) – os CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS trazem agora uma discussão em torno de Frontteiras Cultturais. Fazendo jus ao “Qualis B1”, este volume reúne ensaios de pesquisadores que se predispuseram a pensar sobre uma temática que se encontra na agenda da crítica contemporânea, por sua importância para a compreensão do mundo global em que vivemos. Não há dúvida de que, mais uma vez, os Cadernos surpreendem por saírem na frente e conseguirem arrolar uma gama de intelectuais espe- cialistas no assunto e cujos textos vêm suprir uma lacuna existente em torno de um conceito ainda em aberto como o de Frontteiras Cultturais. Cabe-me a feliz tarefa de agradecer a todos os autores que aceitaram participar deste volume, enriquecendo-o com seus belos ensaios. Agra- deço, também, aos editores-assistentes Marcos Antônio Bessa-Oliveira   e José Francisco Ferrari, que não medem esforços para que os Cader- nos venham a público, bem como a todos da Comissão organizadora e membros do NECC. Gratidão traduz o que todos os neccenses sentimos pelos ilustres pesquisadores deste volume, sem os quais a temática pro- posta não seria possível para a realização deste número dos CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS que entra para a história da crítica brasileira quando o assunto for Frontteiras Cultturais no Brasil.
Publicado: 2017-09-12