Semiótica e Feminismo do século XIX

possibilidades de análise a partir da imprensa feminista

  • Vanessa Pastorini USP
Palavras-chave: Feminismo, Semiótica Discursiva, França, Século XIX

Resumo

O presente artigo tem como intuito de empreender uma análise que incorpore a semiótica discursiva como fundamentação teórica, alinhada, em certa medida, com as proposições levantadas pela teoria feminista, sobretudo de estudar as mulheres a partir do material que elas produziram (PERROT, 2015). Tomamos, como corpus de estudo, um jornal ‘feminista’, La Fronde, publicado na segunda metade do século XIX. A partir do percurso gerativo de sentido, lançamos luz sobre as manobras persuasivas estabelecidas entre destinador e destinatário, e a sua concretização no nível do discurso. Compreendemos, ademais, o éthos e o páthos, ou imagem do enunciador e do enunciatário. Os resultados permitem refletir sobre as possibilidades de diálogos do uso da semiótica como ferramenta para a compreensão da história das mulheres.

Referências

ALBISTUR, Maïté; ARMOGATHE, Daniel. Histoire du féminisme français: de l’empire napoléonien à nos jours. Paris: Éditions des Femmes, 1977, 2v.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria do Discurso: fundamentos semióticos. São Paulo: Atual Editora, 2002.

_____. Publicidade e figurativização. ALFA - Revista de Linguística, vol. 48, n. 2 (2004), p. 11 - 31.

_____. Teoria Semiótica do Texto. São Paulo: Ática, 2005.

_____. Estudos do discurso. In: FIORIN, José Luiz (Org.). Introdução à Linguística: II Princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2019.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: fatos e mitos. Tradução: Sérgio Milliet. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

BETRAND, Denis. Caminhos de semiótica literária. Bauru: EDUSC, 2003.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2020.

CHARAUDEAU, Patrick. Grammaire du sens et de l’expression. Paris: Hachete, 1992.

CHENUT, Helen Harden. L'esprit antiféministe et la campagne pour le suffrage en France, 1880-1914. Cahiers du Genre, vol. 52, n. 1, 2012, p. 51-73.

DAUPHIN, Cécile et. Al. A História das Mulheres – Cultura e poder das mulheres: ensaio de historiografia. Annales ESC, n. 2, 1986, p. 271-293.

DISCINI, Norma. O estilo nos textos: história em quadrinhos, mídia, literatura. São Paulo: Contexto, 2004.

DUBY, Georges; FRAISSE, Genevieve; PERROT, Michelle. História das Mulheres no Ocidente: o século XIX. Porto: Edições Afrontamento, 1994. 4v.

FIORIN, José Luiz. Sendas e Veredas da Semiótica Narrativa e Discursiva. DELTA. São Paulo, v. 15, n. 1, p. 177-207, 1999.

_____. O páthos do enunciatário. Alfa, v. 48, n. 2, p. 69-78, 2004.

_____. As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. São Paulo: Contexto, 2016.

_____. Elementos de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2018.

GIRARDET, Raoul. Pour une introduction à l’histoire du nationalisme français. Revue française de science politique, n. 3, 1958, p. 505-528.

GREIMAS, Algirdas Julius; COURTÉS, Joseph. Dicionário de Semiótica. Tradução de Alceu Dias lima et al.. São Paulo: Cultrix, 1983.

HOOKS, Bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 2018.

KLEJMAN, Laurence, ROCHEFORT, Florence. Le féminisme sous la troisième république: 1870-1914. Matériaux pour l'histoire de notre temps, n. 1, 1985. Histoire des femmes et du féminisme. p. 8-11.

KRISTEVA, Julia. Beauvoir presente. São Paulo: Sesc, 2019.

LARA, G. M. P.; MATTE, A. C. F. Ensaios de semiótica: aprendendo com o texto. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

MICHELET, Jules. Histoire de la France au dix-septième siècle. Paris: Chamerot, 1858.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

_____. Minha história das mulheres. Tradução: Angela M. S. Corrêa. São Paulo: Contexto, 2015.

PRIMI, Alice. Être fille de son siècle: L’engagement politique des femmes dans l’espace public en France et en Allemagne de 1848 a 1870. 2006. Tese (Doutorado em História) - História, Literatura e Sociedade, Universidade Paris 8, Paris, 2006.

TATIT, Luiz. A abordagem do texto. In: FIORIN, José Luiz (Org.). Introdução à linguística: 1. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2019.

THÉRENTY, Marie-Ève. La littérature au quotidien: poétiques journalistiques au XIXe siècle. Paris: Seuil, 2007.

WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. São Paulo: Círculo do livro, 1929.

Links de acesso ao La Fronde

Nº 1: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k6703120x

Nº 2: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k6703121b

Nº 3: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k6703122r

Nº 4: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k67031235

Nº 5: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k6703124k

Publicado
2021-06-30
Seção
Artigos - Linguística e Semiótica