Emoções na Formação de Docentes de Línguas Adicionais para Crianças

  • Vitória França Albuquerque Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Leandra Ines Segaqnfredo Santos Universidade do Estado de Mato Grosso
Palavras-chave: Emoções. Formação colaborativa. Línguas adicionais para crianças.

Resumo

Este artigo objetiva desvelar emoções de professores e formadores de professores em um curso de formação colaborativa de docentes de línguas adicionais para crianças no Centro de Formação Continuada da Rede Municipal de Ensino de Sinop/MT, em diferentes modalidades (presencial e remota) e registrar como se manifestam por meio de situações de usos da língua(gem). Pautamo-nos nos pressupostos teóricos da Linguística Aplicada, que discute os conceitos de emoções e de formação colaborativa, dentre outros. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de cunho interpretativista e utilizou-se diferentes instrumentos para coleta de dados, tais como: observações das gravações em áudio e vídeo dos encontros formativos, diário de campo reflexivo e conversas do grupo de WhatsApp. O conjunto de dados revelou que os participantes demonstraram as emoções de alegria, ansiedade, decepção, empatia, raiva, tristeza, dentre outras. Essas emoções foram manifestadas a partir das situações de usos da língua(gem) de cumprimentos e expectativas sobre o curso, diálogo sobre a importância de a formação continuada ser desejada, escrita colaborativa do documento acerca da importância de línguas adicionais para crianças, socialização das atividades docentes na pandemia, para citar algumas. No que diz respeito à relação das emoções com a formação continuada, os dados mostraram que as práticas colaborativas promovem o desenvolvimento e fortalecimento de vínculos emocionais entre professores e formadores de professores.

Referências

A importância do conhecimento sobre nossas emoções. 12 jun. 2020. 1 vídeo (1h 26min e 48seg.). Live Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=KV44wSq8VxE Acesso em: 20 jun. 2020. Participação de Ana Maria Ferreira Barcelos.

ALMEIDA, Ana Rita Silva. A emoção na sala de aula. Campinas, SP: Papirus, 1999.

ARAGÃO, Rodrigo Camargo. Emoção no ensino/aprendizagem de línguas. In: MASTRELLA-DE-ANDRADE, Mariana R. (org.). Afetividade e emoções no ensino/aprendizagem de línguas: múltiplos olhares. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011. p. 163-189.

ARAGÃO, Rodrigo Camargo. São as histórias que nos dizem mais: Emoção, reflexão e ação na sala de aula. 2007. 287 F. Tese (doutorado). Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras da UFMG.

BARBOSA, Anabela Aparecida Silva; CARVALHO, Rafael Nink de. O uso do whatsapp como ferramenta de pesquisa na ead. Congresso Internacional de educação e tecnologias (CIET) – Encontros de pesquisadores em educação a distância (EnPED), p. 1-10, 2018. Disponível em: https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2018/article/download/148/143 . Acesso: 20 mai. 2021.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira; SILVA, Denize Dinamarque da. Crenças e emoções de professores em pré-serviço. Revista Contexturas, n. 24, p. 6-19, mai. 2015.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. Letramento emocional no ensino de línguas. In: TOLDO, Claudia; STURM, Luciane (org.). Letramentos: práticas de leitura e escrita. Campinas, SP: Pontes, 2015.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. We teach who we are( becoming). Perspectives, v. 10, p. 2-6, 2013.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. Desvelando a relação entre crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas, emoções e identidades. In: GERHARDT, A. F. L. M.; AMORIM, M. A.; CARVALHO, A. M. (org.). Linguística Aplicada e Ensino: Língua e Literatura. Campinas: Pontes, p. 153-186, 2013.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

CARVALHO, Mercedes. Universidade e Escola básica: Formação inicial e continuada de professores que ensinam matemática em espaços colaborativos. Form. Doc., v. 09, n. 16, p. 65-76, jan./jun. 2017.

COX, Maria Inês Pagliarini; ASSIS-PETERSON, Ana Antônia de. Ser/Estar professor de inglês no cenário da escola pública: em busca de um contexto eficaz de ensino/aprendizagem. Polifonia, Cuiabá EdUFMT nº 05 p. 1-26 2002. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/1158/921. Acesso: 20 mar. 2020.

DALLAGNOL, Riscieli. Formação docente: ensino-aprendizagem de línguas adicionais para crianças. 2019. 80 f. Trabalho de Conclusão de Curso. UNEMAT – Universidade do Estado de Mato Grosso.

DAMÁSIO, Antônio R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. Tradução Dora Vicente, Georgina Segurado. 3 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

DAMÁSIO, Antônio R. O Mistério da Consciência: do corpo e das emoções do conhecimento de si. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DAMIANI, Magda Floriana. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Educar, n. 31, p. 213-230, Curitiba: Editora UFPR, 2008.

Emoções de professores na pandemia. 10 jul. 2020. 1 vídeo (56min e 47seg.). Live Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Z_1KrviqANg Acesso em: 10 set. 2020. Participação de Talita Cunha.

FIORENTINI, Dario; Castro, Franciana Carneiro de. Tornando-se professor de Matemática: o caso de Allan em prática de ensino e estágio supervisionado. In: FIORENTINI, D. (org.). Formação de professores de Matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas: Mercado das Letras, 2003.

FRANCESCHI, Luciana; FARIA, Heloisa Helena de; PEDROSO, Paulo. The Challenging World of Teaching Very Young Children. Braz- Tesol Newssletter, São Paulo, p. 12-15, out. 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Tolerância. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 40. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HELVIG, Carlos Henrique Martins Torra. A perspectiva colaborativa na formação continuada de professores da educação básica. In: Formação de professores, complexidade e trabalho docente. Anais do XII Congresso Nacional de Educação. PUCPR, 2015.26 a 29/10/ 2020. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/17617_7480.pdf. Acesso: 16 nov. 2020.

KNAPP, Mark. L.; HALL, Judith. A. Nonverbal communication in human interaction. California. Thomson Wadsworth, 6. Edition, 2006.

LAGO, Ana Cristina Castro do; OLIVEIRA, Lílian Correia; AVELINO, Yale Cunha. O trabalho colaborativo na formação de professores: o AVA como espaço de mediação e práxis. In: VI Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”. São Francisco – SE, 20 a 22 de setembro de 2012.

LEMOS, Lais Souza. Ensino/aprendizagem de inglês no ensino médio com whatsapp: emoções, multiletramentos e possibilidades. 2017. 138 f. Mestrado em linguagens e representações Instituição de Ensino: Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Biblioteca Depositária: UESC.

MAHONEY, Abigail Alvarenga; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de. Afetividade e processo ensino-aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Psic. da Ed., São Paulo, 20. 1º sem. de 2005, p. 11-30.

MARTINS, Suellen Thomaz de Aquino. O impacto do PDPI nas emoções-identidades do professor de inglês. 2017. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Santa Cruz. Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagens e Representações. Ilhéus, Bahia.

MARTINS, Suellen Thomaz de Aquino; SOUZA, Núbia Enedina Santos; ARAGÃO, Rodrigo Camargo. Metassíntese qualitativa sobre os estudos de crenças, emoções e identidade (2009-2015). Fólio – Revista de Letras Vitória da Conquista, v. 9, n. 2 p. 563-589 jul./dez. 2017.

MASTRELLA-DE-ANDRADE, Mariana R. Falar, fazer, sentir, vir a ser: ansiedade e identidade no processo de aprendizagem de LE. In: MASTRELLA-DE-ANDRADE, Mariana R. (org.). Afetividade e emoções no ensino/aprendizagem de línguas: múltiplos olhares. Campinas, SP: Pontes, 2011. p.17-48.

MATURANA, Humberto. Reality: the search for objectivity or the quest for a compelling argument. The Irish Journal of Psychology, v. 9, n. 1, p. 25-82, 1988.

MATURANA, Humberto. Uma abordagem da educação atual na perspectiva da biologia do conhecimento. In: MATURANA, H. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998. p. 11-35.

NÓVOA, António. Os professores e o novo espaço público da educação. In: TARDIF, M.; LESSARD, C. (org.). Oficio de professor: História, perspectiva e desafios internacionais. Petrópolis: Vozes, 2008.

NÓVOA, António. O passado e o presente dos professores. In: Nóvoa, Antônio (org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995.

O’CONNOR, Kate Eliza. ‘‘You choose to care’’: Teachers, emotions and professional identity. Teaching and Teacher Education, 2008. p. 117-126.

REIS, Maria da Glória Magalhães dos. A expressão em cena: a afetividade, o corpo e a voz na apropriação da língua estrangeira. In: MASTRELLA-DE-ANDRADE, Mariana R. (org.). Afetividade e emoções no ensino/aprendizagem de línguas: múltiplos olhares. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011. p. 215-247.

REZENDE, Thalita. “Somos a resistência”: emoções de professoras/es (de inglês) de escolas públicas. 2020. 253 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Linguística do Centro de Ciências Humanas e Naturais da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

SANTOS, Leandra Ines Seganfredo. Professores de língua inglesa para crianças: interface entre formação inicial e continuada, experiência e fazer pedagógico. RBLA (Impresso), v. 11, p. 223-246, 2011.

SANTOS, Leandra Ines Seganfredo. Língua inglesa em anos iniciais do ensino fundamental: fazer pedagógico e formação docente. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, São José do Rio Preto, 2009.

SCHUTZ, Paul A.; ZEMBYLAS, Michalinos. Advances in Teacher Emotion Research: The Impact on Teachers’ Lives. New York: Springer, 2009, p. 3-73.

SO, D. “Emotion processes in second language acquisition”. In: BENSON, P. & NUNAN, D. (org). Learners’ stories: difference and diversity in language learning. Cambridge: CUP, 2005, p. 42-55.

SOLOMON, Robert. “On the passivity of the passions”. In: MANSTED, A. S. R., FIRJDA, NICO, FKISHCER, AGNETA (org.). Feelings and emotions: The Amsterdam Symposium. CUP, p. 11-29, 2004.

TEIXEIRA, Adriana G. D. Formação de professores via WhatsApp: diálogos de extensão e pesquisa. XV Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e XII Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, v. 7, n. 1, 2018. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/anais_linguagem_tecnologia/article/view/15032/1125612192 .Acesso: 20 mai. 2021.

VEIGA, Ilma Passos (org). Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas: Papirus, 2008.

VYGOTSKY, Lev Semionovitch. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ZEMBYLAS, Michalinos. The emotional characteristics of teaching. Teaching and Teacher Education, v. 20, p. 185-201, 2004.
Publicado
2022-06-03