Um Estudo Dimensional das Representações Sociais sobre a Matemática de um Grupo de Estudantes do Ensino Médio

Palavras-chave: Educação Matemática., Representações Sociais sobre a Matemática., Ensino Médio.

Resumo

Este trabalho apresenta uma discussão em torno das representações sociais sobre a Matemática de um grupo de estudantes do Ensino Médio de um Instituto Federal mineiro. Apoia-se na Teoria das Representações Sociais de Moscovici e nas ideias de Jodelet para acessar o universo imaginário desses estudantes. Além disso, considera as dimensões escolar, afetiva, social e instrumental para desvelar representações sociais dos participantes, sobre a Matemática. O estudo nos revela que as experiências vividas na escola e as representações que circulam na sociedade sobre a Matemática, passam a fazer parte do universo imaginário dos estudantes e podem afetar seu comportamento, inclusive aqueles relacionados aos estudos. Os resultados também apontam que estudantes que percebem os conteúdos matemáticos como algo útil para o cotidiano ou para a futura profissão, costumam considerar essas características como motivos para estudar.

Biografia do Autor

Rossely Valoni de Jesus, Instituto Federal de Minas Gerais

Mestre em Educação Matemática (UFOP). Instituto Federal de Minas Gerais - Campus Ouro Preto. E-mail: lilivaloni@yahoo.com.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1795-2166.

Edmilson Minoru Torisu, Universidade Federal e Ouro Preto

Mestre em Educação Matemática (UFOP) e Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto do Departamento de Educação Matemática da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e Professor do Programa de Pós-graduação em Educação Matemática (UFOP).

Referências

ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith. Representações sociais: aspectos teóricos e aplicações à Educação. Em Aberto, Brasília, ano 14, n. 61, p. 60-78, jan./mar. 1994.

ATAÍDE, Jair Stefanini Pereira de. As representações sociais dos estudantes de dois cursos de licenciatura em Física da Paraíba. 2011. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Ensino de Ciências e Matemática Instituição de Ensino) – Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2011.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática / Secretaria de Educação Fundamental – Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

DAYRELL, Juarez. A escola como espaço sociocultural. In: ZAIDAN, Samira (org.). Iniciação à docência. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009. p. 47-70.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 5-44.

JODELET, Denise. Experiência e representação social. Trad. Maria Suzana de Menin. In: MENIN, Maria Suzana de Stefano.; SHIMIZU, Alessandra de Morais. (org.). Experiência e representação social: questões teóricas e metodológicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005. p. 23-56.

MOSCOVICI, Serge. A psicanálise, sua imagem e seu público. Trad. Sonia Fuhrmann. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Editado em inglês por Gerard Duveen; traduzido do inglês por Pedrinho A. Guareschi. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

ORTENZI, Alexandre. A relação professor-aluno: contribuições para o ensino da Matemática. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Campinas, São Paulo, 2006.

RAMOS, Maria Madalena Carlos. Matemática: A Bela ou o Monstro? Contributos para uma análise das representações sociais da matemática dos alunos do 9º ano de escolaridade. 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal, 2003.

SACRISTÁN José Gimeno. Educar e conviver na cultura global: as exigências da cidadania. Porto Alegre: Artemed, 2002.

SILVA, Rejane Dias; SILVA, Valdirene Moura. As representações sociais da Matemática dos alunos do Ensino Fundamental. In: Congresso Nacional de Educação, XI - EDUCERE, 2013, Curitiba – PR. Anais [...]. Curitiba – PR: PUCPR, 2013. p. 15432-15445. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/10155_7085.pdf. Acesso em: 09 mar. 2021.

TORISU, Edmilson Minoru. Acompanhamento extraclasse e fortalecimento das crenças de autoeficácia matemática. In: Seminário Internacional de pesquisa em Educação Matemática, V. 2012, Petrópolis, Rio de Janeiro. Anais [...]. Petrópolis, Rio de Janeiro, 2012, p. 1-22. Disponível em: http://sbem.iuri0094.hospedagemdesites.ws/files/v_sipem/PDFs/GT09/CC58872787653_A.pdf. Acesso em: 10 fev. 2021.

TORISU, Edmilson Minoru. Motivos para Participação em Tarefas Investigativas na Aula de Matemática: uma análise a partir dos backgrounds e dos foregrounds de um grupo de estudantes do Ensino Fundamental. Bolema, Rio Claro (SP), v. 32, n. 61, p. 549-569, ago. 2018. Disponível em: https://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/11434. Acesso em: 10 jan. 2021.

TORISU, Edmilson Minoru; FERREIRA, Ana Cristina. A teoria social cognitiva e o ensino-aprendizagem da matemática: considerações sobre as crenças de autoeficácia matemática. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 168-177, 2009. Disponível em: https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/106. Acesso em: 03 mai. 2021.

Publicado
2022-04-07
Como Citar
JESUS, R. V. DE; TORISU, E. M. Um Estudo Dimensional das Representações Sociais sobre a Matemática de um Grupo de Estudantes do Ensino Médio. Perspectivas da Educação Matemática, v. 15, n. 37, p. 1-15, 7 abr. 2022.